sexta-feira, 21 de junho de 2013

ATIVIDADE AVALIATIVA(ROMANTISMO - REALISMO - NATURALISMO)


Prezado aluno,

Você deverá responder às atividades propostas, que se subdividem em TRÊS partes. Responda aqui mesmo neste BLOG.Iremos verificar os alunos que visitaram o ESPAÇO, porque a sua identificação ficará registrada nos comentários.

Boa leitura e boa escrita.


PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO



1. O trecho a seguir é parte do poema “Mocidade e morte”, do poeta romântico Castro Alves:

Oh! eu quero viver, beber perfumes
Na flor silvestre, que embalsama os ares;
Ver minh'alma adejar pelo infinito,
Qual branca vela n'amplidão dos mares.
No seio da mulher há tanto aroma...
Nos seus beijos de fogo há tanta vida...
–– Árabe errante, vou dormir à tarde
À sombra fresca da palmeira erguida.
Mas uma voz responde-me sombria:
Terás o sono sob a lájea fria.
(Castro Alves)


Esse poema, como o próprio título sugere, aborda o inconformismo do poeta com a antevisão da morte prematura, ainda na juventude. A imagem da morte aparece na palavra:
(A) embalsama.
(B) infinito.
(C) amplidão.
(D) dormir.
(E) sono.

2. O retorno à Idade Média foi, em Portugal, manifestação de uma característica do Romantismo.
a) Que característica foi essa?
b) Qual a manifestação correspondente no Romantismo brasileiro?

3.O texto abaixo apresenta, basicamente, três partes: a realidade, o sonho e a realidade novamente. Aponte o início e o fim de cada uma das partes. Compare as duas partes relativas à realidade com a parte relativa ao sonho.


Oh! ter vinte anos sem gozar de leve
A ventura de uma alma de donzela!
E sem na vida ter sentido nunca
Na suave atração de um róseo corpo
Meus olhos turvos se fechar de gozo!
Oh! nos meus sonhos, pelas noites minhas
Passam tantas visões sobre meu peito!
Palor de febre meu semblante cobre,
Bate meu coração com tanto fogo!
Um doce nome os lábios meus suspiram,
Um nome de mulher... e vejo lânguida
No véu suave de amorosas sombras
Seminua, abatida, a mão no seio,
Perfumada visão romper a nuvem,
Sentar-se junto a mim, nas minhas pálpebras
O alento fresco e leve como a vida
Passar delicioso... Que delírios!
Acordo palpitante... inda a procuro:
Embalde a chamo, embalde as minhas lágrimas
Banham meus olhos, e suspiro e gemo...
Imploro uma ilusão... tudo é silêncio!
Só o leito deserto, a sala muda!
Amorosa visão, mulher dos sonhos,
Eu sou tão infeliz, eu sofro tanto!
Nunca virás iluminar meu peito
Com um raio de luz desses teus olhos?

4. (FUVEST-SP)
I.Pálida à luz da lâmpada sombria
Sobre o leito de flores reclinada
Como a lua por noite embalsamada
Entre as nuvens do amor ela dormia!

II.Uma noite, eu me lembro... ela dormia
Numa rede encostada molemente...
Quase aberto o roupão... solto o cabelo
E o pé descalço no tapete rente.

Os dois textos apresentam diferentes concepções da figura da mulher. Se ambos os textos são românticos, como explicar a diferença no tratamento do tema? Apontar nos dois textos situações contrastantes que revelam essas diferentes concepções.

5. Cite um fato histórico que influenciou o Romantismo.

6. O romantismo está relacionado com o surgimento de um novo público leitor. Qual?

7. Leia o texto de Álvares de Azevedo a seguir e responda as questões propostas:

Idéias Íntimas (fragmentos)
“Parece-me que vou perdendo o gosto
(...) Passo as noites aqui e os dias longos;
Dei-me agora ao charuto em corpo e alma;
(...) Meu pobre leito! Eu amo-te contudo!
Aqui levei sonhando noites belas;
As longas horas olvidei libando
Ardentes gotas de licor doirado,
Esqueci-as no fumo, na leitura
Das páginas lascivas do romance...

Meu leito juvenil, da minha vida
És a página d’oiro. Em teu asilo
Eu sonho-me poeta, e sou ditoso,
E a mente errante devaneia em mundos
Que esmalta a fantasia! Oh! Quantas vezes
Do levante sol entre odaliscas
Momentos não passei que valem vidas!
Quanta música ouvi que me encantava!
Quantas virgens amei!(...)
Ó meus sonhos de amor e mocidade,
Por que ser tão formosos, se devíeis
Me abandonar tão cedo... e eu acordava
Arquejando a beijar meu travesseiro?

Parece que chorei... Sinto na face
Uma perdida lágrima rolando...
Satã leve a tristeza! Olá, meu pajem,
Derrama no meu copo as gotas últimas
Dessa garrafa negra...

(...) E no cérebro passam delirosos
Assomos de poesia... Dentre a sombra
Vejo num leito d’oiro a imagem dela
Palpitante, que dorme e que suspira,
Que seus braços me estende...

Eu me esquecia:
Faz-se noite; traz fogo e dois charutos
E na mesa do estudo acende a lâmpada...”

a) Destaque os versos do poema que, ironicamente, destroem a idealização amorosa.

b) Pode-se entender, por meio da última estrofe do poema, que a viagem foi encerrada? Por quê?

c) Que tipo de visão o eu lírico tem quando sob os efeitos do álcool?

d) De que modo o eu lírico tornava as “longas
horas” menos dolorosas?

e) Que sonhos criava quando se encontrava no leito?


8. Leia o texto e assinale falsa ou verdadeira.

“Descansem o meu leito solitário
Na floresta dos homens esquecida,
À sombra de uma cruz, e escrevam nela:
- Foi poeta – sonhou – e amou na vida.”

a) os versos fazem parte de um longo poema de Gregório de Matos.
b) Mostram como Álvares de Azevedo foi marcado pelo tema da morte e da solidão.
c) São típicos da poesia Pau Brasil.
d) Definem o poeta tal qual o concebia o Realismo.
e) São típicos do Mal do Século.


9. “Pálida, à luz da lâmpada sombria,
Sobre o leito de flores reclinada,
Como a lua por noite embalsamada,
Entre as nuvens do amor ela dormia!

Era a virgem do mar! Na escuma fria
Pela maré das águas embaladas!
Era um anjo entre nuvens d’alvorada
Que em sonhos se banhava e se esquecia!”

a) transcreva as expressões que mergulhem a mulher num mundo irreal, idealizado e distante.

10. No poema do exercício anterior , observamos que a mulher aparece frequentemente na poesia de Álvares de Azevedo como figura:
a) sensual
b) concreta
c) próxima
d) natural
e) inacessível

11. “Ó guerreiros da Tribo Tupi
Ó guerreiros, meus cantos ouvi.”A geração da poesia romântica aí representada é:
a) pré-romântica
b) social
c) indianista
d) mal do século
e) ultra-romântica

12. Assinale o contexto histórico do período do Romantismo:
a) Iluminismo
b) Revolução Francesa
c) Inconfidência Mineira
d) Impeachment do Collor
e) Descobrimento do Brasil

13. O Romantismo está relacionado com o surgimento de um novo público leitor. Qual é essa classe?
a) burguesia
b) senhores feudais
c) nobreza
d) escravo
e) fazendeiro

14. Marque a alternativa que não caracteriza a estética romântica:
a) subjetivismo
b) primado do sentimento
c) culto à natureza
d) pessimismo
e) objetivismo

15. A impossibilidade de realizar o sonho absoluto do Eu gera inquietude, desespero, frustração, que levam às vezes ao suicídio, refletindo a evasão na morte, solução definitiva para o:
a) culto ao real
b) nacionalismo
c) culto ao fantástico
d) mal do século
e) indianismo

16. “Minha terra tem palmeiras
Onde canta o sabiá
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá.”
O fragmento acima, de um poema de Gonçalves Dias caracteriza o:
a) nacionalismo
b) mal do século
c) culto ao fantástico
d) pessimismo
e) fantasmagórico

17. Sobre o Romantismo brasileiro é correto afirmar que:
a) teve como obra inicial Iracema, de José de Alencar
b) trata da temática sagrado X profano
c) tem como contexto histórico o Iluminismo
d) de modo geral, os poetas têm uma visão da mulher de forma real, não idealizada
e) em sua segunda fase, apresentou poetas cuja inclinação para o mistério e a morte os colocava sobre o clima do “mal do século”

18. Assinale a alternativa em que se encontram características do movimento literário ao qual se dá o nome de Romantismo:
a) predomínio da razão
b) busca de temas nacionais, sentimentalismo e imaginação
c) arte pela arte
d) desejo de expressar a realidade objetiva
e) imitação dos antigos gregos e romanos


Leia o poema abaixo para responder as questões 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25 e 26.

Canção do Exílio
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso Céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar – sozinho, à noite –
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
(Gonçalves Dias)
Portugal, julho de 1843.

19. Explique o título do poema.

20. Esse poema ilustra uma característica básica do Romantismo. Qual? Justifique sua resposta com fragmentos do poema.

Observe agora que o poema está organizado a partir da oposição entre dois espaços; a pátria – com os elementos que a caracterizam – e o exílio.

21.Que palavras do texto evidenciam essa antítese?

22.Como é cada um desses espaços para o eu lírico?

23.Que sentimentos ele manifesta em relação à pátria?

24.Esses sentimentos são expressos sobretudo em relação à natureza brasileira: palmeiras, sabiá, bosques e etc. o eu lírico é objetivo e imparcial ao descrever essa natureza? Por quê?

25. Onde é lá? E cá?

26.O Nativismo significa a presença, nos textos literários, de alguns vestígios da natureza ou da vida social do Brasil. Nacionalismo, por sua vez, é um conceito mais amplo, porque envolve a idéia de nação, povo e de uma identidade cultural que os represente. Você acha que o poema de Gonçalves Dias é nativista ou nacionalista? Justifique.

27. Descansem o meu leito solitário
Na floresta dos homens esquecida,
À sombra de uma cruz, e escrevam nela:
- Foi poeta – sonhou - e amou na vida.
Assinale Falsa ou Verdadeira:

a)Os versos fazem parte de um longo poema de Gregório de Matos.
b)Mostram como Álvares de Azevedo foi marcado pelo tema da morte e da solidão.
c)Definem o poeta tal qual o concebia o Realismo.
d)São típicos da poesia Pau-Brasil.
e)São típicos do Mal do Século

Questão 28.
Os excertos poéticos subsequentes integram a valiosíssima produção artística de uma figura singular que tanto representou nossas letras no cenário nacional – Gonçalves Dias. Cabe a você analisá-los, levando-se em consideração as características que demarcaram a primeira fase romântica.

Canção do Exílio

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.
I-Juca Pirama

IV
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi:
Sou filho das selvas,
Nas selvas cresci;
Guerreiros, descendo
Da tribo tupi.
Da tribo pujante,
Que agora anda errante
Por fado inconstante,
Guerreiros, nasci;
Sou bravo, sou forte,
Sou filho do Norte;
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi.

• Questão 29
Ainda falando sobre Castro Alves, atente-se aos fragmentos ora evidentes, estabeleça uma comparação entre estes e o poema acima citado e, em seguida, comente.

V
Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura... se é verdade
Tanto horror perante os céus?!
Ó mar, por que não apagas
Co'a esponja de tuas vagas
De teu manto este borrão?...
Astros! noites! tempestades!
Rolai das imensidades!
Varrei os mares, tufão!
[...]
Castro Alves

• Questão 30
(Vunesp - SP) Leia atentamente os versos seguintes:

Eu deixo a vida com deixa o tédio
Do deserto o poeta caminheiro
- Como as horas de um longo pesadelo
Que se desfaz ao dobre de um mineiro.

Esses versos de Álvares de Azevedo significam a:

a) revolta diante da morte.
b) aceitação da vida como um longo pesadelo.
c) aceitação da morte como a solução.
d) tristeza pelas condições de vida.
e) alegria pela vida longa que teve.

• Questão 31
Com base em seus conhecimentos acerca das características que perfizeram o Romantismo, atenha-se a uma análise das produções literárias em evidência, no intuito de responder à questão que a ela se refere:

a – Tendo em vista a temática do amor, expressa em ambos os poemas, registre sua expressões acerca do assunto através de um TEXTO.



• Questão 32
(PUC-RS)

Já de noite o palor me cobre o rosto
Nos lábios meus o alento desfalece.
Surda agonia o coração fenece
E devora meu ser mortal desgosto!
Do leito embalde no macio encosto
Tento o sono reter!... Já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece...
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!

A relação mórbida com a morte demonstra que parte da poesia de Álvares de Azevedo prende-se ao:

a) idealismo romântico.
b) saudosismo inconformado.
c) misticismo religioso.
d) negativismo filosófico.
e) mal do século.



PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO



1. Assinale a proposição incorreta.
a) O Concretismo fez do espaço um elemento expressivo.
b) No Modernismo havia ingrediente nacionalista.
c) No Realismo não há preocupação com o social.
d) O Romantismo se caracteriza pelo desejo de libertação.
e) o Barroco tem exagerada preocupação formal.

2 - I. "A segunda Revolução Industrial, o cientificismo, o progresso tecnológico, o socialismo utópico, a filosofia positivista de Augusto Comte, o evolucionismo formam o contexto sócio-político-econômico-filosófico-científico em que se desenvolveu a estética realista".
II. "O escritor realista acerca-se dos objetos e das pessoas de um modo pessoal, apoiando-se na intuição e nos sentimentos".
III. "Os maiores representantes da estética realista-naturalista no Brasil foram: Machado de Assis, Aluísio de Azevedo e Raul Pompéia".
IV. "Podemos citar como características da estética realista: o individualismo, a linguagem erudita e a visão fantasiosa da sociedade".

Verificamos que em relação ao Realismo-Naturalismo está(estão) correta(s):
a) apenas a I e II
b) apenas a I e III
c) apenas a II e IV
d) apenas a II e III
e) apenas a III e IV

3. Sobre o Realismo, assinale a afirmativa correta.
a) O romance é visto como distração e não como meio de crítica às instituições sociais decadentes.
b) Os escritores realistas procuram ser pessoais e objetivos.
c) O romance sertanejo ou regionalista originou-se no Realismo.
d) O Realismo constitui uma oposição ao idealismo romântico.
e) O Realismo vê o Homem somente como um produto biológico.

4. Há correspondência entre estilo e característica em:
a) Romantismo - objetivismo
b) Realismo - subjetivismo
c) Naturalismo - cientificismo
d) Parnasianismo - linguagem descuidada

5. O Realismo é uma reação contra o Romantismo: o Romantismo era a apoteose do sentimento; - o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos próprios olhos - para condenar o que houve de mau na nossa sociedade.
(Eça de Queirós, apud NICOLA, José de. LITERATURA BRASILEIRA: DAS ORIGENS AOS NOSSOS DIAS. 2 ed. São Paulo-. Scipione, 1990. p. 115.)

O Realismo pode ser exemplificado por:

(01) "... ela era o calor vermelho das sestas da fazenda; [...] era o veneno e era o açúcar gostoso; era o sapoti mais doce que o mel e era a castanha do caju, que abre feridas com o seu azeite de fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viscosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele, assanhando-lhe os desejos..."

(02) "... o olhar fulgurante, sob a crispação áspera dos supercílios de monstro japonês, penetrando de luz as almas circunstantes - era a educação da inteligência; o queixo, severamente escanhoado, de orelha a orelha, lembrava a lisura das consciências limpas - era a educação moral."

(04) "A flauta soltou o cintilante prelúdio de uma valsa de Strauss.
Os valsistas afamados deixaram-se ficar de parte, sem dúvida para se fazerem desejar. Os caloiros e a gente de encher hesitavam em tomar a dianteira..."

(08) "Eu sabia que era bela; mas a minha imaginação apenas tinha esboçado o que Deus criara.
Ela olhava-me e sorria.
Era um ligeiro sorriso, uma flor que desfolhava-se nos seus lábios, um reflexo que iluminava o seu lindo rosto.
Seus grandes olhos negros fitavam em mim um desses olhares lânguidos e aveludados que afagam os seios d'alma."

(16) "Ali está ela na solidão de seus campos, talvez menos alegre, porém, certamente, mais livre; sua alma é todos os dias tocada dos mesmos objetos: ao romper d'alva, é sempre e só a aurora que bruxoleia no horizonte; durante o dia, são sempre os mesmos prados, os mesmos bosques e árvores; de tarde, sempre o mesmo gado que se vem recolhendo ao curral; à noite, sempre a mesma lua que prateia seus raios à lisa superfície do lago!"

(32) "A praça da Alegria apresentava um ar fúnebre. De um casebre miserável, de porta e janela, ouviam-se gemer os armadores enferrujados de uma rede e uma voz tísica e aflautada, de mulher, cantar em falsete a 'gentil Carolina era bela'; doutro lado da praça, uma preta velha, vergada por imenso tabuleiro de madeira, sujo, seboso, cheio de sangue e coberto por uma nuvem de moscas, apregoava em tom muito arrastado e melancólico: 'Fígado, rins e coração!' Era uma vendedeira de fatos de boi."


6.Vários autores afirmam que a diferença entre Realismo e Naturalismo é muito sutil.
Um dos trechos a seguir é claramente naturalista. Assinale a alternativa em que ele aparece.
a) "Desesperado, deixou o cravo, pegou do papel escrito e rasgou-o. Nesse momento, a moça, embebida no olhar do marido, começou a cantarolar à toa, inconscientemente, uma cousa nunca antes cantada nem sabida..."
b) "Enfim chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos."
c) "Entretanto, das portas surgiam cabeças congestionadas de sono; ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar das ondas; pigarreava-se grosso por toda a parte; começavam as xícaras a tilintar; o cheiro do café aquecia, suplantando todos os outros..."
d) "Foi por esse tempo que eu me reconciliei outra vez com o Cotrim, sem chegar a saber a causa do dissentimento. Reconciliação oportuna, porque a solidão pesava-me, e a vida era para mim a pior das fadigas, que é a fadiga sem trabalho."
e) "E enquanto uma chora, outra ri; é a lei do mundo, meu rico senhor; é a perfeição universal. Tudo chorando seria monótono, tudo rindo, cansativo; mas uma boa distribuição de lágrimas e polcas, soluços e sarabandas, acaba por trazer à alma do mundo a variedade necessária, e faz-se o equilíbrio da vida."


7. Machado de Assis filia-se (e o trecho é exemplo disso) ao estilo de época do:
a) arcadismo
b) romantismo
c) realismo
d) simbolismo
e) modernismo

8. Assinale a opção cuja característica, pertencente ao realismo - naturalismo, não aparece no excerto.

"O tísico do número 7 há dias esperava o seu momento de morrer, estendido na cama, os olhos cravados no ar, a boca muito aberta, porque já lhe ia faltando o fôlego.
Não tossia; apenas, de quando em quando, o esforço convulsivo para atravessar os pulmões desfeitos sacudia-lhe todo o corpo e arrancava-lhe da garganta uma ronqueira lúgubre, que lembrava o arrular ominoso dos pombos."

Das características a seguir, pertencentes ao realismo - naturalismo, apenas uma não aparece no excerto anterior. Assinale-a.
a) Animalização do homem.
b) Visão determinista e mecanicista do homem.
c) Patologismo.
d) Veracidade.
e) Retrato da realidade cotidiana.

9.Assinale a opção em que a correspondência movimento literário - característica se refere ao fragmento de Raimundo Correia.
a) Parnasianismo - rigidez formal.
b) Simbolismo - transcendentalismo.
c) Romantismo - sentimentalismo.
d) Modernismo - liberdade formal.
e) Realismo - objetivismo.

10. Leia as seguintes afirmativas a respeito de Machado de Assis:

I. Sua produção ficcional costuma fixar quadros regionais, repletos de descrições sobre a natureza e de personagens típicos.
II. Alguns de seus romances apresentam protagonistas narrando, em primeira pessoa, lembranças do passado.
III. Nos contos, os universos narrados apresentam seres estranhos em um ambiente sobrenatural, caracterizando o realismo mágico dessas narrativas.

Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas II.
c) apenas III.
d) apenas II e III.
e) I, II e III.

11. Sobre o Realismo, assinale o que for correto.

01) Preconizava substituir o sentimento pela razão.
02) Valorizava a arte comprometida com seu tempo, documental e denunciadora.
04) Foi o Realismo que criou a literatura nacional.
08) Envolve também o Naturalismo, numa quase idêntica perspectiva estética. O Naturalismo seria o Realismo exacerbado, salientando o fator biológico e sociológico do comportamento humano.
16) O romance realista é antes de tudo a crítica ao romance romântico.

12. Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):

01. O trecho ... "e daí a um mês manifestaram-se claramente os efeitos da pisadela e do beliscão; sete meses depois teve a Maria um filho (...) é o herói desta história.", apresenta características do estilo Naturalista ao qual esta obra, "Memórias de um Sargento de Milícias", pertence.

02. A expressão do nacionalismo, a idealização do índio e da figura feminina, como também a análise crítica e científica dos fenômenos da sociedade brasileira determinam o estilo literário - Realismo.

04. "O homem é produto do meio", isto é, a raça, o clima, o temperamento e a educação são fatores naturais da conduta humana; esta afirmação caracteriza o estilo de época denominado Romantismo.

08. No Realismo, o autor preocupa-se em retratar a realidade como ela é, sem transformá-la, baseando-se na documentação e observação do real.

16. Enquanto no Romantismo a expressão da poesia se fortaleceu em três gerações - nacionalista e indianista; saudosista e mal-do-século; social e condoreira, respectivamente, no Realismo-Naturalismo, a poesia apresenta-se comprometida com a busca de perfeição técnica da obra de arte. Esta estética, denominada de Parnasianismo, preocupou-se com o ideal da arte pela arte, em detrimento da realidade exterior.

13. Sobre os autores do Realismo/Naturalismo, numere a 2ªcoluna de acordo com a 1ª.

1) Machado de Assis
2) Aluízio de Azevedo

( ) Em "O Cortiço", as idéias naturalistas se conjugam para revelar as misérias existentes na capital do país.
( ) O autor inova na literatura brasileira pelo seu senso de coletividade, pela descrição de multidão.
( ) Escreveu um romance, em que ataca o racismo, o reacionarismo clerical, a estreiteza do universo provinciano e descreve a lenta e difícil ascensão social do mestiço brasileiro.
( ) Autor de obras-primas, como "Quincas Borba" e "Dom Casmurro", é irônico, pessimista e crítico. Suas tramas quebram a estrutura linear e seu estilo é refinado e elegante, esmerando-se na correção linguística.
( ) Na sua 1ª fase, estava comprometido com o idealismo romântico. Na 2ª fase, mais maduro, fazia a análise psicológica e social de temas da burguesia da época: o adultério, o parasitismo social, o egoísmo, a vaidade, o interesse, além da confusão entre razão e loucura.

A sequência correta é:
a) 1, 1, 2, 1 e 2
b) 2, 2, 1, 2 e 1
c) 1, 2, 1, 1 e 2
d) 2, 2, 2, 1 e 1
e) 2, 2, 1, 1 e 1

14. Sobre o Realismo brasileiro, é correto afirmar:
a) Foi uma estética pouco significativa no painel literário brasileiro, pois ficou afastado dos problemas nacionais, questão bastante trabalhada pelo Romantismo.
b) Teve grande influência do lluminismo francês, daí o aspecto libertário de alguns romances de nossos escritores realistas, como Machado de Assis e Raul Pompéia.
c) Deu especial importância à questão cultural, buscando as raízes da cultura brasileira no folclore e nos costumes do povo.
d) Sua tendência a retratar a realidade com objetividade e imparcialidade está pautada nos postulados filosóficos e científicos que alcançaram grande popularidade no final do século XIX, como o positivismo e o darwinismo.
e) Embora na prosa houvesse um afastamento dos ideais estéticos do movimento romântico, que o antecedeu, o Parnasianismo, contraparte poética do Realismo no contexto brasileiro, não conseguiu se desvencilhar do sentimentalismo e de alguns temas preferidos do Romantismo, como o índio e o escravo, explorando-os com frequência.

15. A estética anti-romântica iniciou-se na segunda metade do século XIX, com o Realismo e aprofundou-se com o Naturalismo. Sobre esses movimentos, analise as proposições a seguir.
( ) As transformações econômicas, científicas e ideológicas possibilitaram a revolução industrial, na qual os valores burgueses e capitalistas suplantaram os valores românticos: a fantasia e o mito da natureza entram, assim, em crise.
( ) Surge, na literatura, o Realismo, movimento em que o artista é, ao mesmo tempo, um participante e um observador do mundo. Esse aspecto conduz à representatividade histórico-social e à análise psicológica dos personagens, examinados à luz do racionalismo e da contemporaneidade.
( ) Entre as características do Realismo brasileiro, estão a objetividade, a impessoalidade e o uso da linguagem regional.
( ) O Naturalismo é um prolongamento do Realismo, pois acrescenta uma visão cientificista da existência, a qual inclui o determinismo do meio ambiente, do instinto e da hereditariedade.
( ) O Realismo teve sua primeira manifestação importante com a publicação de "Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis, e o Naturalismo, com "Dom Casmurro", do mesmo autor, ambos em 1881.


16. Publicados quase simultaneamente, "Memórias Póstumas de Brás Cubas" e "O Mulato", ambos os romances praticamente inauguram dois movimentos literários no Brasil. Num deles predomina a profundidade da análise psicológica e, no outro, a preocupação com as leis da hereditariedade e a influência do ambiente sobre o homem.

Esses movimentos foram:
a) O Modernismo e o Pós-modernismo.
b) O Futurismo e o Surrealismo.
c) O Barroco e o Trovadorismo.
d) O Romantismo e o Ultra-romantismo.
e) O Realismo e o Naturalismo.

17. Expressões tais como "machos e fêmeas", "cabelo para o alto do casco", "molhar o pêlo" constroem imagens que remetem a uma ________ entre homens e animais, típica do ________, que se constitui num prolongamento do ________.
a) dissociação - Realismo - Naturalismo
b) contemporização - Modernismo - Realismo
c) dissociação - Romantismo - Naturalismo
d) associação - Naturalismo - Realismo
e) contemporização - Realismo - Romantismo


18. Assim como a obra D. Casmurro, são também obras pertencentes ao Realismo.
a) Grande Sertão: Veredas e Os Sertões
b) Luzia-Homem e Iracema
c) Aves de Arribação e Iaiá Garcia
d) O Mulato e Memórias Póstumas de Brás Cubas

19. Sobre o Realismo, assinale o INCORRETO.
a) O Realismo na Literatura manifesta-se na prosa. A poesia da época vive o Simbolismo.
b) O romance - social, psicológico e de tese - é a principal forma de expressão do Realismo.
c) O romance realista deixa de ser apenas distração e torna-se veículo de crítica a instituições, como a Igreja Católica, e à hipocrisia burguesa.
d) A escravidão, os preconceitos raciais e a sexualidade são os principais temas, tratados com linguagem clara e direta.




PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO



1) (UFV-MG) Em O Cortiço, Aluísio Azevedo reafirma a ideologia do Naturalismo cumpre à risca alguns princípios cientificistas vigentes na segunda metade do século XIX. Dentre as afirmativas abaixo, assinale aquela que NÃO corresponde às propostas da escola naturalista:
a) Em O Cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus personagens, integra-os a elementos de uma natureza convencional.
b) O narrador de O Cortiço acentua o lado instintivo do ser humano através de um processo de zoomorfização, identificando seus personagens a diferentes animais, sobretudo a insetos e vermes, quando os descreve em seu vaivém pelo cortiço.
c) Ao enfatizar as atitudes inescrupulosas de João Romão para com os habitantes do cortiço, em especial para com a negra Bertoleza, o autor confirma as preocupações sociais do Naturalismo em sua inclinação reformadora.
d) Os personagens de O Cortiço constituem-se, em sua maioria, dos operários das pedreiras, das lavadeiras e de outros miseráveis que ali vivem de forma degradante, o que evidencia a preferência do escritor naturalista pelas camadas mais baixas da sociedade.
e) O caráter determinista da obra tem como símbolo a personagem Pombinha, que, se antes era “pura” e de boa conduta moral, acaba prostituindo-se por força daquele meio sórdido e animalesco.

2) (UFV-MG) Leia o texto abaixo, retirado de O Cortiço, e faça o que se pede:

Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. Um acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada, sete horas de chumbo.
[…]. O rumor crescia, condensando-se; o zunzum de todos os dias acentuava-se; já se não destacavam vozes dispersas, mas um só ruído compacto que enchia todo o cortiço. Começavam a fazer compras na venda; ensarilhavam-se discussões e rezingas; ouviam-se gargalhadas e pragas; já se não falava, gritava-se. Sentia-se naquela fermentação sangüínea, naquela gula viçosa de plantas rasteiras que mergulham os pés vigorosos na lama preta e nutriente da vida, o prazer animal de existir, a triunfante satisfação de respirar sobre a terra.

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. 15. ed. São Paulo: Ática, 1984. p. 28-29.

Assinale a alternativa que NÃO corresponde a uma possível leitura do fragmento citado:
a) No texto, o narrador enfatiza a força do coletivo. Todo o cortiço é apresentado como um personagem que, aos poucos, acorda como uma colméia humana.
b)O texto apresenta um dinamismo descritivo, ao enfatizar os elementos visuais, olfativos e auditivos.
c) O discurso naturalista de Aluísio Azevedo enfatiza nos personagens de O Cortiço o aspecto animalesco, “rasteiro” do ser humano, mas também a sua vitalidade e energia naturais, oriundas do prazer de existir.
d) Através da descrição do despertar do cortiço, o narrador apresenta os elementos introspectivos dos personagens, procurando criar correspondências entre o mundo físico e o metafísico.
e) Observa-se, no discurso de Aluísio Azevedo, pela constante utilização de metáforas e sinestesias, uma preocupação em apresentar elementos descritivos que comprovem a sua tese determinista.

3) (UFSM-RS) Leia os versos de Raimundo Correia e considere as afirmativas que se seguem.
Vai-se a primeira pomba despertada…
Vai-se outra mais … mais outra … enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia a sangüínea e fresca madrugada…
I. As rimas finais são intercaladas.
II. A estrofe é marcada por aliterações e assonâncias.
III. Os versos são decassílabos, à exceção do segundo que é alexandrino.
Está(ão) correta(s)
a) apenas I. d) apenas II e III.
b) apenas II. e) I, II e III.
c) apenas I e II.

Leia o poema e responda as questões 4,5 e 6:
As pombas
Vai-se a primeira pomba despertada...
Vai-se outra mais... mais outra... enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada...

E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais de novo elas, serenas,
Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada.
..
Também dos corações onde abotoam,
Os sonhos, um por um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;

No azul da adolescência as asas soltam,
Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais... (Raimundo Correia)
4) O soneto está organizado em duas partes. Nas duas quadras, o eu lírico descreve o revoar das pombas, nos tercetos é estabelecida uma comparação. Deduza:
a) A que é comparado o revoar das pombas?
b) Qual é a diferença essencial, segundo o texto, entre os elementos comparados?
5) De acordo com os termos dessa comparação, identifique a que correspondem, no plano da vida:
a) a madrugada e a tarde;
b) a “rígida nortada”, que as pombas encontram, à tarde, fora, fora dos pombais.
6) Destaque do soneto três características que comprovem a filiação do texto ao Parnasianismo.
7) (CEFET-MG) Sobre o Realismo / Naturalismo afirma-se:
I. Os escritores naturalistas mostram a decadência das instituições, denunciam a hipocrisia.
II. A linguagem da prosa realista tende à universalização porque todos os homens vivem mais ou menos os mesmos problemas, embora esse tipo de prosa tome como ponto de partida o indivíduo comum e anônimo.
III. O Naturalismo procura dar um novo tratamento ao Realismo, atribuindo-lhe um caráter mais científico.
Está(ão) correta(s)
a) I e III. d) I, II e III.
b) I e II. e) I apenas.
c) II e III.

8) (CEFET-MG) Os pressupostos abaixo caracterizam o Parnasianismo, EXCETO
a) referência à mitologia greco-latina.
b) busca do máximo de subjetividade na elaboração do poema, separando o sujeito criador do objeto criado.
c) preferência pelas formas poéticas fixas e regulares como o soneto.
d) o esteticismo, a depuração formal, o ideal da “arte pela arte”.
e) o purismo e o preciosismo vocabular e linguístico, com predomínio de termos eruditos.

9) (UFMS-MS) Assinale as afirmativas corretas a propósito do Naturalismo
a. O ser é retratado como produto do meio.
b. O escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade.
c. É um tipo de Realismo que tenta explicar romanticamente a conduta e o modo de ser das personagens.
d. No Brasil, o romance naturalista exalta o homem metafísico, em oposição ao homem animal, cujas ações e intenções o escritor condena.
e Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do método experimental.

10) (ITA-SP) Assinale o texto que, pela linguagem e pelas idéias, pode se considerado como representante da corrente naturalista.
a. "... essa noite estava de veia para a coisa; estava inspirada; divina! Nunca dançara com tanta graça e tamanha lubricidade! Também cantou. E cada verso que vinha de sua boca [...] era um arrulhar choroso de pomba no cio. E [...], bêbado de volúpia, enroscava-se todo ao violão; e o violão e ele gemiam com o
mesmo gosto, grunhindo, ganindo, miando, com todas as vozes de bichos sensuais, num desespero de luxuria que penetrava ate ao tutano com línguas finíssimas de cobra."
b. "Na planície avermelhada dos juazeiros, alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos, [...] Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala."
c. "Vivia longe dos homens, só se dava bem com animais. Os seus pés duros quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia."
d. "Do seu rosto irradiava singela expressão de encantadora ingenuidade, realçava pela meiguice do olhar sereno [...] Ao erguer a cabeça para tirar o braço de sob o lençol, descera um nada a camisinha de crivo que vestia, deixando nu um colo de fascinadora alvura, em que ressaltava um ou outro sinal de nascença."
e. "Hércules-Quasímodo, reflete o aspecto a fealdade típica dos fracos. A pé, quando parado, recosta-se invariavelmente ao primeiro umbral ou parede que encontra; a cavalo, se sofreia o animal para trocar duas palavras com o um conhecido, cai logo sobre um dos estribos. descansando sobre a espenda da sela”

11) (UFV-MG) Leia os versos:
Esta, de áureos relevos, trabalhada
De divas mãos, brilhante copa, um dia,
Já de aos deuses, servir como cansada,
Vinda do Olimpo, a um novo deus servia.
Era o poeta de Teos que a suspendia.
Então e, ora repleta ora esvazada,
A taça amiga aos dedos seus tinia
Toda de roxas pétalas colmada!
(Alberto de Oliveira)
Assinale a alternativa que contém características parnasianas presentes no poema:
a. Versos impecáveis, misturando mitologia clássica com sentimentalismo amoroso.
b. Descrição minuciosa de um objeto e busca de um tema ligado à Grécia antiga.
c. Revalorização das idéias iluministas e descrição do passado.
d. Busca de inspiração na Grécia clássica, com nostalgia e subjetivismo.
e. Vocabulário preciosista, de forte ardor sensual.

12) (UFMS-MS) A propósito do Naturalismo, é correto afirmar que:

( ) O ser é retratado como produto do meio.
( ) O escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade.
( ) É um tipo de realismo que tenta explicar romanticamente a conduta e o modo de ser dos personagens.
( ) No Brasil, o romance naturalista exalta o homem metafísico, em oposição ao homem animal, cujas ações e intenções o autor condena.
( ) Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do método experimental.




136 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. REALISMO:

    1- C

    2- B

    3-B

    4- C

    5- 01,02,32

    6- C

    7- C

    8- B

    9- A

    10- B

    11- 01+02+08+16=27

    12- 08+16=24

    13- D

    14- D

    15- V,V,F,V,V,F

    16- E

    17- D

    18- D

    19- A


    ROMANTISMO:

    1- E

    2A- MEDIEVALISMO

    2B- Indianismo,

    3- podemos perceber esta diferença, pois a mulher romantica é idealizada inatingível ficando só no plano da teoria. Assim como o amor consumado se estabelece apenas no plano onírico.

    4a– Podemos atestar que no texto I tal passagem se manifesta por meio dos seguintes versos:

    “[...] Sobre o leito de flores reclinada,
    como a lua por noite embalsamada,
    Entre as nuvens do amor, ela dormia!”.

    Enquanto que no texto II, atestamos:

    [...] Ela dormia
    Numa rede encostada molemente...
    Quase aberto o roupão... solto o cabelo
    E o pé descalço no tapete rente”

    4B- Ao fazermos tal análise, devemos levar em consideração que o texto I é de autoria de Álvares de Azevedo, poeta pertencente à segunda geração romântica. Nele, constatamos que a figura da mulher era concebida como algo intocável, divinizado, ou seja, algo chegando ao plano do inatingível, onírico por sinal, como bem nos apontam os últimos versos: “como a lua por noite embalsamada, entre as nuvens do amor, ela dormia!”.

    Já o texto II, sobretudo pelo fato de pertencer ao poeta Casto Alves, pertencente, portanto, à terceira geração romântica, a mulher já não é mais vista sob o plano dos sonhos, mas sim sob uma visão mais realista, razão pela qual constatamos certo erotismo pairando no ar, materializado por meio dos versos: “Quase aberto o roupão... solto o cabelo / E o pé descalço no tapete rente”.

    5- A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A FRANCESA, IDEAIS ILUMINISTAS

    6- A BURGUESIA

    7A- QUANTAS VIRGENS AMEI.

    7B- SIM, POIS O AUTOR, VOLTA-SE À MESA CENÁRIO OPOSTO AO DOS SEUS DELÍRIOS
    7- ELE TEM O CONTATO COM SUA MUSA INSPIRADORA, PORÉM ESTE CONTATO SÓ AUMENTAM SUAS DORES.
    7- QUERIA O AMOR REALIZADO.

    8- f,v,f,f,v

    9- ''ENTRE AS NUVENS DO AMOR ELA DORMIA!'', ''ERA A VIRGEM DO MAR!'', ''ERA UM ANJO, ENTRE NUVENS D'ALVORADA'', ''QUE EM SONHO SE BANHAVA E SE ESQUECIA!''.

    10- E;

    11- C;

    12- B;

    13- A;

    14- E;

    15- D;

    16- A;

    17- E;

    18- B

    19- UMA CANÇÃO POIS PODE SER CANTADO. PRESENÇA DE RIMAS E DO EXÍLIO, POIS O EU POÉTICO ENTRAVA-SE EXILADO

    20- É O AMOR A PÁTRIA E O NACIONALISMO

    21- AQUI E LÁ

    22- EM PORTUGAL, SOLITÁRIO E TRISTE. JÁ NO BRASIL, EXALTA SUAS BELEZAS NATURAIS E A SAUDADE E VONTADE DE UM DIA RETORNAR A SUA PÁTRIA AMADA

    23- SAUDOSISMO, NOSTALGIA.

    24- NÃO, POIS SE TRATA DE UMA VISÃO SUBJETIVA DE SUA PÁTRIA.

    25- BRASIL (LÁ, DISTANTE) PORTUGAL( PROXIMO, AQUI)

    26- NACIONALISMO E NATIVISMO.

    27- E

    28- NACIONALISMO, INDIANOSMO E NATIVISMO. CARACTERISTICAS MUITO IMPORTANTES PARA A CRIAÇÃO DE UMA LITERATURA BRASILEIRA.

    29- SOFRIMENTO DOS ESCRAVOS BRASILEIROS.

    30- C

    31- NÃO DEU PRA SER RESPONDIDO DEVIDO AO FATO DE OS POEMAS NÃO ESTAREM CONTIDOS NO MATERIAL.

    32- E

    NATURALISMO:

    1- A

    2- D

    3- C

    4A- É COMPARADA AOS CORAÇÕES ONDE ABOTOAM, OS SONHOS, UM POR UM, CÉLERES.

    4B- QUE NA VOLTA DAS POMBAS AOS POMBAIS ELAS VOLTAM LIGEIRAS, AGITADAS. PORÉM, DOS CORAÇÕES DE ONDE ABOTOAM OS SONHOS, AS POMBAS VOAM TRANQUILAS, CÉLERES.

    5A- A MADRUGADA, COMO O DESPERTAR DE UM DIA, AO PASSO QUE DE TARDE, REPRESENTA O FINAL DE UMA JORNADA.

    5-B O SINAL DA HORA DE RECOLHER, O VENTO FRIO NO QUAL AS POMBAS ENTENDEM QUE DEVAM VOLTAR PARA OS POMBAIS.

    6- METRIFICAÇÃO RIGOROSA DE DECASSÍLABOS; OBJETIVO E IMPESSOAL.

    7- D

    8- B

    9- B

    10- A

    11- B

    12- D

    ÍTALO NATAN FERRAZ COSTA SARMENTO ACADÊMICO DO 5° PERÍODO DE LETRAS/PORTUGUÊS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS.
    AGRADEÇO A VOCÊ PROFESSORA PELA OPORTUNIDADE QUE ME DESTE DE APRENDER A ENXERGAR ESSE LADO BOM DA LITERATURA QUE ATÉ ENTÃO NENHUM PROFESSOR FOI CAPAZ DE ME DESPERTAR. ESPERO QUE TENHA ATINGIDO MEUS OBJETIVOS PELA SUA DISCIPLINA. DESDE JÁ AGRADEÇO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Italo,
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RESPOSTAS DA ATIVIDADE AVALIATIVA(ROMANTISMO - REALISMO - NATURALISMO)
      PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
      1. (E)
      2. a) Medievalismo
      b) Indianismo
      3. Há semelhanças entre os devaneios e a realidade do eu lírico, pois nos dois momentos ele almeja deleitar no amor. Porém, o amor só se realiza no plano real, pois a mulher idealizada é inacessível.
      4. O texto I, pertence à segunda geração romântica e é de Álvares de Azevedo e o texto II, pertence à terceira  geração e é de Castro Alves. No verso de Alvares de Azevedo: “Entre as nuvens do amor ela dormia!” Nota se que essa mulher está distante. No segundo trecho, a mulher é mais sensual .Isso é perceptível nos versos de Castro Alves:”(...) Quase aberto o roupão... (...) o pé descalço no tapete.”
      5. Revolução francesa e industrial.
      6. A burguesia.
      7. “E Ó meus sonhos de amor e mocidade.”
      b) Nos versos de Alvares de Azevedo: “traz fogo e dois charutos E na mesa do estudo acende a lâmpada...”, o poeta revela que seus devaneios serão encerrados.
      c) O eu lírico tem visões fantasiosas com mulheres idealizadas.
      d) O poeta inebriava com licor. Isso fica claro no verso: “libando Ardentes gotas de licor doirado”.
      e) No leito, o eu lírico sonha em ser poeta e idealiza a concretização do amor. O poema deixa claro essa ideia ao dizer: “Eu sonho-me poeta.”
      8. F,V,F,F,V.
      9. a) No poema , de Alvares de Azevedo as expressões que mergulham a mulher num mundo irreal, são: Entre as nuvens e era um anjo .
      10 E)
      11.C)
      12.B) e E)
      13. A)
      14. E)
      15. D)
      16. A)
      17. E)
      18. B)
      19.(Canção do exílio ). Gonçalves Dias se encontra em Portugal ao escrever o poema. Vivia um exílio físico e geograficamente.
      20. ( Canção do exílio) ilustra o nacionalismo. Isso é claro em: “Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá.”
      21. Cá e lá.
      22.O Brasil apresenta uma natureza exuberante aos olhos do poeta enquanto Portugal possui uma natureza inferior a brasileira.
      23. Saudosismo e patriotismo.
      24. Gonçalves Dias exalta, subjetivamente, a natureza brasileira colocando-a em posição superior a natureza de Portugal.
      25. CÁ -Portugal e LÁ - Brasil.
      26 “Canção do Exílio” se caracteriza como nacionalista, pois quando Gonsalves Dias profere no poema as palavras: “Minha terra” ele se refere ao país, Brasil.
      27. F,V,F,F,V.
      28. Os poema “ Canção do exilio”, e Juca Pirama” de Gonçalves Dias, faz parte da primeira geração romântica marcada por forte espirito nacionalista, pela valorização da natureza e do índio.
      29. O poema Navio negreiro de Castro Alves faz parte da terceira fase romântica chamada Poesia Social. A obra caracteriza a indignação com tantas opressões e a compreensão dos problemas sociais, além de denunciar as injustiças e clamar por liberdade.
      30. C)
      31.Poemas ausentes na atividade
      32. E)
      PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
      1. C)
      2. B)
      3. A) e D)
      4. C)
      5. R:1 , 2, 32
      6.C)
      7. C)
      8. B)
      9.A)
      10. B)
      11. R: 1, 2 , 8 , 16
      12. 8 e 16
      13. D)
      14. D)
      15.V,V,F,V,F
      16.E)
      17.D)
      18. D)
      19. A)
      PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
      1) A)
      2) D)
      3) E)
      4) a) No poema As pombas de Raimundo Correia, o eu lírico compara o revoar das pombas ao amor que invade os corações ingênuos.
      b) As pombas retornam aos pombais enquanto o amor não retorna aos corações.
      5) a) A madrugada é juventude, a tarde é velhice.
      b) Depreendem-se as dificuldades e conflitos vivenciados pelos amantes, distante das famílias.
      6) Culto a forma, culto a razão e o retorno a antiguidade clássica
      7) D)
      8) A), B) , E)
      9) A), B), E)
      10) A)
      11) B)
      12) R: A), B), E)

      Excluir
    2. Maricelma,
      Consegui visualizar a sua atividade.
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  4. PROFESSORA EU NÃO CONSEGUI PUBLICAR DEVIDO A QUANTIDADE DE CARACTERES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maricelma, vc j á foi avaliada , pois verifiquei as suas postagens.
      Att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  5. ACADÊMICA: ELIZABETH LESSA- LETRAS PORTUGUÊS- 5º PERÍODO
    Parte I – Atividade sobre Romantismo
    1. letra E – sono
    2. a) Valorização da tradição medieval
    b) O correspondente brasileiro foi o Indianismo
    3. Análise comparativa: Podemos perceber a diferença entre a mulher do “sonho’ e mulher da “realidade”. O amor consumado só é possível no plano onírico, visto que a mulher romântica é idealizada, intocável, inatingível. Sendo assim, o eu lírico só pode vislumbrar esse envolvimento “romântico” em teoria.
    4. Podemos perceber os diferentes tratamentos dispensados à mulher nas fases do Romantismo. No primeiro texto temos a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo, vejamos o excerto: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo texto, temos a mulher descrita com erotismo, imagem que acompanha a maturidade do movimento literário. Comprovamos esse erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia. Classe que recentemente se apoderou do “dinheiro”, mas ainda não possuía cultura, isto é, uma literatura voltada aos seus anseios.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim. O eu lírico sugere que a viagem foi encerrada quando solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário oposto ao dos delírios amorosos, o leito.
    d) O estado ébrio do eu lírico o coloca em contato com a musa inspiradora dos seus sonhos, contudo esse estágio passageiro faz aumentar a sua tristeza e solidão.
    e) O eu lírico sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. Gonçalves Dias, residindo em Portugal, sentindo-se saudosista da sua terra natal (Brasil), rememora as belezas de sua pátria, por isso o título (canção do exílio) se torna pertinente.
    20. A característica mais forte no poema é o nacionalismo, a exaltação da pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico sente-se triste e sozinho em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra o contentamento em ser brasileiro e a esperança de um dia retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de nostalgia e saudosismo.
    24. Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25. Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26. Observamos a presença das duas características no texto: nativismo e nacionalismo, uma vez que a exaltação da natureza também resulta na exaltação da pátria do eu lírico.
    27 . E
    28 . Nos dois excertos percebemos o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este último mais presente no segundo excerto. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29 . Castro Alves retrata o sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e desprezado.
    30. C
    31 . Os poemas não foram transcritos, fato que impossibilita a resolução do exercício.
    32 . E

    ResponderExcluir
  6. (CONTINUAÇÃO) ACADÊMICA ELIZABETH LESSA
    Parte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A
    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Comparam-se aos sonhos.
    b) Que as pombas sempre voltam aos pombais, enquanto os sonhos, após uma certa idade, não retornam ao coração daquele que sonhava antes.
    5. a) A madrugada – juventude A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) A rígida nortada corresponderia a um acontecimento inesperado, decepção.
    6. Preocupação com rimas, forma fixa, vocabulário precioso.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elizabeth,

      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  7. Naturalismo

    1. A
    2. D
    3. E
    4. a) A que é comparado o revoar das pombas?
    O revoar das pombas é comparado aos sonhos do eu – lírico, que não voltam mais. Pode-se fazer, também, uma alusão ao voo do condor, influência da 3º geração romântica, a condoreira, em que a elevação do pensamento (ou do sonho) é intensa. Assim, há a alusão a mudanças.
    b) Qual é a diferença essencial, segundo o texto, entre os elementos comparados?
    Os sonhos voam, mas não voltam mais ao coração (sua casa), ao contrário das pombas, que voltam aos pombais.
    5. De acordo com os termos dessa comparação, identifique a que correspondem, no plano da vida:
    a) a madrugada e a tarde: as idas e vindas, o início e o fim.
    b) a “rígida nortada”, que as pombas encontram, à tarde, fora, fora dos pombais: os problemas, os empecilhos a realização de algo.
    6. Valorização do soneto (forma); arte pela arte (não há um compromisso com a poesia, ela é devaneio e culto à forma); preciosismo linguístico, como observa-se nas expressões: “E à tarde, quando a rígida nortada / Sopra, aos pombais de novo elas, serenas,/Ruflando as asas, sacudindo as penas,/Voltam todas em bando e em revoada.”, com palavras com sons que ligam-se ao tema.
    7. D
    8. A, B, E.
    9. A, B, E.
    10. A
    11. B
    12. A, B, E.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara,
      Verifiquei as três atividades e responderei aqui neste espaço para as três.
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande professora-leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  8. Realismo

    1. C
    2. B
    3. A e D
    4. C
    5. 1, 2, 32
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. 1,2,8,16
    12. 8 e 16
    13. D
    14. D
    15. V, V, F, V, F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara,
      Já visualizei a sua atividade.
      Att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  9. Romantismo

    24. Não, pois ao retratar sua própria pátria através da visão do exílio, o eu - lírico influenciado pela saudade transborda de subjetividade ao conceituar sua pátria superior às demais.
    25. “Lá” é o Brasil, o lugar da alegria e da perfeição; “cá é o exílio, representante da tristeza, da saudade e da repressão.
    26. Nativista, pois, através de elementos da natureza, o eu - lírico eleva e exalta o povo brasileiro enquanto nação, conforme se observa nos trechos: “Nossos bosques têm mais vida, / Nossa vida mais amores.” em que, além de evocar a nação pela expressão “nossos”, ainda a coloca como uma nação benevolente, ou seja, explicita seu conceito de povo brasileiro, através de elementos da natureza.
    27. F, V, F, F, V
    28. No primeiro excerto, observam-se características nativistas, em que o eu-lírico evoca sua pátria e a eleva através dos elementos da natureza; no segundo excerto ressaltam-se as características indianistas, em que se exalta o povo indígena e seus feitos, colocando-os como heróis.
    29. Os excertos anteriores caracterizam a primeira geração romântica, de cunho nativista e indianista, o excerto de Castro Alves insere-se no contexto da terceira geração romântica, conhecida como condoreira e social. Nesse sentido, observa-se nos excertos de Gonçalves Dias a exaltação do indígena e do Brasil, uma idealização; já nos trechos da poesia de Castro Alves já há uma reflexão mais profunda, acerca da escravidão e da exploração do negro, situada no plano real.
    30. C
    31. O amor, no Romantismo, passa por diversas visualizações, mas há uma característica que se ressalta: a idealização. Há sempre um amor distante, difícil de ser concretizado e perpassado por uma atmosfera onírica. O poeta encontra-se sempre subversivo, e o amor lhe atinge como uma doença. Sua sensibilidade é extremamente sentimental, o que o conduz a um individualismo exarcebado. Nesse sentido, o amor, temática principal especialmente da segunda geração romântica, conhecida como ultra-romântica, é elevado e levado as últimas conseqüências atingindo o eu – lírico no coraçõe, mas também no pensamento, o tomando por completo e fazendo-o vivenciar o amor plenamente, apesar de, majoritariamente, não conseguir concretizá-lo.
    32. E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara, já respondi em outro momento anterior.
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  10. Romantismo

    10. E
    11. C
    12. B e E
    13. A
    14. E
    15. D
    16. A
    17. E
    18. B
    19. Gonçalves Dias, quando escreveu “Canção do Exílio” encontrava-se exilado, fora do Brasil. Para retomar e exaltar sua pátria, então longínqua, o poeta a retoma como canção (poesia), ainda exilado.
    20. Esse poema ilustra o Nacionalismo, retomando características do Brasil, exaltando, conforme os trechos: “Minha terra tem palmeiras onde canta o Sabiá.” (palmeiras e sabiá são elementos tipicamente brasileiros) e “Minha terra tem primores, / Que tais não encontro eu cá;” (comparação do Brasil com o exílio, exaltando sua pátria).
    21. Brasil: “Minha Terra”; “lá”, “nosso”; outros lugares: “exílio”, “cá”, “aqui”.
    22. Sua pátria, o Brasil, é elevada pelo eu – lírico, é um lugar perfeito e harmônico, idealizado. O exílio, por outro lado, é um local de tristeza, sendo isso refletido por sua paisagem, assim como a alegria de estar em sua pátria, o Brasil, também é refletida pela imagem de sua paisagem.
    23. O principal sentimento evidenciado é a saudade, devido ao exílio, mas pode-se observar também a admiração.

    ResponderExcluir
  11. Romantismo:

    5. Um fato histórico de influenciou o Romantismo foi a Revolução Francesa, com os ideais de igualdade, liberdade e fraternidade, por si só já idealizados.

    6. A ascensão da burguesia (em detrimento da aristocracia) influenciou diretamente o Romantismo. A ascensão dessa nova classe fez com que diversos hábitos sociais fossem alterados, entre eles a Literatura, com o intuito de agradar e retratar essa nova classe. Assim, os temas das artes produzidas nesse período revelam características e acepções dessa classe.

    7. a) Destaque os versos do poema que, ironicamente, destroem a idealização amorosa.

    Observa-se isso em:

    “Ó meus sonhos de amor e mocidade,
    Por que ser tão formosos, se devíeis
    Me abandonar tão cedo... e eu acordava
    Arquejando a beijar meu travesseiro?

    Parece que chorei... Sinto na face
    Uma perdida lágrima rolando...
    Satã leve a tristeza! Olá, meu pajem,
    Derrama no meu copo as gotas últimas
    Dessa garrafa negra...
    (...)

    Eu me esquecia:
    Faz-se noite; traz fogo e dois charutos
    E na mesa do estudo acende a lâmpada...”


    b) Pode-se entender, por meio da última estrofe do poema, que a viagem foi encerrada? Por quê?

    Não, pois o poeta pede “traz fogo e dois charutos / E na mesa do estudo acende a lâmpada...”, ou seja, ele deseja iniciar novamente seus devaneios poéticos, criando e recriando o mundo a sua volta, conforme seus sonhos.

    c) Que tipo de visão o eu lírico tem quando sob os efeitos do álcool?

    O eu - lírico sente liberto, vê-se junto a uma mulher, concretizando um amor que só estava no nível do sonho. Enquanto poeta, sente-se livre para criar e viver o que quiser através de sua criação, e tudo isso ocorria em seu leito. Assim, o eu - lírico tem as visões de uma vida liberta e libertina.

    d) De que modo o eu lírico tornava as “longas horas” menos dolorosas?

    Devaneando, tornando-se poeta e criando em seu leito, transformando em palavras o que era somente sonho. Ou seja, ele vivia através da sua poesia aquilo que não experenciava no mundo real.

    e) Que sonhos criava quando se encontrava no leito?

    Sonhava ser poeta, devaneando sobre a vida e criando fantasias, especialmente em relação a sua amada, pois, na atmosfera onírica, esse amor idealizado encontrava espaço para ser vivenciado.

    8. a) F; b) V; c) F; d) F; e) V.

    9. “lua por noite embalsamada”, “nuvens do amor”, “virgem do mar”, “anjo entre nuvens”, “em sonhos se banhava”.

    ResponderExcluir
  12. Romantismo

    1. E
    2. a. O retorno à Idade Média trouxe ao Romantismo a influência da valorização do amor, porém mais forte e mais idealizado, praticamente inalcançável, indicando também o escapismo, ou seja, o desejo de fuga da realidade imediata.
    b. No Romantismo Brasileiro, a manifestação correspondente é o Indianismo ou naturismo, com a valorização do indígena, exaltando-o como um povo guerreiro, forte e destemido, também idealizado, porém nos aspectos morais, além da valorização da natureza e da cor local.

    3. Oh! ter vinte anos sem gozar de leve
    A ventura de uma alma de donzela!
    E sem na vida ter sentido nunca
    Na suave atração de um róseo corpo
    Meus olhos turvos se fechar de gozo!
    Oh! nos meus sonhos, pelas noites minhas
    Passam tantas visões sobre meu peito!
    Palor de febre meu semblante cobre,
    Bate meu coração com tanto fogo!
    Um doce nome os lábios meus suspiram,
    Um nome de mulher... e vejo lânguida
    No véu suave de amorosas sombras
    Seminua, abatida, a mão no seio,
    Perfumada visão romper a nuvem,
    Sentar-se junto a mim, nas minhas pálpebras
    O alento fresco e leve como a vida
    Passar delicioso... Que delírios!
    Acordo palpitante... inda a procuro:
    Embalde a chamo, embalde as minhas lágrimas
    Banham meus olhos, e suspiro e gemo...
    Imploro uma ilusão... tudo é silêncio!
    Só o leito deserto, a sala muda!
    Amorosa visão, mulher dos sonhos,
    Eu sou tão infeliz, eu sofro tanto!
    Nunca virás iluminar meu peito
    Com um raio de luz desses teus olhos?

    No poema acima, a parte sublinhada refere-se ao sonho e o restante a realidade. Observa-se que, nas partes que retratam a realidade, o eu-lírico encontra-se sozinho e angustiado, longe da amada e pensando nela. No sonho, ele concretiza esse amor, impossível na realidade. Assim, visualiza-se um amor inatingível na realidade, a idealização, que só tem espaço para a concretização nos sonhos, reforçando a característica idealizadora.

    4. O primeiro excerto é de Álvares de Azevedo e faz parte da 2º geração romântica, conhecida como byronismo, apresentando uma mulher idealizada e fazendo parte de um plano onírico, inatingível, conforme os trechos “como a lua por noite embalsamada, entre as nuvens do amor, ela dormia!”. O segundo excerto é de autoria de Casto Alves e faz parte da 3º geração romântica, a condoreira. Nela, observa-se que a figura da mulher situa-se mais no plano do real, podendo até caracterizar certo erotismo, conforme se observa nas passagens: “Quase aberto o roupão... solto o cabelo / E o pé descalço no tapete rente”.

    ResponderExcluir
  13. Correção do exercício 3 - Romantismo, a parte sublinhada vai do verso "Oh! nos meus sonhos, pelas noites minhas" a
    "Acordo palpitante... inda a procuro:".

    ResponderExcluir
  14. Prezada Professora Generosa,

    Os exercícios não couberam todos em um único comentário, devido à extensão. Por isso precisei fragmentá-los.
    Desde já agradeço a compreensão,

    Atenciosamente,

    Samara Pereira Baleeiro Rocha
    5º período Letras Português noturno - Unimontes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samara, ficaram ótimas as suas respostas. Já teci os comentários em um momento anterior.
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  15. ACADÊMICA : SAMARA MÁRCIA DOS S. RODRIGUES - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.
    Parte I –Romantismo
    1. E
    2. a) Valorização da tradição medieval.
    b) O Indianismo.
    3. Pode-se perceber a diferença entre a mulher do “sonho’ e a mulher da “realidade”. O amor apenas é consumado no plano dos sonhos, isto porque a mulher romântica é idealizada e intocável.
    4.. No primeiro texto tem-se a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo texto, tem-se a descrição da mulher com erotismo, imagem que demonstra a maturidade do movimento literário. Percebe-se esse erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/. Assim, pode perceber diferentes tratamentos característicos às mulheres nas fases do Romantismo.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim, pode-se perceber que a viagem foi encerrada, quando o eu lírico solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário contrário ao dos delírios amorosos.
    d) O estado alcoolizado do eu lírico faz com que ele esteja com a musa inspiradora dos seus sonhos, mesmo que esse estágio seja passageiro, o eu lírico se torna ainda mais triste, solitário e angustiado.
    e) Sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. “Leito de flores”,” noite embalsamada”, “virgem do mar, era um anjo”, “nuvens do amor”.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. O título do poema se torna pertinente pelo fato de que Gonçalves Dias, residindo em Portugal, sentia saudade da sua terra natal, Brasil, e assim através do poema “Canção do exílio”, recorda as belezas de sua pátria.
    20. A característica mais forte no poema é a exaltação da pátria, o nacionalismo acentuado. /Nosso Céu tem mais estrelas,/ /Nossas várzeas têm mais flores,/ /Nossos bosques têm mais vida,/ /Nossa vida mais amores.”/
    “Minha terra tem primores”.
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico, Gonçalves Dias, sente-se triste e sozinho em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra a felicidade e orgulho em ser brasileiro e a esperança de que antes da morte possa retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de saudosismo e angústia.
    24. Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25. Lá é o Brasil. Cá é Portugal.
    26. Observa-se a presença de duas características no texto: nativismo e nacionalismo, em que a exaltação da natureza também é resultante da exaltação da pátria do poeta.
    27 . E
    28 . Nos dois excertos pode-se perceber o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este mais presente no segundo excerto. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29 . O poeta Castro Alves faz memória ao sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo abatido e desamparado.
    30. C
    31 . Os poemas não foram transcritos, o que impossibilita a resolução da questão.
    32 . E

    ResponderExcluir
  16. (CONTINUAÇÃO) ACADÊMICA: SAMARA MÁRCIA DOS SANTOS RODRIGUES - 5°PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.
    Parte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Comparam-se aos sonhos.
    b) Que as pombas voam e sempre retomam aos seus lugares de pouso,enquanto os sonhos, após uma certa idade, fica no plano imaginário, não retornam ao coração daquele que sonhava.
    5. a) A madrugada – juventude
    A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) Corresponderia a um acontecimento inesperado, uma decepção.
    6. Há a preocupação com a forma, com as rimas e vocabulário precioso.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
  17. (CONTINUAÇÃO PARTE III - NATURALISMO) ACADÊMICA: SAMARA MÁRCIA DOS SANTOS RODRIGUES - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.

    8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
  18. ACADÊMICA: FRANCISCA CAROLINA LIMA ALMEIDA CARDOSO - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS NOTURNO.

    Parte I – Sobre Romantismo
    1. E (sono)
    2. a) A Valorização do período medieval
    b) O Indianismo
    3. A mulher romântica, é considerada, uma mulher dos sonhos, inacessível, , daí dizer que a consumação desse amor só pode se dá num plano onírico. Sendo assim, o eu lírico só pode vislumbrar esse envolvimento romântico em teoria.
    4. No primeiro texto a mulher é aquela inatingível, uma idealização do romantismo, isso é próprio do primeiro período do romantismo, e no texto II, a mulher sai desse plano de sonhos, para algo mais concreto, descrito com sensualidade, é a geração romântica mais evoluída, madura.
    Texto I - “Pálida à luz da lâmpada sombria
    Sobre o leito de flores reclinada
    Como a lua por noite embalsamada(...)”
    Texto II - “(...)Numa rede encostada molemente...
    Quase aberto o roupão... solto o cabelo(...)”
    5. Revolução Francesa e ideias iluministas.
    6. A burguesia. Até porque eles possuíam dinheiro para adquirir as obras.
    7. a) “...Quanta música ouvi que me encantava,
    Quantas virgens amei...”.
    b) Sim. Pois o autor encerra voltando ao cenário, pedindo charuto, fogo e a lâmpada acesa da escrivaninha.
    c) Ele sonha com a imagem dela
    d) Quando ele em contato com aquela que o inspira, sua musa, mas que no entanto, por ser um contato passageiro não diminui sua solidão, dor e tristeza.
    e) Sonhava em gozar da alegria de ter seu amor concretizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. A mulher como: virgem do mar, noite embalsamada, leito de flores, um anjo, nuvens do amor.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. Estando residindo em Portugal, Gonçalves Dias sentia muitas saudades de sua terra, Brasil, fazendo-se assim lembrar das belezas de sua pátria, daí dizer canção do Exílio, pois se encontrava exilado.
    20. O nacionalismo, amor a pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    21. “Aqui” e “lá”
    22. Ele se sente só e triste em Portugal, e destaca as belezas do Brasil, demonstrando sua alegria por ser brasileiro e sentindo-se esperançoso de um dia voltar à sua terra.
    23. Os sentimentos são de saudosismo e nostalgia.
    24. Não porque o eu lírico descreve de forma bem subjetiva, poetizando as belezas de sua pátria de forma geral.
    25. Lá – Brasil (distante, longe) Cá – Portugal(aqui)
    26. Ambas as coisas: Nativista e Nacionalista, pois possui essas características quando exalta a natureza e exalta sua pátria.
    27 . E
    28 . As características que percebemos são o nacionalismo, indianismo e nativismo, e foram características importantes para a solidificação da literatura brasileira.
    29 . Narrando o sofrimento dos escravos do Brasil, Castro Alves também questiona a desigualdade que há, e há um sentimento de justiça para esse povo tão desprezado e maltratado.
    30. C
    31 . Não foi possível resolver os exercícios pois não há os poemas na questão.
    32 . E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, sua atividade foi analisada (Romantismo).
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  19. ACADÊMICA: FRANCISCA CAROLINA LIMA ALMEIDA CARDOSO - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS NOTURNO.

    Parte II – Sobre o Realismo

    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. (01 , 02 e 32)
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. (01, 02, 08 e 16)
    12. (08 e 16)
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    Parte III – Sobre o Naturalismo
    1. A
    2. D
    3. E
    4. a) É comparado aos sonhos.
    b) As pombas acabam voltando aos pombais, agitadas, enquanto os sonhos após um tempo não voltam ao coração dos sonhadores de antes.
    5. a) A madrugada – juventude, o despertar do dia
    A tarde – vida adulta, velhice, vai terminando o dia
    b) Corresponde a um fato inesperado, uma decepção.
    6. Impessoalidade, uso de rimas e forma fixa.
    7. D
    8. B
    9. A, B, E
    10. A
    11. B
    12. (1, 2 e 5)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, já verifiquei a segunda parte Realismo.
      Grata,
      Profa. Generosa.

      Excluir
    2. Ah, Carol, analisei o Naturalismo, também.
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  20. ACADÊMICA: BRUNA GÉSSICA DE JESUS ANTUNES- 5º PERÍODO DE LETRAS/PORTUGUÊS NOTURNO.

    PARTE I- ATIVIDADE SOBRE O ROMANTISMO

    1. E

    2. a) A característica em questão se refere ao retorno de uma valorização da tradição medieval.
    b) No Brasil a manifestação correspondente foi o Indianismo.

    3. Notamos no poema uma idealização da mulher. Assim, existe uma diferença entre a mulher que é “real” e mulher dos “sonhos” do eu lírico, pois devido mulher amada estar num plano inatingível seu amor só pode ser consumado na imaginação.

    4. Percebemos nesses dois poemas que no primeiro a mulher é idealizada, tratada como intocável, inatingível, o que caracteriza a primeira fase do movimento romântico e pode ser comprovado pelo seguinte trecho: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo notamos que a mulher é retratada com erotismo, como no trecho: Quase aberto o roupão... solto o cabelo/ E o pé descalço no tapete rente.

    5. A revolução Francesa.

    6. A nova classe é a burguesia.

    7. a) /Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim, pois os elementos solicitados pelo eu lírico caracterizam uma nova cena, a do leito, que pode ser interpretada como o fim da viagem.
    c) Sob o efeito do álcool o eu lírico vê sua amada.
    d) Através das “ardentes gotas de licor” que consumia.
    e) O eu lírico ameniza sua dor sonhando com a amada.

    8. F - V - F - F – V

    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.

    10. E
    11. C
    12. B
    13. A
    14. E
    15. D
    16. A
    17. E
    18. B

    19. Devido o autor, Gonçalves Dias, se encontrar em Portugal é despertado nele o espírito saudosista, o que faz com que o título do poema se torne pertinente.

    20. A forte característica romântica presente no poema é a exaltação da pátria, o nacionalismo.
    “Minha terra tem palmeiras,/Onde canta o sabiá,”
    “Nosso céu tem mais estrelas,/Nossas várzeas tem mais flores”

    21. As palavras “aqui” e “lá”.

    22. Para o eu lírico Portugal é um pais em que se sene solitário e triste, enquanto, o Brasil, sua pátria amada é descrita por ele como um lugar maravilhoso em que ele sonha retornar.

    23. Os sentimentos de saudade e nostalgia.

    24. Não, ele idealiza a pátria dando a ela um tratamento subjetivo.

    25. No poema “cá” se refere ao país de Portugal, e “lá” é referente ao Brasil.

    26. Percebemos a presença de ambas as características, tendo em vista que a exaltação da natureza se faz através da exaltação da pátria pelo eu lírico.

    27. E

    28. Nos trechos podemos perceber a presença do saudosismo, nacionalismo, nativismo e indianismo. Sendo esse último predominante no segundo trecho.
    29. No poema, Castro Alves descreveu a situação de sofrimento enfrentada pelos escravos brasileiros.

    30. C

    31. Não houve a transcrição dos poemas, de maneira que se torna impossível a resolução da questão.

    32. E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna,
      Avaliei as três partes: Romantismo, Realismo e Naturalismo.
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  21. ACADÊMICA: BRUNA GÉSSICA DE JESUS ANTUNES- 5º PERÍODO DE LETRAS/PORTUGUÊS NOTURNO.

    PARTE II- ATIVIDADE SOBREO REALISMO

    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    PARTE III- ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO

    1.A 2.D
    3. E

    4. a) Ele é comparado aos sonhos.
    b) A diferença essencial é que as pompas sempre voltam aos pombais, contraditoriamente, os sonhos vão desaparecendo após certa idade.

    5. a) A madrugada corresponderia à juventude e a tarde faz alusão à vida adulta.
    b) A rígida nortada se refere a um acontecimento inesperado, uma decepção.

    6. Podemos citar: o uso de rimas, um vocabulário rebuscado e a forma fixa.

    7.D 8.B 9.A,B,E 10.A 11.B 12.[1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, já analisei a atividade Realismo.
      G. Souto

      Excluir
  22. Parte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A
    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) O revoar das pombas é comparado aos sonhos.
    b) As pombas voltam aos pombais, mas os sonhos não voltam aos corações de quem os sonham.
    5. a) A madrugada – o momento em que os pombos voam para longe. A tarde – o momento em que os pombos voltam aos pombais.
    b) A rígida nortada corresponde a corrente de vento frio que traz as pombas de volta.
    6. A forma fixa – o soneto; preocupação com rimas;
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hayamy, avaliei o Romantismo. Talvez as outras atividades estejam logo abaixo. Vou verificar com cuidado.
      Att
      Generosa Souto

      Excluir
    2. Hayamy, encontrei as atividades do Realismo.e do Naturalismo.
      Espero verificar a do Romantismo.
      Att
      G. Souto

      Excluir
  23. ACADÊMICA: PRISCILLA NEVES - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.

    Parte I –Romantismo
    1. E
    2. a) Valorização da tradição medieval.
    b) O Indianismo.
    3. A diferença entre a mulher do “sonho’ e a mulher da “realidade” do poeta é característica marcante no romantismo, pois o amor apenas se consome no plano dos sonhos, do imaginário, pois a mulher romântica é idealizada e inatingível.
    4.. No primeiro texto temos a idealização da mulher, correspondente a 1ª fase do Romantismo: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo texto, temos a definição da mulher com erotismo, imagem que demonstra a maturidade do movimento literário. Há erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5. Revolução Francesa.
    6. À nova classe que surgia: a burguesia.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Quando o eu lírico solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, podemos perceber que a viagem foi encerrada, trata-se de um panorama contrário ao dos sonhos amorosos.
    d) O estado de alucinação em que o eu lírico se encontra, faz com que ele veja a sua musa inspiradora , nos seus sonhos, no imaginário, mesmo que esse estágio seja apenas uma passagem boa que mais tarde se voltará a ser triste.
    e) O poeta sonha com o amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. “Leito de flores”,” noite embalsamada”, “nuvens do amor”, “virgem do mar, era um anjo”.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. Quando Gonçalves Dias escreveu este poema, cursava Faculdade de Direito em Coimbra. Vivia, desta forma, um exílio físico e geográfico. E assim, através deste poema “Canção do Exílio”, o poeta descreve a saudade do seu país, suas belezas inigualáveis.
    20. A característica marcante no poema é a exaltação da pátria, o nacionalismo. Percebemos nos versos:
    /Nosso Céu tem mais estrelas,/ /Nossas várzeas têm mais flores,/ /Nossos bosques têm mais vida,/ /Nossa vida mais amores.”/
    21. “Aqui” e “lá”
    22. Em Coimbra, o eu lírico, sente-se solitário. Já do Brasil, o eu lírico é feliz e realizado com a beleza e os prazeres inigualáveis da sua terra.
    23. Os sentimentos de saudosismo e nostalgia.
    24. Não, a descrição do eu lírico é subjetiva. Trata apenas das belezas da sua pátria de forma poética, não apontando nada que contradiga a imagem descrita por ele.
    25. Lá - Brasil. Cá - Portugal.
    26. Há duas características no texto: nativismo e nacionalismo, em que a exaltação da natureza é resultado da exaltação da pátria pelo poeta.
    27 . E
    28 .Podemos perceber o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo o indianismo mais presente no segundo excerto.
    29 . Castro Alves retrata o sofrimento dos escravos no Brasil. Faz menção a desigualdade e a desumanidade presente na vida do povo brasileiro escrevo, estes movidos pelo sofrimento e desesperança.
    30. C
    31 . Os poemas não foram transcritos, não há como resolver a questão proposta.
    32 . E

    ResponderExcluir
  24. CONTINUAÇÃO: PRISCILLA NEVES

    Parte II –Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    Parte III –Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) É comparado aos sonhos.
    b) As pombas voltam ao lugar onde repousam, já os sonhos do poeta, após certo tempo não é mais retornado ou vivido pelo eu poético.
    5. a) A madrugada – juventude e A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) Corresponde-se a um acontecimento inesperado.
    6. Forma fixa, vocabulário exemplar e uma preocupação com rimas.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Priscilla,
      Analisei e avaliei as suas TRÊS atividades.
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  25. CECÍLIA LOPES VIANA - ACADÊMICA DO 5º PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS NOTURNO.

    PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1) E

    2) a- Foi a característica do Indianismo.


    b- O indianismo é caracterizado pela utilização da figura indígena como herói nacional, em que sua imagem é caracterizada por símbolos de patriotismo e brasilidade. É a busca às raízes, à origem do brasileiro. Como exemplo podemos citar a obra de José de Alencar em “O Guarani”

    3) Fica claro que a mulher aparece em dois planos diferentes. Há uma diferença entre a mulher que é real e a mulher dos sonhos do eu lírico, dessa forma, percebemos a idealização da mulher, pois, uma vez que a mulher amada está num plano inatingível, o seu amor amor só pode ser consumado na imaginação.

    4) a- Podemos perceber que no texto I a mulher se mostra mais distante e envolta numa atmosfera mórbida
    b- Texto I – Álvares de Azevedo – 2ª geração romântica / Texto II – Castro Alves – 3ª geração.
    5) O Romantismo no Brasil foi fortemente influenciado pelos ideais do iluminismo e pela liberdade conquistada na Revolução Francesa.
    6) Burguesia

    7) a- eu acordava arquejando a beijar meu travesseiro / Parece-me que vou perdendo o gosto / Quantas virgens amei!(...)
    b- Sim, é possível depreender, pois no final da estrofe o autor volta-se à mesa do estudo e acende a lâmpada, ou seja, volta-se à mesa cenário de volta aos seus delírios.
    c- O eu lírico quando está sob efeitos do álcool faz contato com a sua musa inspiradora, porém, é possível depreender que este contato, embora o faço, só aumenta as suas dores.
    d- Bebendo licor, fumando e lendo romances eróticos.
    e- Tinha sonhos de ser poeta e de ser feliz, em mundos de fantasia habitados pelas grandes amantes da literatura como Margarida, Elvira, Clarissa
    8) F - V - F - F – V
    9) Entre as nuvens do amor ela dormia! / Era a virgem do mar! Na escuma fria
    / Era um anjo entre nuvens d’alvorada Que em sonhos se banhava e se esquecia
    10) E
    11) C
    12) B
    13) A
    14) E
    15) D
    16) A
    17) E
    18) B

    19) A autor no momento em que escreve está residindo em Portugal, sendo assim, ele sentia saudades da sua pátria amada. O exílio corresponde ao fato dele estar exilado.


    20) Amor a pátria e o nacionalismo - Nosso Céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores / As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá
    21) As palavras AQUI e lÁ.
    22) Podemos perceber que o eu lírico se encontra triste e solitário quando está em Portugal. Já no Brasil ele exalta as suas belezas naturais com saudade e vontade de poder voltar um dia a sua pátria amada.
    23) Saudade, saudosismo, nostalgia, encanto
    24) Não se trata de objetivismo e imparcialidade, pois o eu lírico utiliza-se de uma visão subjetiva ao falar da sua pátria
    25) Lá – é no Brasil / Aqui – é em Portugal
    26) É possível identificarmos os dois, principalmente o nacionalismo, pois ela exalta o Brasil com suas belezas naturais, demonstrando a saudade e vontade de um dia voltar a sua pátria amada. Ela coloca o Brasil em situação melhor que em Portugal.
    27) E
    28) Canção do Exílio possui a temática própria da primeira fase do Romantismo brasileiro, em sua mescla de nostalgia e nacionalismo - o tema do exílio, da saudade da terra natal prestava-se à intenção de criar símbolos poéticos que funcionassem ao mesmo tempo como símbolos nacionais. Podemos perceber características como, o nacionalismo, indianismo e o nativismo.

    29) O poeta lembra do sofrimento dos escravos brasileiros. Castro Alves questiona a desigualdade de um povo desamparado e o seu sentimento de justiça.
    30) C
    31) Os textos para a análise não constam no material.
    32) E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecília, avaliei o Romantismo, apenas. Aguardo as outras mais abaixo.
      Att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  26. Atividade Romantismo
    Parte II

    10 – E
    11 – C
    12 – B
    13 – A
    14 – E
    15 – D
    16 – A
    17 – E
    18 - B

    19. O poema recebe esse título, porque quando foi escrito o autor, Gonçalves Dias, encontrava-se exilado em Coimbra – Portugal.
    20. A característica própria do romantismo, mais presente no poema é o nacionalismo. Podemos encontrar essas características em trechos como:
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”“Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. Aqui, lá, cá,
    22. O exílio representa para o eu lírico um ambiente de solidão, onde se encontra sozinho, onde não pode contemplar belezas naturais, e, portanto deseja voltar para sua terra. Em contrapartida, o Brasil é a terra que ama, que sente saudades, o lugar onde deseja morrer. Aqui ele encontra belezas naturais, o canto dos pássaros, primores próprios de nossa terra.
    23. Em relação à pátria o eu lírico manifesta sentimentos de saudosismo, de lembranças, de nostalgia.
    24. Não. Ao descrever a natureza brasileira o eu lírico imprime o subjetivismo, uma vez que, retrata sentimentos e visões próprias dele, influenciadas, principalmente, pela condição de exilado em que se encontra.
    25. Lá – Brasil, sua pátria.
    Cá – Portugal, o exílio.
    26. Acredito que esse poema contém elementos tanto do nativismo quanto do nacionalismo. O nativismo como característica predominante, principalmente, no que se refere à descrição da natureza. No entanto há também características nacionalistas, uma vez que, é retratada no poema a noção de pátria.
    27 . E
    28 . Nos dois poemas podemos encontrar um traço importante do romantismo brasileiro, a necessidade e o desejo de constituir uma literatura de cunho nacional, que retrate as riquezas naturais e culturais de nosso país. No que tange ao segundo poema, podemos destacar ainda a representação do índio, característica do indianismo.
    29 . Castro Alves é um poeta que retratou em sua poesia o sofrimento do povo brasileiro, principalmente, no que diz respeito ao regime de escravidão e as lutas abolicionistas. Nesse trecho do poema ele traça um diálogo com Deus, questionando sobre a maldade de alguns homens que transformam a terra em um lugar obscuro, injusto, sofrido.
    30. C
    31 . Não há no exercício os poemas, impossibilitando responder a questão proposta.
    32 . E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hayamy, agora, sim, consegui encontrar as TRÊS atividades. Parabéns.
      Abração.
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  27. CECÍLIA LOPES VIANA - ACADÊMICA DO 5º PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS NOTURNO.

    PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1) C
    2) B
    3) D
    4) C
    5) 01, 02, 32
    6) C
    7) C
    8) B
    9) A
    10) B
    11) 01, 02, 08, 16
    12) 8, 16
    13) D
    14) D
    15) V, V, F, V, F
    16) E
    17) D
    18) D
    19) A

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cecília, agora me chegou sua atividade do Realismo. Ótimo!
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  28. CECÍLIA LOPES VIANA - ACADÊMICA DO 5º PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS NOTURNO

    PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1. A
    2. D
    3. C
    4.
    a) Aos sonhos que voam dos corações.
    b) Que os sonhos, diferentes das pombas, não voltam mais depois que voam. Não revoam
    5)
    a) A madrugada seria momentos de apreensão e a tarde momentos de tranquilidade
    b) Paz, como a resolução de problemas
    6) Podemos destacar em primeiro lugar a descrição das cenas, a impessoalidade do poema e a perfeição formal mais rimas ricas.
    7) D

    8) B
    9) A, B, E
    10) A
    11) B
    12) A, B, E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ceci,
      Recebi a atividade do Naturalismo, também.

      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,

      Grata.
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  29. Acadêmica: Hayamy Ribeiro Dias – 5° período Letras Português noturno
    Parte I – Atividade sobre Romantismo 1.E – sono
    2. a)Medievalismo europeu
    b) Indianismo
    3. 1ª parte realidade: do verso 1 ao verso 9
    Sonho: do verso 10 ao verso 17
    2ª parte realidade: do verso 18 ao verso 26
    Comparação: Enquanto o eu lírico nos conta sua realidade ele deseja estar com uma mulher amada, ressaltando inclusive que aos 20 anos ainda não esteve com nenhuma, ou seja, ele idealiza e almeja a realização de um desejo. Quando sonha, o eu lírico vivencia essa relação que tanto deseja, estando com uma mulher, portanto, no sonho há “efetivamente” a realização de seu desejo.
    4. A mulher, em uma concepção romântica, tanto era vista como um ser ideal, inalcançável, virginal, como também retratada por alguns autores românticos numa perspectiva um tanto erótica e sensualizada. Na primeira geração romântica a mulher era tida como uma musa,mas não era tocada. Na segunda e terceira geração a mulher já era um ser alcançável, atingível, tocada. Podemos destacar algumas expressões nas estrofes mencionadas que corroboram esses diferentes modos de retratar a figura feminina. Na primeira estrofe expressões como: “por noite embalsamada”, “Entre as nuvens do amor ela dormia!”, expressam a mulher idealizada, enquanto na segunda estrofe expressões como: “Numa rede encostada molemente”, “Quase aberto o roupão” enfatiza a mulher como um ser não mais inalcançável.
    5. Instauração dos primeiros modelos democráticos do mundo moderno.
    6. A burguesia
    7. a) “Parece-me que vou perdendo o gosto”
    “Momentos não passei que valem vidas!”
    “Por que ser tão formosos, se devíeis
    Me abandonar tão cedo... e eu acordava
    Arquejando a beijar meu travesseiro?”
    “Parece que chorei”
    “Satã leve a tristeza”
    “Derrama no meu copo as gotas últimas
    Dessa garrafa negra...”
    b) Sim, pois a ultima estrofe evidencia que o eu lírico despertou do sonho, já é noite e agora ele de novo a realidade volta aos estudos e ao charuto.
    c) Quando sob os efeitos do álcool o eu lírico imagina ver a mulher amada em seu leito, palpitante, suspirando, estendo-lhe os abraços o convidando para o amor.
    d) O eu lírico, na tentativa de amenizar as horas de sofrimento, passava o tempo a beber, fumar e a ler romances.
    e) Quando se encontrava no leito o eu lírico sonha ser um poeta, um homem feliz, afortunado, com uma sorte boa. Sonha também com belas mulheres, com noites de amor que tem com elas, são, portanto, sonhos formosos.
    8. F - V - F - F - V
    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.

    ResponderExcluir
  30. Generosa, tive que fragmentar minha parte em três comentários.
    Abraço
    Cecília Lopes Viana

    ResponderExcluir
  31. ATIVIDADE AVALIATIVA – LITERATURA BRASILEIRA
    ACADÊMICA: ODARAH LOREN MEDEIROS DIAS
    5º PERÍODO/LETRAS PORTUGUÊS

    Parte I – Romantismo
    1-E
    2-a) Medievalismo europeu
    b) O indianismo como manifestação do nacionalismo romântico e valorização das raízes brasileiras.
    3-1ª parte realidade: do verso 1 ao verso 9
    Sonho: do verso 10 ao verso 17
    2ª parte realidade: do verso 18 ao verso 26
    Análise Comparativa: Na primeira parte do poema (realidade) o eu lírico expressa seu desejo de estar com uma mulher, revelando assim uma angústia por, aos vinte anos de idade, não ter gozado de uma companhia feminina. No sonho, o eu lírico concretiza esse desejo e, nesse momento, vivencia o prazer de estar com uma mulher. Na terceira e última parte, momento em que o eu lírico acorda e retorna à realidade, expressa, mais uma vez a angústia, demonstra infelicidade e sofrimento pelo silêncio, proporcionado pela ausência da figura feminina, que o circunda.

    4- No primeiro poema, obra de Álvares de Azevedo, poeta típico da 2ª geração romântica, a mulher é vista como ser supremo, uma deusa, constituindo-se, assim, como uma mulher idealizada, o que é perceptível no verso “Como a lua por noite embalsamada”. No segundo poema, obra de Castro Alves, poeta da 3ª geração romântica, a mulher já é retratada de forma mais sensualizada, como se comprova através do verso: “Quase aberto o roupão... solto o cabelo”.
    5- A chegada da família real portuguesa, em 1808.
    6- A burguesia.
    7- a) “Parece-me que vou perdendo o gosto”
    “Momentos não passei que valem vidas!”
    “Por que ser tão formosos, se devíeis
    Me abandonar tão cedo... e eu acordava
    Arquejando a beijar meu travesseiro?”
    “Parece que chorei”
    “Satã leve a tristeza”
    “Derrama no meu copo as gotas últimas
    Dessa garrafa negra...”.
    b) Sim, através do último verso do poema subentende-se que o eu lírico retorna às suas atividades corriqueiras (estudo e charutos).
    c) Sob efeito do álcool o eu lírico imagina a mulher amada deitada em sua cama a delirar e, estendendo-lhe as mãos, o convida a amar.
    d) A fim de amenizar seu sofrimento, o eu lírico se voltava à bebida, ao fumo e à leitura de romances.
    e) Em seus sonhos o eu lírico relembrava seus tempos de mocidade, as virgens que amou e pensava ser um poeta formoso, alegre e realizado.
    8) F - V - F - F - V
    9) a) “Entre as nuvens do amor ela dormia!” “Era um anjo entre nuvens d’alvorada”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odarah, avaliei o Romantismo.
      Abração,
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  32. PARTE II- Romantismo
    10 E
    11 C
    12) B
    13) A
    14) E
    15) D
    16) A
    17) E
    18) B
    19) No momento em que escreveu o poema, o poeta Gonçalves Dias encontrava-se exilado em Coimbra, Portugal.
    20) Caracteriza o nacionalismo, recorrente na 1ª geração romântica. Os seguintes trechos evidenciam esse sentimento nacionalista: “Nosso Céu tem mais estrelas”, “Nossas várzeas têm mais flores” “Minha terra tem primores, “Que tais não encontro eu cá”.

    21) As palavras “lá”, “cá” e “aqui” , evidenciam essa antítese.
    22) Para o eu lírico, em sua terra natal a natureza é mais bela e se manifesta de maneira especial, o que lhe proporciona prazer. O exílio representa um lugar de solidão, onde o eu lírico sente-se privado de gozar dos primores encontrados no Brasil, sua terra natal.
    23) O eu lírico expressa um sentimento de nostalgia, saudade de sua terra natal.
    24) Não. O eu lírico expressa, explicitamente, seu desejo em retornar à sua terra natal.
    25) “Lá” corresponde ao Brasil, sua terra natal.
    “Cá” corresponde à Coimbra - Portugal, local onde se encontra exilado.
    26) Em minha opinião, o poema expressa tanto o nativismo quanto o nacionalismo pelo fato de retratar a natureza mas também o sentimento de nacionalismo, o amor pela nação.
    27) F-V-F-F-V
    28) Os dois poemas retratam a preocupação romântica de retratar o nacionalismo. Contudo, o primeiro poema retrata um intenso lirismo, enquanto o segundo poema revela uma poesia social, principalmente em referência ao negro em solo brasileiro.
    29) O poeta Castro Alves caracteriza-se por evidenciar causas de liberdade e justiça, principalmente no que diz respeito à escravidão. No poema Navio negreiro, e, de acordo com o trecho destacado, percebemos que o eu lírico dialoga com Deus, interrogando-o sobre as maldades e injustiças causadas pelos homens aos escravos. Nesse sentido, ele evoca o mar para que carregue e apague todas essas transgressões.
    30) C
    31) Ausência dos poemas relatados no enunciado, o que impossibilitou a realização da questão.
    32) E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, Odarah. Visualizei a segunda parte do Romantismo.
      G.Souto

      Excluir
    2. Odarah, avaliei as três partes da sua atividade avaliativa.
      Parabéns !
      Foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
    3. Muito obrigada,Generosa!
      Sabemos que todo conhecimento conquistado através das aulas de literatura serão de fundamental importância para nosso crescimento acadêmico e profissional!Muito obrigada!
      Beijos!
      Odarah Medeiros

      Excluir
  33. Atividade - Realismo
    1) C
    2) B
    3) D
    4) C
    5) Afirmativas 01, 02 e 32
    6) C
    7) C
    8) B
    9) A
    10) B
    11) Afirmativas 01, 02, 08 e 16
    12) Afirmativas 08 e 16
    13) D
    14) D
    15) V V F V F
    16) E
    17) D
    18) D
    19)A

    Atividade - Naturalismo
    1)A
    2)D
    3)E
    4) a- É comparado aos sonhos.
    b- As pombas retornam aos pombais, contudo os sonhos não retornam aos corações de seus sonhadores.
    5) a- A madrugada e a tarde – o momento em que os pombos voam para longe e o momento em que os pombos voltam aos pombais, respectivamente.
    b- A rígida nortada refere-se ao frio que os pombos encontram fora do pombal.
    6. O descritivismo, a preocupação com a estética (busca a perfeição), forma fixa (soneto).
    7)D 8)B 9)A,B,E 10)A 11)B 12) Afirmativas 1, 2 e 5.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romantismo parte1
      1-E
      2-a) Medievalismo europeu
      b) O indianismo tendo como manifestação o nacionalismo romântico e valorização das raízes e culturas brasileiras.
      3-Realidade: do verso 1 ao verso 9
      Sonho: do verso 10 ao verso 17
      Realidade: do verso 18 ao verso 26
      Análise Comparativa: Na primeira parte do poema -realidade- o eu lírico demonstra seu desejo de estar com uma mulher, revelando assim uma tristeza por, aos vinte anos de idade, não ter aproveitado ao lado de uma mulher. No sonho, o eu lírico realiza esse desejo e, nesse momento, vivencia o prazer de estar com uma mulher. Na terceira parte, momento em que o eu lírico desperta para realidade, em que ele mostra mais uma vez a angústia, demonstrando sofrimento e infelicidade pelo silêncio, motivado pela falta da figura feminina.

      4- No primeiro poema, obra de Álvares de Azevedo, poeta típico da 2ª geração romântica, a figura feminina é vista como algo intocável, uma deusa, sendo assim, como uma mulher idealizada, o que é notável no verso “Como a lua por noite embalsamada”. No segundo poema, obra de Castro Alves, poeta da 3ª geração romântica, a mulher já é mostrada de forma mais sensual, como verificamos no verso: “Quase aberto o roupão... solto o cabelo”.
      5- A vinda da família real portuguesa.
      6- A burguesia.
      7- a) “Parece-me que vou perdendo o gosto”
      “Por que ser tão formosos, se devíeis
      Me abandonar tão cedo... e eu acordava
      Arquejando a beijar meu travesseiro?”
      “Momentos não passei que valem vidas!”
      Arquejando a beijar meu travesseiro?”
      “Parece que chorei”
      “Satã leve a tristeza”
      “Derrama no meu copo as gotas últimas
      Dessa garrafa negra...”.
      b) Sim, no último verso do poema subentende-se que o eu lírico volta às suas atividades corriqueiras.
      c) Alcoolizado o eu lírico imagina a mulher amada deitada em sua cama aos delírios, estendendo-lhe as mãos, convidando a amar.
      d) Com o intuito de diminuir o sofrimento, o eu lírico voltava à beber,fumar e à fazer leitura de romances.
      e) Em seus sonhos o eu lírico se lembrava dos tempos de mocidade, as virgens que tinha amado, pensava ser um poeta feliz e realizado.
      8) F - V - F - F - V
      9) a) “Entre as nuvens do amor ela dormia!” “Era um anjo entre nuvens d’alvorada”.


      Excluir
    2. Sinvagna, verifiquei sua atividade do Romantismo.
      Att
      G. Souto.

      Excluir
  34. PARTE I: ATIVIDADES SOBRE O ROMANTISMO
    1: Sono
    2: Heroísmo, ufanismo, nacionalismo. B) No Brasil, o correspondente foi o Indianismo.
    3 )
    Realidade Sonho Realidade
    Oh! Ter vinte anos [...] Oh! Nos meus sonhos , pelas noites minhas [...] Acordo palpitante... inda a procuro:
    No início do poema, o eu lírico canta a infelicidade de ter chegado aos vinte anos sem a realização do amor. Posteriormente, em um ambiente onírico é acometido de visões da uma dama semi-nua, representação simbólica do seu objeto de desejo. Mas quando desperta, percebe que fora tudo uma ilusão e começa a chamá-la novamente, sem sucesso.

    5) A ascensão da nova classe social, chamada burguesia, influenciou o Romantismo, uma vez que era necessário criar uma literatura que representasse os novos ideais defendidos por essa classe.
    6) A classe burguesia almejava uma literatura que falasse de suas aspirações, de um desejo de realização plena nos níveis sociais e amorosos. Daí veio o caráter idealizado do Romantismo.
    7) “Parece-me que vou perdendo o gosto [...]” “Por que ser tão formosos se devíeis / Me abandonar tão cedo [...]” “Satã leve a tristeza [...]”
    b) sim, porque o eu-lírico deixa seus devaneios e faz uma pausa para fumar charutos e escrever.
    c) Visões de poesia e da mulher amada.
    d) Embriagando-se.
    e) Sonha-se ditoso poeta.

    8) a – F, b – V, c – F, d – F, e – V.
    9) Pálida, leito de flores, virgem do mar, anjo entre nuvens d’alvorada.
    10) E.
    11) C
    12) B
    13) A
    14) E
    15) D
    16) A
    17 ) E
    18 ) B
    19) O título “Canção do Exílio” representa o lamúrio de saudade de um eu-lírico longe do Brasil.
    20) Nacionalismo : “As aves que aqui gorjeiam/ não gorjeiam como lá” “Nosso céu tem mais estrelas/ Nossas várzeas tem mais flores ...” “Mais prazer encontro eu lá...”
    21) “cá” representando a terra exilada e sem belezas, e “lá” representando o Brasil, tão amado pelo eu-lírico.
    22) O local do exílio para o eu-lírico é desprovido da belezas paradisíacas que possuem o Brasil.
    23) Saudade.
    24) O eu lírico não é imparcial, porque sua visão está carregada de saudosismo e idealização da pátria.
    25) “ Lá = Brasil” e “Cá = Exílio”
    26) Apesar de ser o Nacionalismo uma característica romântica, considero Nativista o poema de Gonçalves Dias, uma vez que prima pela descrição da natureza, ma não do povo e da cultura brasileira.
    27) B
    28) O Poema “Canção do Exílio” é uma idealização do Brasil e sua natureza, principalmente no aspecto geográfico, no qual o eu-lírico deposita todo o seu sentimentalismo e relembra com saudades da pátria amada.
    Já o poema “Juca Pirama” possui características do que chamamos Indianismo que fora no Brasil a representação da figura de um herói. Na impossibilidade de retomarmos aos cavaleiros medievais, o índio foi o equivalente histórico a ser idealizado como exemplo a ser seguido.
    29) A poesia de Castro Alves é a chamada “poesia engajada” que possuía como motivação uma inconformidade com a exploração dos escravos.
    30) C
    31) Faltaram os poemas para que se faça a análise do amor neles.
    32) E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aluno: Carlos Henrique Teixeira
      5º Período - Letras Português

      PARTEII: ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
      1) C
      2) B
      3) D
      4) C
      5) 01, 02, 32
      6) C
      7)C
      8)E
      9)A
      10) B
      11) 1, 2, 8, 16
      12) 8, 16
      13) D
      14) D
      15) V, V, V, V, F
      16) E
      17) D
      18) D
      19) A

      PARTE III: ATIVIDADES SOBRE O NATURALISMO
      1) A
      2)D
      3) D
      4) Aos sonhos dos homens, que se vão como as pombas. B) As pombas voltam em bandos, os sonhos não.
      5) Madrugada e tarde são momentos distintos, representando respectivamente as ideias de partida e chegada, juventude e velhice. São as fases da vida.
      6) culto à forma, arte pela arte
      7) D
      8) B
      9) V, V, F, F, V
      10) A
      11) A
      12) V, V, F, F, V.


      Excluir
    2. Carlos,
      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  35. RESPOSTAS DO EXERCÍCIO
    PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1- E
    2- a) Medievalismo.
    b) O indianismo.
    3- Com tal análise podemos inferir a distinção entre a mulher do “sonho” e a da “realidade”. A consumação do amor só se realiza no plano fantasioso, no qual a mulher romântica é idealizada, intocável, inatingível. Desse modo, o eu poético só pode alcançar esse amor romântico em teoria.
    4- Mulher idealizada: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/.
    Mulher vista com erotismo: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5- A Revolução Francesa e Industrial, ideais iluministas.
    6- A burguesia se tornava um novo público leitor.
    7- a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim. O eu poético evidencia que a viagem foi encerrada ao solicitar o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, aspectos opostos ao dos delírios amorosos, o leito.
    d) O estado embriagado do eu lírico coloca-o em contato com a musa inspiradora dos seus sonhos, entretanto esse peródo passageiro faz aumentar a sua tristeza e solidão.
    e) O eu lírico sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8- FVFFV
    9- “Entre as nuvens do amor ela dormia!”
    “Era a virgem do mar!”
    “Era um anjo entre nuvens d’alvorada”
    “Que em sonhos se banhava e se esquecia!”
    10- E
    11- C
    12- D
    13- A
    14- E
    15- D
    16- A
    17- E
    18- B
    19- “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias, é intitulado por tal nome, pois “Canção” se caracteriza com rimas, de tal modo o poema pode ser facilmente cantado. Se tratando do termo “do Exílio” configura-se pelo fato do eu-lírico se encontrar exilado, e ansiar pela terra natal.
    20- A característica mais marcante do poema remete-se ao nacionalismo, a exaltação da pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21- “Aqui” e “lá”.
    22- O eu poético sente-se sozinho e triste em Portugal, pois nesse país não tem as bezas que o seu país de origem tem. Já o Brasil, o eu lírico exalta suas belezas naturais e demonstra o contentamento em ser brasileiro e a esperança de um dia retornar à pátria.
    23- Nostalgia e saudosismo.
    24- Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética.
    25- Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26- Notamos a presença das duas características no texto: nativismo e nacionalismo, uma vez que a exaltação da natureza também resulta na exaltação da pátria do eu lírico.
    27- E
    28- Nos dois excertos percebemos o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este último mais presente no segundo excerto. Características importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29- Castro Alves retrata o sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado.
    30-
    31- Nesta questão não consta os poemas.
    32- E

    ResponderExcluir
  36. PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1- C
    2- B
    3- B
    4- D
    5- (1+2+32)
    6- C
    7- C
    8- B
    9- A
    10- B
    11- (1+2+8+16)
    12- (8+16)
    13- D
    14- D
    15- VVFVF
    16- E
    17- D
    18- D
    19- A


    PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1- A
    2- D
    3- C
    4- a) Comparada aos sonhos.
    b) As pombas sempre voltam aos pombais, enquanto aos sonhos, após uma certa idade, não retornam a aqueles que o sonhavam.
    5- a) Madrugada = juventude Tarde = vida adulta/ velhice.
    b) A rígida nortada corresponderia a um acontecimento inesperado, uma decepção.
    6- Metrificação rigorosa de decassílabos, objetivo, impessoal. Preocupação com rimas, forma fixa, vocabulário precioso.
    7- D
    8- B
    9- A, B, E
    10- A
    11- B
    12- (1+2+5)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acadêmica: Miriane Santos Prates
      5° Período
      Letras Português- Noturno

      Excluir
    2. Mariane, recebi suas três atividades acerca do Romantismo, Realismo e Naturalismo.
      Já avaliei, também.
      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  37. Respostas das atividades
    Romantismo
    1-E
    2-a) Valorização do período medieval.
    b) indianismo
    3- Nos versos "oh ter vinte anos sem gozar de leve (...) meus olhos turvos se fechar de gozo" pode-se entender o inicio e o fim da realidade, onde o poeta lamenta não ter gozado dos prazeres do amor.
    4- No texto l a mulher se encontra distante envolta de uma atmosfera mórbida. o texto ll a mulher a mulher é mais terrena. O texto l pertence a 2° geração e o ll pertence a 3° geração.

    5- O fator histórico que influenciou o romantismo foi a revolução francesa

    6- A burguesia

    7-No poema "ideias intimas", destroem a idealização amorosa,ex: "E o meus sonhos de amor e mocidade, por que ser tão formosas, se deveis Me abandonar tão cedo.

    8- F,V,F,F,V

    9-"leito de flores","era um anjo".

    10-E

    11-C
    12-B

    13A

    14E

    15-D

    16-A

    17-E

    18-B
    19-Canção porque há musicalidade. Há rimas

    20- Amor a pátria, presença do nacionalismo.

    21- Aqui, e lá

    22- Ele se encontrava em Portugal, triste e solitário. Ele exalta o Brasil com suas belezas naturais e tem vontade de voltar à sua terra natal.

    23- Saudosismo

    24- Não, o poema trata da subjetividade da sua nação.

    25- Portugal perto, Brasil distante.

    26- Nacionalismo e nativismo.

    27-E

    28-Nacionalismo, nativismo e indianismo.

    29- O poema narra o sofrimento dos escravos no Brasil.

    30-C

    31-Evidenciamos que o amor apresentado no romantismo é repleto de emoção e idealismo. Há predomínio da vida emocional e da visão ilusória, pois os poetas criam uma visão fora da realidade voltados para um universo interior só seu.

    32-B

    REALISMO ll ATIVIDADE
    1- C
    2- B
    3- A, D
    4- C
    5- (01), (02), (32)= 35
    6- C
    7- C
    8-B
    9- A
    10-B
    11-(01)+(02)+(08)+(16)= 27
    12-F, V, F, F, V
    13-D
    14-D
    15-V, V, F, V, F
    16-E
    17- D
    18- D
    19- D

    NATURALISMO lll ATIVIDADE
    1-A
    2-D
    3-B
    4-a) Faz uma comparação entre sonhos.
    b) A diferença é que os sonhos nuncam volta,já as pombas sempre voltam.
    5-a) A madrugada e a tarde podem corresponder respectivamente ao inicio e final do período de um dia que foi vivido, mas acabou e não tem retorno.
    b)Corresponde a um acontecimento inesperado.
    6- rimas, versos decassílabos, modelo clássico.
    7- C
    8-B
    9- A,B,E
    10-A
    11-B
    12-A, B, C





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sueli, avaliei as três atividades.
      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  38. Respostas das questões sobre o Romantismo
    Aluna: Edilene Ferreira dos Santos
    Acadêmica do 5º período de Letras/Potuguês
    Questão 1:
    Resposta: E
    Questão 2:
    a) Valorização da tradição medieval (clássica).
    b) A manifestação correspondente ao Romantismo brasileiro é o Indianismo.
    Questão 3:
    Os sete primeiros versos apresentam a realidade vivida pelo eu-lírico (Oh! ter vinte anos sem gozar de leve...). Dos versos 8 ao 17 (Passam tantas visões sobre meu peito! / Palor de febre meu semblante cobre, ... tem-se a presença do sonho do eu - lírico e dos versos 18 ao 26 o retorno a realidade (Acordo palpitante... inda a procuro: ...). Assim, percebemos que a mulher para os românticos é idealizada, intocável, inalcançável vivendo apenas no sonho, a realidade
    Questão 4:
    Resposta: No primeiro texto a mulher é apresentada como quem alguém inalcançável, é algo sombrio para o eu-lírico ao ver a sua amada somente no plano do inatingível. O estado de dormir da mulher remete a morte “Sobre o leito de flores reclinada/ Como a lua por noite em balsamada/ Entre as nuvens ela dormia” Há a presença do culto a morte! Já o segundo poema retrata a sensualidade da mulher, a visão representada da mulher é de uma lembrança dela de forma erótica. “Quase aberto o roupão... Souto o cabelo/ E o pé descalço no tapete rente”
    Questão 5:
    A independência do Brasil, pois esse fato histórico que pôs na ordem do dia a seguinte questão: o que é ser brasileiro. Assim, o Romantismo assumiu o papel de um dos principais instrumentos nesse processo de “descoberta” do país e de busca da identidade nacional.
    Questão 6:
    No século XIX, o público consumidor da literatura romântica era eminente formado pela burguesia. As origens populares dessa classe não condiziam com o refinamento da arte clássica, cuja compreensão exige conhecimento das culturas grega e latina. A burguesia ensinava por uma literatura que enfocasse seu próprio tempo, seus problemas e sua forma de viver. O romance, por relatar acontecimentos da vida cotidiana e por dar vazão ao gosto burguês pela fantasia e pela aventura, tornou-se o mais importante meio de expressão artística dessa classe.
    Questão 7:
    a) “Parece-me que vou perdendo o gosto/ (...)Esqueci-as no fumo, na leitura/ Das páginas lascivas do romance(...) Quanta música ouvi que me encantava! (...)Quantas virgens amei!(...) Vejo num leito d’oiro a imagem dela”
    b) Sim, percebemos que a viajem foi encerrada pelos versos que representam que já é noite é o fim do dia ( fim da viajem, do sonho) volta-se para a realidade “ Eu me esquecia: (...) E na mesa de estudo acende a lâmpada.
    c) Ele sonha com a sua mulher amada, recorda dos bons tempos de que ali ele se lembrava dela, passando por delírios, fantasias.
    d) O estado alcoolizado do eu-lírico faz com ele recorde de suas horas de fantasias e delírios, porém esse estado faz com que ele sofra mais ao retornar as lembranças.
    e) O eu-lírico sonhava com a possibilidade do amor realizado “Assomos de poesia... Dentre a sombra/Vejo num leito d’oiro a imagem dela/Palpitante, que dorme e que suspira, /Que seus braços me estende...”

    Questão 8:
    Resposta: F - V - F - F - V

    Questão 9:
    a) “Entre as nuvens do amor ela dormia! / Era a virgem do mar / Era um anjo entre nuvens d’alvorada”
    Questão 10:
    Resposta: E
    Questão 11:
    Resposta: C
    Questão 12:
    Resposta: B
    Questão 13:
    Resposta: A

    ResponderExcluir
  39. CONTINUAÇÂO
    Questão 14:
    Resposta: E
    Questão 15:
    Resposta: D
    Questão 16:
    Resposta: A
    Questão 17:
    Resposta: E
    Questão 18:
    Resposta: B
    Questão 19:
    O titulo do poema remete ao canto do eu-lírico que se encontra exilado e com saudade de sua terra natal ( Brasil) e assim, canta as belezas da natureza dessa terra.
    Questão 20
    Nacionalismo, pois apresentam versos como: MINHA TERRA tem palmeiras (...) MINHA TERRA tem primores ... Não permita Deus que eu morra sem que eu volte para lá (...).
    Questão 21
    Aqui/Cá e lá, pois as primeiras palavras remetem ao exílio e a segunda a terra de origem.
    Questão 22:
    O aqui e cá são espaços que não apresentam graça, não despertam no eu lírico o desejo de ficar, não desperta interesse nesse, já o lá é a terra que ele tanto almeja estar, pois tem mais flores, palmeiras , o sabiá canta, porque em sua terra encontra prazer.
    Questão 23
    Sentimento de saudade de sua pátria, pois o eu- lírico encontra-se longe de sua terra.
    Questão 24.
    Não, pois ao descrever a natureza ele demonstra o seu amor, a sua saudade pela terra de forma subjetiva, uma vez que seria impossível demonstrar tamanhos sentimentos como amor e saudade de maneira objetiva e imparcial.
    Questão 25.
    O eu-lírico encontra-se exilado de sua terra, assim o lá é sua terra de origem e o cá é o exílio a distância de sua terra.
    Questão 26.
    O poema de Gonçalves Dias apresenta traços nativistas, porque há nos versos do poema muitos vestígios da natureza como: Palmeiras, Sabiá, flores, bosques; são elementos típicos da riqueza da natureza brasileira.
    Questão27:
    Resposta: E
    Questão 28:
    A “Canção do exílio”, de Gonçalves Dias, com as suas características românticas de saudosismo, nacionalismo, exaltação da natureza e visão idealizada da pátria, tornou-se uma espécie de símbolo da nacionalidade brasileira.
    Questão 29:
    Castro Alves retrata o sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e desprezado.
    Questão 30:
    Resposta: C
    Questão 31:
    Resposta: Não há poemas na questão 31. Assim, nos impossibilitando de responder a questão 31.
    Questão 32:
    Resposta: E
    PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    Questão1. C
    Questão 2. B
    Questão 3. D
    Questão 4. C
    Questão 5. [01 + 02 + 32 = 35]
    Questão 6. C
    Questão 7. C
    Questão 8. B
    Questão 9. A
    Questão 10. B
    Questão 11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    Questão 12. [08 + 16 = 24]
    Questão 13. D
    Questão 14. D
    Questão 15. V V F V F
    Questão 16. E
    Questão 17. D
    Questão 18. D
    Questão 19. A
    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    Questão 1: A
    Questão 2: D
    Questão 3: E
    Questão 4:
    a) Conforme o poema, as pombas são comparadas ao sonho.
    b) A diferença consiste em que as pombas voltam quando voam, mas os sonhos não voltam ao coração.
    Questão 5:
    a) A madrugada: Remete a juventude, a adolescência.
    A tarde: Remete a velhice
    b) A expressão “rígida e nortada” remete a decepção que o eu-lírico passou até chegar a sua velhice.
    Questão 6:
    A preocupação com a forma como: Rima, forma fixa.
    Questão 7:
    Resposta: D
    Questão 8:
    Resposta: B
    Questão 9:
    Reposta: A, B, E Questão10:
    Resposta: A
    Questão11:
    Resposta: B
    Questão12:
    Resposta: [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edilene, recebi e avaliei as suas três atividades(Romantismo, Realismo e Naturalismo).

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  40. ACADÊMICA: Camila Martins Oliveira
    5º Período - Noturno

    RESPOSTAS: PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1. E
    2. a) valores medievais como o amor exaltado inalcançável.
    b) a manifestação correspondente no Brasil foi o Indianismo
    3. Pode-se perceber a diferença entre a mulher real e a do plano da imaginação. Porque a mulher é idealizada, o amor só pode acontecer de verdade nos sonhos.Então esse amor só pode acontecer nos sonhos e não na realidade.
    4. Há diferentes tratamentos da mulher romântica.
    Em "Pálida à luz da lâmpada sombria/Sobre o leito de flores reclinada há uma clara utilização da primeira fase do Romantismo. No segundo texto em Quase aberto o roupão... solto o cabelo há uma evolução da corrente literária.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia. O antigos mecenas, essa classe que teve sua ascensão através do dinheiro, mas não possuía a mesma cultura que a nobreza.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim. Entende-se que a viagem foi encerrada quando o eu lírico pede o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário oposto ao dos delírios amorosos, o leito.
    d) A alucinação coloca o eu lírico junto à musa de seus sonhos, mas por ser apenas um sonho, torna-o triste e solitário por não estar com a mulher de seus sonhos.
    e) O eu lírico sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8. F / V / F / F / V
    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.
    10. E
    11. C
    12. B
    13. A
    14. E
    15. D
    16. A
    17. E
    18. B
    19. O título Canção do exílio é fundamental pois refere-se ao tempo em que Gonçalves Dias residia em Portugal e sentia-se saudosista em relação ao Brasil, sua pátria mãe, relembrando as belezas de seu país..
    20. O traço mais marcante no poema é o nacionalismo, a exaltação da pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico sente-se triste e solitário em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra o contentamento em ser brasileiro e a esperança de um dia retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de nostalgia e saudosismo.
    24. Não. A descrição é subjetiva, pois fala das belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25. Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26. O nativismo e nacionalismo são duas características marcantes, tendo em vista que exaltar a natureza do país também resulta na exaltação do país em si.
    27. E
    28. Pode-se perceber o nativismo, o nacionalismo e o indianismo em ambos ecertos. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29. Castro Alves remonta ao sofrimento dos escravos brasileiros. Além disso, ele questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e ignorado.
    30. C
    31. Não pude responder a essa pergunta tendo em vista que os poemas não foram colocados na questão.
    32. E

    (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila, recebi apenas a atividade do Romantismo. Vou verificar em outros "posts" se vc postou.
      Att
      Generosa Souto

      Excluir
  41. PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1. LETRA E

    2. a) Na Europa, reaparecem motivos medievais,numa tentativa de resgatar o passado histó-
    rico e os heróis nacionais; patriotismo.
    b) O indianismo.

    3. REALIDADE, INÍCIO DO SONHO,. REALIDADE
    As partes relativas a realidade estao indicando um sonho nao concretizado, algo que o narrador deseja com certa intensidade mas nao consegue alcançar: a mulher dos sonhos.

    4. O PRIMEIRO TEXTO FAZ PARTE DA SEGUNDA GERAÇAO DO ROMANTISMO, BASEADA EM UMA ARTE TOTALMENTE VOLTADA PARA O DESAPEGO AO NACIONALISMO E HÁ UM “ MERGULHO" EM UM EXACERBADO SENTIMENTALISMO E PESSIMISMO DOENTIO COMO FORMA DE ESCAPAR DA REALIDADE E DOS PROBLEMAS QUE ASSOLAVAM A SOCIEDADE NA ÉPOCA. A TEMÁTICA PREGADA POR ELES BASEAVA- SE NO SONHO, NO DEVANEIO,O AMOR ERA PLATONICO, A MULHER ERA VISTA COMO UMA FIGURA INANTIGÍVEL,VISTA MAIS NO PLANO ESPIRITUAL.
    JÁ O SEGUNDO TEXTO, ESTÁ RELACIONADO COM A CHAMADA PRIMEIRA GERAÇAO, NA QUAL OS ESCRITORES , SE EMPENHARAM EM REDEFINIR A LITERATURA COMO SENDO GENUINAMENTE NACIONALISTA, VOLTADA PARA AS ORIGENS INDÍGENAS E PARA AS QUESTOES CULTURAIS.

    5. Influenciado pela Independência,em 1822. Nas Artes Plásticas , influencia as obras dos pintores Araújo Porto Alegre (1806-1879), Victor Meirelles (1832-1903) e Rodolfo Amoedo (1857-1941). Na Literatura Brasileira , o marco inicial é a publicação de Suspiros Poéticos e Saudades (1836), de Gonçalvesde Magalhães (1811-1882).
    6. Representou os anseios da burguesia.
    7. a)"(...)As longas horas olvidei libando
    Ardentes gotas de licor doirado,
    Esqueci-as no fumo, na leitura
    Das páginas lascivas do romance(...)".

    b) Nao, ele ainda iria escrever mais coisas.

    c)A imagem da mulher
    d) Bebendo
    e)Vejo num leito d’oiro a imagem dela
    Palpitante, que dorme e que suspira,
    Que seus braços me estende...
    8.e) São típicos do Mal do Século.
    9. Também dos corações onde abotoam,
    Os sonhos, um por um, céleres voam,
    10. e) inacessível
    11. c) indianista
    12. b) Revolução Francesa
    13. a) burguesia
    14. e) objetivismo
    15. d) mal do século
    16. a) nacionalismo
    17. LETRA E
    18. LETRA B
    19.O TÍTULO EXPLICA A SITUAÇAO DO AUTOR, EXILADO EM UM LUGAR LONGE DA SUA TERRA NATAL.
    20. NACIONALISMO.
    "Minha terra tem primores,
    Que tais não encontro eu cá;
    Em cismar – sozinho, à noite –
    Mais prazer encontro eu lá;".
    21.CÁ, LÁ, NOSSAS, MINHA.
    22.PÁTRIA: UM LUGAR QUE NAO APRESENTA NENHUMA QUALIDADE, DIFERENTEMENTE DA TERRA NATAL, ONDE TUDO É BONITO E PRAZEROSO.
    23.PRAZER, SAUDADE, AMOR A PÁTRIA.
    24.SIM. POIS ELE DESCREVE MUITO BEM A NATUREZA DA SUA TERRA, AS AVES, OS BOSQUES,ETC.
    25. LÁ: TERRA NATAL E CÁ: O EXÍLIO.
    26.NATIVISTA. POIS O AUTOR RELATA MAS ESPECIFICAMENTE QUESTOES DA NATUREZA DE SUA PÁTRIA.
    27.F, V,F, F,V
    28. As características presentes da primeira geraçao do romantismo nos fragmentos dos poemas apresentados sao: Exaltação da natureza, criação do herói na figura do índio, sentimentalismo que sao marcantes da chamada geração indianista.
    29.O texto apesentado, também possui características da primeira geraçao do romantismo. Além do amor a pátria, também havia o sentimentalismo e a religiosidade.
    30.LETRA B
    31. O autor idealiza temas, exagerando em algumas de suas características. Dessa forma, por exemplo, a visão que faz da mulher é ilusória pois para o Romantismo, a mulher é uma virgem frágil, assim como o índio é um herói nacional, e a pátria sempre perfeita.Praticamente todos os poemas românticos apresentam uma visão sentimental do amor, já que essa escola literária é movida através da emoção, sendo as mais comuns a saudade, a tristeza e a desilusão. Tais poemas expressam o sentimento do poeta, suas emoções e o modo como enxergam a si mesmo os quais transbordam na poesia. Além disso,o romântico analisa e expressa a realidade por meio dos sentimentos. E acredita que só sentimentalmente se consegue traduzir aquilo que ocorre no interior do indivíduo, sendo a emoção a visão preponderante que move o amor romântico.
    32. LETRA E

    ResponderExcluir
  42. romantismo parte 210 e
    11 c
    12) b
    13) a
    14) e
    15) d
    16) a
    17) e
    18) b
    19) O poeta Gonçalves Dias se encontrava exilado em Portugal(Coimbra) quando escreveu o poema.
    20) O nacionalismo, caracterizado de 1ª geração romântica. Verificamos nos seguintes esse sentimento nacionalista: “Nosso Céu tem mais estrelas”, “Nossas várzeas têm mais flores” “Minha terra tem primores, “Que tais não encontro eu cá”.

    21) As palavras “lá”, “cá” e “aqui”.
    22) Para o eu lírico, em sua terra natal a natureza é superior e mais bela. O exílio é mostrado como um lugar de solidão, em que o eu lírico é impossibilitado de desfrutar de tanta beleza, prazer de viver em sua adorada terra natal.
    23) O eu lírico expressa um sentimento de tristeza, saudade de sua terra natal.
    24) Não. O eu lírico expressa,claramente,o desejo de voltar para a sua terra natal.
    25) “Lá” corresponde ao Brasil, sua terra natal.
    “Cá” corresponde à Coimbra - Portugal, local onde se encontra exilado.
    26) Entendo que o poema revela tanto o nativismo quanto o nacionalismo pelo fato de mostrar a natureza mas também o sentimento de patriotismo, o amor pela país.
    27) f-v-f-f-v
    28) Os dois poemas revelam a preocupação romântica de retratar o nacionalismo. Entretanto, o primeiro poema demonstra um forte lirismo, enquanto o segundo poema revela uma poesia social, principalmente em relação ao negro em solo brasileiro.
    29) O poeta Castro Alves caracteriza-se por revelar causas de liberdade e justiça, principalmente no tange à escravidão. No poema Navio negreiro, e, de acordo com o trecho destacado, notamos que o eu lírico estabelece um diálogo com Deus, indagando-o sobre as maldades e injustiças causadas pelos homens aos escravos. Dessa Forma, ele pede ao mar para que carregue e apague todas essas transgressões.
    30) c
    31) O poema mencionado não se encontra na questão.
    32) e


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinvagna, recebi o Romantismo, está tudo ok.
      Generosa Souto

      Excluir
  43. Atividade - Realismo
    1) c
    2) b
    3) d
    4) c
    5) Afirmativas 01, 02 e 32
    6) c
    7) c
    8) b
    9) a
    10) b
    11) Afirmativas 01, 02, 08 e 16
    12) Afirmativas 08 e 16
    13) d
    14) d
    15) v v f v f
    16) e
    17) d
    18) d
    19)a
    Atividade - Naturalismo
    1)a
    2)d
    3)e
    4) a- É comparado aos sonhos.
    b- As pombas retornam aos pombais, porém os sonhos não retornam aos corações de seus sonhadores.
    5) a- A madrugada e a tarde – A madrugada o momento em que os pombos voam para longe.Tarde o momento em que os pombos voltam aos pombais.
    b- A rígida nortada refere-se ao frio que os pombos encontram fora do pombal.
    6. O descritivismo, a preocupação com a estética (busca a perfeição), forma fixa (soneto).
    7)d
    8)b
    9)a,b,e
    10)a
    11)b
    12) Afirmativas 1, 2 e 5.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinvagna, recebi Realismo e Naturalismo.
      Abraço,
      Generosa Souto

      Excluir
  44. PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1. LETRA C
    2 -LETRA B
    3.LETRA D
    4. LETRA C
    5. (02),(04)
    6. LETRA E
    7.LETRA C
    8. LETRA B
    9.LETRA A
    10. LETRA A
    11.(08) 16)
    12. (08). 16
    13.d) 2, 2, 2, 1 e 1 X
    14. LETRA D
    15. B, C, D
    16. LETRA E
    17. LETRA D
    18. LETRA D
    19.LETRA A

    ResponderExcluir
  45. (continuação)
    ACADÊMICA: Camila Martins Oliveira
    5º Período - Noturno

    RESPOSTAS: PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. (01) + (02) + (32) = 35
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. (01) + (02) + (08) + (16) = 27
    12. (08) + (16) = 24
    13. D
    14. D
    15. V / V / F / V / F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A


    RESPOSTAS: PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1. A
    2. D
    3. C
    4. a) Comparada aos sonhos.
    b) As pombas sempre voltam aos pombais, enquanto aos sonhos, após uma certa idade, não retornam a aqueles que o sonhavam.
    5. a) Madrugada = juventude
    Tarde = vida adulta/ velhice.
    b) A rígida nortada corresponderia a um acontecimento inesperado, uma decepção.
    6. Metrificação rigorosa de decassílabos, objetivo, impessoal. Preocupação com rimas, forma fixa, vocabulário precioso.
    7. D
    8. B
    9. A / B / E
    10. A
    11. B
    12. 1 / 2 / 5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila, avaliei Realismo e Naturalismo, também. Vc está quite com a disciplina.
      Abraço,
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  46. PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1) C, D.
    2).LETRA E
    3)LETRA B
    4) a) OS SONHOS.
    b) AS POMBAS VOLTAM AOS POMBAIS, PORÉM OS SONHOS AOS CORAÇOES NAO VOLTAM MAIS.
    5) a) a madrugada e a tarde;
    b) a “rígida nortada”, que as pombas encontram, à tarde, fora, fora dos pombais.
    6)Sopra, aos pombais de novo elas, serenas, Também dos corações onde abotoam,
    Os sonhos, um por um, céleres voam, Ruflando as asas, sacudindo as penas,
    7) LETRA A
    8) LETRA E
    9) A,E
    10) C
    11) LETRA B
    12)A, D ,E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nayara, avaliei agora o Naturalismo.

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.
      Att.
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  47. PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO


    1.
    R= LETRA E

    2..
    a) A valorização da tradição medieval,saudosismo,
    b) Indianismo

    3.
    R= A partir da análise percebemos a diferença entre a mulher do sonho e mulher da realidade. Em que o amor só se consuma só no plano onírico, uma vez que a mulher romântica é idealizada, intocável. Portanto, o eu lírico só pode entrever esse envolvimento “romântico” em teoria.


    4.
    R= Nos textos acima observamos os diferentes tratamentos dados à mulher nas fases do Romantismo. No primeiro texto encontramos a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo, observemos o trecho: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. No segundo texto encontramos a mulher descrita com erotismo, em que a imagem acompanha a maturidade desse movimento literário. Observemos a trecho que retrata o erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.


    5. R= A Revolução Francesa

    6. A burguesia

    7. a) R= “ Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei.”
    b
    R= Sim. Porque o eu lírico sugere encerramento da viagem quando solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário oposto ao dos delírios amorosos, o leito.
    c) R= O vê a sua amada dormindo.
    d) R= Embriagado o eu lírico se coloca em contato com a musa inspiradora dos seus sonhos, entretanto esse estágio passageiro faz aumentar a sua tristeza e solidão.

    e) R= O eu lírico sonhava com a felicidade do amor realizado

    8.
    R= F,V,F,F,V


    9.
    R= “Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.”
    10.
    R= LETRA E

    11.
    R= LETRA C
    12.
    R= LETRA B

    13.
    R= LETRA A

    14. LETRA= E

    15. R= LETRA D

    16. R= LETRA A

    17. R= LETRA E

    18.
    R= LETRA B


    19.
    R= O autor do poema Gonçalves Dias, exilado em Portugal e sentindo falta do seu país, saudosista da sua terra natal o Brasil, lembra as belezas de sua pátria, por isso o título canção do exílio.

    20.
    R= A temática em destaque no poema é o nacionalismo, a exaltação da pátria.

    21. R= “Aqui” e “lá”

    22. R= O eu lírico se sente isolado e triste em Portugal. No Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e deixa claro o seu contentamento em ser brasileiro esperançoso de retornar à pátria.
    23. R= Sentimentos de nostalgia e saudosismo.
    24. R= Não. Pois a descrição dada pelo eu lírico é subjetiva. Tratando as belezas de sua pátria poeticamente.

    25. Onde é lá? E cá?
    R= Lá – Brasil. Cá – Portugal.

    26..
    R= É possível perceber a presença das duas características no texto: nativismo e nacionalismo. Em que a exaltação da natureza resulta na exaltação da pátria do eu lírico.

    27.
    R= LETRA E

    Questão 28.

    R= Nos dois excertos percebemos o nacionalismo, o nativismo e o indianismo, em que este último está mais presente no segundo trecho. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.


    • Questão 29

    R= Castro Alves na sua poesia dscreve o sofrimento dos escravos brasileiros, questionando o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e ignorado.

    • Questão 30
    R= LETRA C

    • Questão 31

    a – R= Os poemas não foram transcritos, impossibilitando a resolução do exercício


    • Questão 32
    R= LETRA E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia, avaliei o Romantismo.
      Att
      Generosa Souto

      Excluir
  48. PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO



    1. R= LETRA C
    2 R= LETRA B
    3. R= LETRA D
    4. R= LETRA C
    5.

    R= (01 + 02 + 32 = 35)

    6. R= LETRA C

    7.
    R= LETRA C

    8. R= LETRA B
    9. R= LETRA A
    10. R= LETRA B
    11. R= (01 + 02 + 08 + 16 = 27)
    12. R= (08 + 16 = 24)

    13. R= LETRA D
    14. R= LETRA D
    15. R= V V F V F


    16. R= LETRA E
    17. R= LETRA D

    18. R= LETRA D
    19. R= LETRA A


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia, avaliei o Realismo agora.
      Att
      G. Souto

      Excluir
  49. Atividade Avaliativa
    Academica: Thalissa Guedes Rodrigues


    Parte I – Atividade sobre Romantismo

    1. letra E – sono
    2. a) Super valorização da tradição medieval
    b) Indianismo
    3. Análise comparativa: Há a diferença entre a mulher do “sonho’ e mulher da “realidade”. O amor consumado só é possível no plano onírico, visto que a mulher romântica é idealizada, intocável, inatingível. Desse modo, o eu lírico só pode ter esse envolvimento “romântico” em teoria.
    4. Existe os diferentes tratamentos dispensados à mulher nas fases do Romantismo. No primeiro texto temos a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo, como no fragmento abaixo: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. No segundo texto, temos a mulher descrita com erotismo, podemos ver a maturidade do movimento. Comprovamos esse erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia. Classe que recentemente se apoderou do “dinheiro”, mas ainda não possuía cultura, isto é, uma literatura voltada aos seus interesses.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim. O eu lírico sugere que a viagem foi encerrada quando solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário diferente ao dos delírios amorosos, o leito.
    d) O estado extasiado do eu lírico o coloca em contato com a musa inspiradora dos seus sonhos, entretanto esse estágio passageiro faz aumentar a sua tristeza e solidão.
    e) O eu lírico queria a felicidade do amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. Gonçalves Dias, residindo em Portugal, tendo saudades da sua terra natal (Brasil), rememora as belezas de sua pátria, por isso o título (canção do exílio) se torna pertinente.
    20. A característica mais forte no poema é o nacionalismo, a exaltação da pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico sente-se triste e sozinho em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra o contentamento em ser brasileiro e a esperança de um dia retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de nostalgia e saudosismo.
    24. Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética.
    25. Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26. Pudemos ver duas características no texto: nativismo e nacionalismo, sendo que a exaltação da natureza também resulta na exaltação da pátria do eu lírico.
    27 . E
    28 . Nos dois excertos percebemos o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este último mais presente no segundo excerto. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29 . Castro Alves mostra o sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e desprezado.
    30. C
    31.
    32 . E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thalissa,
      Avaliei o Romantismo.

      Att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  50. PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO



    1) (R= LETRA A
    2) R= LETRA D
    3) R= LETRA E
    4- a) R= O revoar das pombas é comparado aos sonhos.
    b) R= A diferença essencial é que as pombas sempre voltam aos pombais, no entanto os sonhos após uma determinada idade não retornam ao coração daquele que sonhava antes.

    5) a)
    R= a) A madrugada – juventude A tarde – vida adulta/ velhice.

    b)
    R= A rígida nortada se refere a um acontecimento inesperado, decepção.

    6)
    R= N o soneto há a preocupação com rimas, forma fixa e vocabulário precioso.

    7) (R= LETRA D
    8) R= LETRA B
    9) R= A, B, E

    10)
    R= LETRA A
    11)
    R= LETRA B
    12) R= . (1, 2, 5)



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia, avaliei o Naturalismo também. Vc está quite com estas atividades.

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
    2. Muito obrigada professora! Eu que agradeço a senhora pelo aprendizado.

      Excluir

  51. Parte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. 01 + 02 + 32 = 35
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. 01 + 02 + 08 + 16 = 27
    12. 08 + 16 = 24
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Se comparam aos sonhos.
    b) As pombas sempre voltam aos pombais, enquanto os sonhos, após uma certa idade, não retornam ao coração daquele que sonhava antes.
    5. a) A madrugada – juventude A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) A rígida nortada esta em relação a um acontecimento inesperado, decepção.
    6. Se preocupa com rimas, forma fixa, vocabulário precioso.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. 1, 2, 5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thalissa, avaliei as três atividades(Partes I, II, III).

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.


      Até...

      Excluir
  52. Sarah Caroline Dias Leão
    1. (E) – sono
    2. a) Os primeiros autores conservavam características clássicas (utilização das regras da produção literária), e nesse sentido que, em Portugal, houve a valorização do medievalismo, em que esse aparecia como um dos temas do Romantismo.
    b) Já no Brasil, observa-se a presença do Indianismo como característica do Romantismo, traços esses (das letras a e b) alusivos à primeira geração romântica.
    3. Do 1º ao 5º verso = Realidade
    6º ao 17º = Sonho
    18º ao 26º = Realidade novamente
    Comparação: Nesse poema, observamos nitidamente a diferença entre o real e o sonho, considerando que o eu-lírico ao falar de sua juventude e da mulher que o deixa feliz, aborda-a em dois planos, inicialmente a tem como “Seminua, abatida, a mão no seio,
    Perfumada visão romper a nuvem” em que o amor só é executado no subconsciente, no sonho, em que “Bate meu coração com tanto fogo!”, “nos meus sonhos, pelas noites minhas”, considerando a representação da mulher no mundo romântico, isto é, a mulher era uma musa, amada e desejada mas não era tocada, o que ocorre quando ele desperta do sonho. Nessa perspectiva, quando o eu lírico acorda dessa ‘realidade’, desse sonho maravilhoso’ “Acordo palpitante... inda a procuro”, mas não a encontra, considerando que ela se mostra como inatingível, intocável, “Imploro uma ilusão... tudo é silêncio! (...) Amorosa visão, mulher dos sonhos”, a figura feminina é frequentemente um sonho, um anjo no movimento romântico.
    4. O movimento Romântico apresenta a mulher em diferentes vieses, considerando que nota-se nesse período literário a representação da mulher como aquela inacessível, aqui na primeira geração, e de forma distinta, é também apresentada como uma figura erótica, já em uma fase mais realista, madura, isto é, na Terceira Geração, em que uma das principais características é o erotismo, a mulher passa ser vista com virtudes e pecados, e é o que notamos nos trechos descritos, a saber, no primeiro texto constatamos a mulher 1ª geração do Romantismo, como podemos evidenciar: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de como abordado no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5. O Romantismo foi fortemente influenciado pelos ideais do iluminismo e pela liberdade conquistada na Revolução Francesa.
    6. Com a ascensão da burguesia surgiu à necessidade de uma arte harmonizada com o contexto social e com o perfil desse público que se formava, essa nova arte é o Romantismo, em que essa classe que ainda não possuía cultura, vê nesse período literário uma literatura voltada aos seus anseios.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim, visto que o eu lírico indica o encerramento da viagem, à medida chama o fogo, pede dois charutos e solicita que acende a lâmpada, panorama, este, contrário ao leito amoroso.
    d) Embriagava-se de modo a ter contato com a musa dos seus sonhos, suavizando, assim, suas longas horas dolorosas.
    e) Com a felicidade do amor concretizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. “Leito de flores”, “noite embalsamada”, “nuvens do amor”, “virgem do mar”, “era um anjo.”
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sarah, analisei o Romantismo, até o número 18.
      att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  53. 19. Gonçalves Dias, autor da Canção, residindo em Portugal, demonstra a saudade da sua terra natal (Brasil), relembrando, brilhantemente, as belezas naturais de sua pátria, o que corrobora com o título, isto é, "O exílio gonçalvino é físico, geográfico e ufanista em relação à terra brasileira diretamente posta em oposição à lusitana e exalta a autenticidade do ente brasileiro através da sua natureza que tem hegemonia sobre a de Portugal." e é o que demonstra mais uma vez características românticas.
    20. O nacionalismo, a exaltação da pátria é a característica intrínseca ao poema, como evidenciamos:
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. “lá” (pátria – Brasil) “Aqui” (exílio – Portugal); Lá - Cá
    22. O exílio em Portugal se mostra melancólico, com descrições da paisagem em detrimento da encontrada na pátria, Brasil, em que há exaltação das belezas naturais, o que evidencia a alegria de ser brasileiro retornar ao país.
    23. Os sentimentos de saudosismo e melancolia.
    24. Indubitavelmente ele não demonstra imparcialidade, uma vez que aborda seu sentimento sobre a paisagem e a pátria em si, ou seja, utiliza da paisagem para demonstrar o sentimento da saudade.
    25. Cá – Portugal; Lá – Brasil.
    26. Acredito que a presença do nacionalismo é bem presente, uma vez que a exaltação da natureza (nativismo) tem um objetivo maior, isto é, a exaltação da pátria em geral, da identidade cultural.
    27. E
    28. Nos textos observamos a presença do nativismo, do nacionalismo e do indianismo, sendo que este último, mais presente no segundo excerto, refere-se a 1º geração romântica no Brasil, sendo importantes para a consolidação da literatura brasileira.
    29. O autor apresenta o sofrimento dos escravos brasileiros, indagando a justiça e a desigualdade presente na sociedade, em que os escravos eram humilhados.
    30. C
    32. E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sarah, avaliei o Romantismo até o número 32. Está completo.
      Abraço,
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  54. Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A
    Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Notamos um sentido metafórico com os sonhos.
    b) As pombas voltam aos pombais, já os sonhos após tempos não retrocede àquele que sonhava antes.
    5. a) A madrugada: juventude A tarde – vida adulta: velhice.
    b) A “rígida nortada” representa, aqui, algo inesperado, desapontamento.
    6. Forma fixa, preocupação com rimas, vocabulário precioso, entre outros
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sarah, avaliei também Realismo e Naturalismo.

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !


      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  55. Acadêmica: Sarah Caroline Dias Leão
    5º Período Letras Português Noturno

    ResponderExcluir
  56. Parte I – Atividade sobre Romantismo
    1. letra E – sono
    2. a) Valorização da tradição medieval
    b) O correspondente brasileiro foi o Indianismo
    3. Análise comparativa: Podemos perceber a diferença entre a mulher do “sonho’ e mulher da “realidade”. O amor consumado só é possível no plano onírico, visto que a mulher romântica é idealizada, intocável, inatingível. Sendo assim, o eu lírico só pode vislumbrar esse envolvimento “romântico” em teoria.
    4. Podemos perceber os diferentes tratamentos dispensados à mulher nas fases do Romantismo. No primeiro texto temos a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo, vejamos o excerto: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo texto, temos a mulher descrita com erotismo, imagem que acompanha a maturidade do movimento literário. Comprovamos esse erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia. Classe que recentemente se apoderou do “dinheiro”, mas ainda não possuía cultura, isto é, uma literatura voltada aos seus anseios.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim. O eu lírico sugere que a viagem foi encerrada quando solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário oposto ao dos delírios amorosos, o leito.
    d) O estado ébrio do eu lírico o coloca em contato com a musa inspiradora dos seus sonhos, contudo esse estágio passageiro faz aumentar a sua tristeza e solidão.
    e) O eu lírico sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. Leito de flores, noite embalsamada, nuvens do amor, virgem do mar, era um anjo.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana C.,
      Recebi Romantismo até o número 18.
      Att
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  57. 19. Gonçalves Dias, residindo em Portugal, sentindo-se saudosista da sua terra natal (Brasil), rememora as belezas de sua pátria, por isso o título (canção do exílio) se torna pertinente.
    20. A característica mais forte no poema é o nacionalismo, a exaltação da pátria.
    “Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o sabiá;”
    “Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores”
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico sente-se triste e sozinho em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra o contentamento em ser brasileiro e a esperança de um dia retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de nostalgia e saudosismo.
    24. Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25. Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26. Observamos a presença das duas características no texto: nativismo e nacionalismo, uma vez que a exaltação da natureza também resulta na exaltação da pátria do eu lírico.
    27 . E
    28 . Nos dois excertos percebemos o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este último mais presente no segundo excerto. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29 . Castro Alves retrata o sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e dezprezado.
    30. C
    31 . Os poemas não foram transcritos, fato que impossibilita a resolução do exercício.
    32 . E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Conceição, avaliei o Romantismo completo, agora.
      Att
      G. Souto

      Excluir
  58. Parte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A
    Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Comparam-se aos sonhos.
    b) Que as pombas sempre voltam aos pombais, enquanto os sonhos, após uma certa idade, não retornam ao coração daquele que sonhava antes.
    5. a) A madrugada – juventude A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) A rígida nortada corresponderia a um acontecimento inesperado, decepção.
    6. Preocupação com rimas, forma fixa, vocabulário precioso.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Conceição, avaliei suas três atividades sobre Romantismo, Realismo e Naturalismo.

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !


      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  59. Respostas do exercício da Professora Generosa
    Acadêmico: Rafael Ramon Barroso Silva
    5° período - Letras Português - UNIMONTES

    RESPOSTAS DO EXERCÍCIO

    ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1) A
    2) a)Entende-se que a valorização da tradição medieval é a característica do romantismo que se liga ao retorno à Idade Média.
    b) No Brasil essa caracteristica foi conhecida como Indianismo.
    3) Percebe-se a diferença entre a mulher do “sonho’ e mulher da “realidade”. O amor consumado só pode ser possível no plano onírico, tendo em vista que a mulher romântica é idealizada, inatingível. Sendo assim, o eu lírico só pode vislumbrar esse envolvimento “romântico” em teoria.
    4) Vários são os tratamentos dispensados à mulher nas fases do Romantismo. Como exemplo encontrado no primeiro texto temos: "Sobre o leito de flores reclinada" e em contrapartida temos no segundo texto "Quase aberto o roupão..." que demonstra uma mulher vista de forma erótica.
    5) Podemos citar a Revolução Francesa como principal fato histórico que acarretou o despertar do nacionalismo no povo.
    6) A burguesia, que era a classe que estava em ascensão naquele momento histórico.
    7) a)"Quanta música ouvi que me encantava" "Quantas virgens amei"
    b)
    Sim
    . o eu lírico sugere que a viagem foi finalizada no momento que solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário que se opõe aos cenários dos delírios amorosos, melhor dizendo, o leito.
    c) Tem visões de sombras, da sua juventude, etc.
    d) O eu lírico entra em contato com a com a sua musa inspiradora dos seus sonhos através do efeito da bebida, porém esse fato é passageiro, aumentando ainda mais sua melancolia.
    e) Sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8) F V F F V
    9) a)Anjo entra as nuvens d'alvorada, entre as nuvens do amor ela dormia.
    10) E
    11) C
    12) B
    13) A
    14) E
    15) D
    16) A
    17) E
    18) B
    19) Chama-se "Canção do Exílio" pois seu autor, Gonçalves Dias, encontrava-se em Portugal e sentia falta de sua terra, o Brasil.
    20) O Nacionalismo (exaltação à pátria) "Nosso céu tem mais estrelas"
    21) Palavras como "minha terra" e "lá" são usadas pelo autor para falar de sua pátria, e "cá" para falar de Portugal, onde o mesmo se encontrava quando escreveu o poema.
    22) Para ele, Portugal (cá) é triste e sem graça, e o Brasil é um lugar de grandes belezas que são exaltadas todo o tempo pelo autor.
    23) Saudosismo e nostalgia (causados pela falta que sente do Brasil)
    24) Não. A descrição feita pelo autor é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25) "lá" é a pátria do autor, o Brasil, e "cá" se trata de Portugal, onde o autor se encontrava.
    26) Existem duas características no texto: o nacionalismo e o nativismo, pois exaltando a natureza, o autor também exalta sua pátria.
    27) E
    28) Nos dois exemplos percebemos o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este último mais presente no segundo exemplo. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29) Castro Alves nos mostra o sofrimento dos escravos brasileiros, questionando o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo humilhado e que é sempre desprezado.
    30) C
    31) Não foram encontrados os referidos poemas no exercício.
    32) E

    ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1) C
    2) B
    3) D
    4) C
    5) [01 + 02 + 32 = 35]
    6) C
    7) C
    8) B
    9) A
    10) B
    11) [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12) [08 + 16 = 24]
    13) D
    14) D
    15) V V F V F
    16) E
    17) D
    18) D
    19) A

    ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1) A
    2) D
    3) E
    4) a) É feita uma comparação aos sonhos.
    b) A diferença é que as pombas sempre regressam aos pombais, enquanto os sonhos, chegada uma certa idade, não retornam ao coração.
    5) a) A madrugada, que remete a juventude. A tarde, que remete a vida adulta e a velhice.
    b) A rígida nortada corresponde a um certo acontecimento inesperado, uma decepção.
    6) Preocupação com as rimas, a forma fixa e o vocabulário precioso.
    7) D
    8) B
    9) A / B / E
    10) A
    11) B
    12) [1, 2, 5]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, verifiquei as três atividades(Romantismo, Realismo e Naturalismo).

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !


      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  60. Segue o link do meu blog onde também postei as respostas do exercício.
    http://ondestaoerro.blogspot.com.br/2013/06/respostas-do-exercicio-da-professora.html

    ResponderExcluir
  61. Respostas referentes à Atividade Avaliativa de Literatura Brasileira
    “Romantismo”
    1) (E) sono
    2) a- Com o retorno à Idade Média, o Romantismo buscou resgatar e valorizar as tradições desse período (medieval).
    b- Essa manifestação mostrava o índio como o heroi nacional e ficou conhecida como Indianismo.
    3) Do primeiro ao quinto verso “a realidade”, do sexto ao décimo sétimo verso “o sonho” e do décimo oitavo ao vigésimo sexto verso “a realidade novamente”.
    O poeta mostra em seu poema a mulher romântica, idealizada, da realidade, desejada, porém distante, intocável, inatingível. A mulher do sonho: a aproximação dessa só se dá em sonho, da qual jamais poderá desfrutar. A mulher é a fonte de inspiração do poeta.
    4) No primeiro texto percebe-se a figura da mulher idealizada, decorrente da primeira fase do Romantismo “Como a lua por noite embalsamada” / “Entre as nuvens do amor ela dormia”.
    No segundo percebe-se a forma como o período do romantismo foi se desenvolvendo e a mulher vai ganhando outras características, livre, erótico etc. “... Numa rede encostada molemente” / “Quase aberto o roupão... solto o cabelo.”
    5) A Revolução Industrial (um dos grandes acontecimentos históricos que influenciou o Romantismo).
    6) O novo público leitor que surgiu era a burguesia. A este fator deve-se a literatura com uma linguagem mais voltada a essa classe pretensiosa.
    7) a- a destruição da idealização amorosa é perceptível nos versos “Quanta música ouvi que me encantava” / “Quantas virgens amei”.
    b- Pode sim, uma vez que, na última estrofe o poeta traz fogo e charuto e está envolta a uma mesa para começar o estudo. A parir disso depreende-se que a viagem foi, de fato, encerrada.
    c- Tomado por delírios, o eu-lírico vê a mulher desejada a dormir e em meio a suspiros e lhe estende os braços.
    d- O eu-lírico utiliza-se do charuto, e da bebida para tornar suas horas menos dolorosas etambém na leitura.
    “As longas horas olvidei libando
    Ardentes gotas de licor doirado,
    Esqueci-as no fumo, na leitura
    Das páginas lascivas do romance...”
    e- Em seus sonhos tem-se a realização do amor que tanto almeja.
    8) (F), (V), (F), (F), (V)
    9) “leito de flores”, “noite embalsamada”, “nuvens do amor”, “virgem do mar”, era um anjo”, “na escuma fria”, nuvens d’alvorada.
    10) (E) inacessível
    11) (C) indianista
    12) (B) Revolução Francesa
    13) (A) burguesia
    14) (E) objetivismo
    15) (D) mal do século
    16) (A) nacionalismo
    17) (E) em sua segunda fase, apresentou poetas cuja inclinação para o mistério e a morte os colocava sobre o clima do “mal do século”
    18) (B) busca de temas nacionais, sentimentalismo e imaginação
    19) Gonçalves retrata sua tristeza por estar distante sua terra natal, que é o Brasil, sente-se exilado e relembra as belezas de sua terra que não encontra na qual se encontra, que é Portugal.
    20) O Patriotismo, Nacionalismo
    ”Nosso Céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.”
    “Minha terra tem primores,
    Que tais não encontro eu cá;
    Em cismar – sozinho, à noite –
    Mais prazer encontro eu lá;”
    21) “Aqui” e “lá”
    22) Muita tristeza e solidão que permeiam os verso do poeta. Saudades de sua terra, triste por estar longe dela. Deseja retornar à sua terra natal.
    23) Saudades, tristeza e dor.
    24) Não. O poeta utiliza uma linguagem subjetiva poetizando sua pátria amada.
    25) Lá – Brasil. Cá – Portugal.
    26) Nota-se claramente o nacionalismo (belezas de sua terra) e o nativismo ( belezas presentes na natureza de sua terra natal).
    27) (E) São típicos do Mal do Século
    28) Nos dois fragmentos tem-se as características:o nacionalismo, o nativismo e o indianismo. Características estas que foram importantes para nacionalizar da literatura brasileira.
    29) O Castro Alves procura retratar a vida dos escravos, seus sofrimentos. Mostra-os como um povo desprezado, injustiçado etc.
    30) (C) aceitação da morte como a solução
    31) ? (quais poemas)
    32) (E) mal do século

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heliene, avaliei o Romantismo.
      Abraço,
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  62. Realismo
    1) (C)
    2) (B)
    3) (D)
    4) (C)
    5) [01 + 02 + 32 = 35]
    6) (C)
    7) (C)
    8) (B)
    9) (A)
    10) (B)
    11) [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12) [08 + 16 = 24]
    13) (D)
    14) (D)
    15) (V), (V), (F), (V), (F)
    16) (E)
    17) (D)
    18) (D)
    19) (A)
    Naturalismo
    1) (A) Em O Cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus personagens, integra-os a elementos de uma natureza convencional.
    2) (D) Através da descrição do despertar do cortiço, o narrador apresenta os elementos introspectivos dos personagens, procurando criar correspondências entre o mundo físico e o metafísico.
    3) (E) I, II e III.
    4) a- O revoar das pombas são comparadas com os sonhos.
    b- As pombas diferentemente dos sonhos que não voltam mais ao sonhador, retornam aos pombais.
    5) a- Madrugada, tarde = ainda jovem

    A tarde= pode se compreender a velhice, amadurecimento
    b- Rígida nortada= talvez algum imprevisto ou dificuldade no caminho.
    6) Das características do Parnasianismo no texto podemos perceber: o vocabulário, as formas fixas e ainda a as rimas bem trabalhadas no poema.
    7) (D) I, II e III. 8) (B) busca do máximo de subjetividade na elaboração do poema, separando o sujeito criador do objeto criado. 9) A, B, E 10) (A) "... essa noite estava de veia para a coisa; estava inspirada; divina! Nunca dançara com tanta graça e tamanha lubricidade! Também cantou. E cada verso que vinha de sua boca [...] era um arrulhar choroso de pomba no cio. E [...], bêbado de volúpia, enroscava-se todo ao violão; e o violão e ele gemiam com o
    mesmo gosto, grunhindo, ganindo, miando, com todas as vozes de bichos sensuais, num desespero de luxuria que penetrava ate ao tutano com línguas finíssimas de cobra."
    11) (B) Descrição minuciosa de um objeto e busca de um tema ligado à Grécia antiga. 12) (1º, 2º e 5º)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heliene, avaliei Realismo e Naturalismo.


      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !


      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  63. Romantismo
    1.e, sono
    2.a, supervalorização do amor, idealização da figura feminina, predomínio da imaginação, do sonho, do isolamento, liberdade de criação, nacionalismo e medievalismo.
    b, a religiosidade cristã, a importância de nossa natureza, a formação histórica e o cotidiano popular.
    3. Os dois são muito importante no poema, um explicando sobre a realidade e o outro sonho a realiza na lira dos vinte anos.
    4. Explica que cada figura da mulher tem um jeito, o primeiro a coloca como uma pessoa pálida a luz da lâmpada sombria e o segundo como forma de uma pessoa numa rede encostada molemente.
    5. A transferência do poder de Portugal para o Brasil.
    6. Sim. A burguesia.
    7.a,Quantas musicas ouvi que me encantava!
    Quantas virgens amei (...)
    b, sim, pois o eu lírico diz que a virgem foi encerrada quando o fogo, os dois charutos e a lâmpada que esta clareando a mesa.
    c, a amada esta domindo
    d, faz das suas horas de fantasias e delírios o eu lírico, pois retorna as lembranças.
    e,sonhava com a felicidade do amor
    8. FVFFV
    9.a, pálida, à luz da lâmpada sombria,
    Sobre o leito de flores reclinada,
    Era a virgem do mar! Na escuma fria
    Era um anjo entre nuvens d’alvorada
    Que em sonhos se banhava e se esquecia!
    10.e, inacessível
    11. c, indianista
    12.b, revolução francesa
    13.a, burguesia
    14. e, objetivismo
    15. d,mal do século
    16. a,nacionalismo
    17. e
    18.b
    19. É o canto feito no exílio
    20. Sim. nacionalismo e religioso.
    Minha terra tem palmeira,
    Onde canta o sabiá;
    As aves, que aqui gorjeiam,
    Não gorjeiam como lá.
    Não permita Deus que eu morra
    Sem que eu volte para lá;
    21. Mais prazer encontro eu lá;
    Que tais não encontro eu cá;
    22. É muito importante, pois cada um tem sua importância na historia.
    23. Saudade e ufanismo
    24. Sim. Pois ele sentiu muito saudade da pátria, mas não pode volta.
    25. pátria e exílio
    26. nacionalista,pois fazer referencia a pátria
    27.FVVFV
    28. Os poemas de Gonçalves Dias têm o nacionalismo, valorização da morte, tristeza e uma visão decadente da vida e da sociedade. Um fala sobre o tema nacionalismo e o outro a importância da morte para os índios.
    29. Este poema seria uma conversa com Deus, já os outros poemas acima, é a saudade da terra querida e a honra da família.
    30.b
    31.não da para fazer,porque não há poemas.
    32. a,idealismo romântico
    Realismo
    1.c, no realismo não há preocupação com o social
    2.b, apenas a I e III
    3. d, o realismo constitui uma oposição ao idealismo romântico
    4.c, naturalismo- cientificismo
    5.(01)(02)(32)
    6.c
    7.c, realismo
    8.b, visão determinista e mecanicista do homem
    9.a, parnasianismo-rigidez formal
    10.b, apenas II
    11.01+02 +08+16=27
    12.08+16=24
    13.d, 2, 2, 2, 1,1
    14.d
    15. VVFVF
    16.e, o realismo e o naturalismo
    17.d, associação- naturalismo- realismo
    18.d, o Mulato e Memórias Póstumas de Brás Cubas
    19.a
    Naturalismo
    1.a
    2.d
    3.c
    4. Comparada aos sonhos e as pombas retornam aos pombais, pois os sonhos não voltam para o coração.
    5.a juventude e a velhice e paz que ele tem quando estão voando livremente.
    6. Rimas e modelo clássico
    7.d, I, II e III
    8.b
    9.b
    10.a
    11.b 12. VVFFV

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vera, recebi tudo certinho e já avaliei suas três atividades(Romantismo, Realismo e Naturalismo).

      Não se esqueça.....

      Avaliei suas três atividades postadas. Saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja uma grande leitora, pois vc será uma formadora de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !

      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  64. ACADÊMICO : Simião Gonçalves Neto - 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.
    Respostas da Parte I –Romantismo
    1. E
    2. a) Valorização da tradição medieval.
    b) O Indianismo.
    3. Pode-se perceber a diferença entre a mulher do “sonho’ e a mulher da “realidade”. O amor apenas é consumado no plano dos sonhos, isto porque a mulher romântica é idealizada e intocável.
    4.. No primeiro texto tem-se a mulher idealizada, própria da 1ª fase do Romantismo: /Pálida à luz da lâmpada sombria/ /Sobre o leito de flores reclinada/. Já no segundo texto, tem-se a descrição da mulher com erotismo, imagem que demonstra a maturidade do movimento literário. Percebe-se esse erotismo no verso: /Quase aberto o roupão... solto o cabelo/. Assim, pode perceber diferentes tratamentos característicos às mulheres nas fases do Romantismo.
    5. Revolução Francesa.
    6. A burguesia.
    7. a) / Quanta música ouvi que me encantava/, /Quantas virgens amei/.
    b) Sim, pode-se perceber que a viagem foi encerrada, quando o eu lírico solicita o fogo, dois charutos e a lâmpada acesa da escrivaninha, cenário contrário ao dos delírios amorosos.
    d) O estado alcoolizado do eu lírico faz com que ele esteja com a musa inspiradora dos seus sonhos, mesmo que esse estágio seja passageiro, o eu lírico se torna ainda mais triste, solitário e angustiado.
    e) Sonhava com a felicidade do amor realizado.
    8. F - V - F - F - V
    9. “Leito de flores”,” noite embalsamada”, “virgem do mar, era um anjo”, “nuvens do amor”.
    10 - E
    11 - C
    12 - B
    13 - A
    14 - E
    15 - D
    16 - A
    17 - E
    18 - B

    19. O título do poema se torna pertinente pelo fato de que Gonçalves Dias, residindo em Portugal, sentia saudade da sua terra natal, Brasil, e assim através do poema “Canção do exílio”, recorda as belezas de sua pátria.
    20. A característica mais forte no poema é a exaltação da pátria, o nacionalismo acentuado. /Nosso Céu tem mais estrelas,/ /Nossas várzeas têm mais flores,/ /Nossos bosques têm mais vida,/ /Nossa vida mais amores.”/
    “Minha terra tem primores”.
    21. “Aqui” e “lá”
    22. O eu lírico, Gonçalves Dias, sente-se triste e sozinho em Portugal. Já do Brasil, o eu lírico exalta as belezas naturais da sua pátria e demonstra a felicidade e orgulho em ser brasileiro e a esperança de que antes da morte possa retornar à pátria.
    23. Os sentimentos de saudosismo e angústia.
    24. Não. A descrição do eu lírico é subjetiva. Trata as belezas de sua pátria de forma poética, bastante generalizada.
    25. Lá é o Brasil. Cá é Portugal.
    26. Observa-se a presença de duas características no texto: nativismo e nacionalismo, em que a exaltação da natureza também é resultante da exaltação da pátria do poeta.
    27 . E
    28 . Nos dois excertos pode-se perceber o nativismo, o nacionalismo e o indianismo, sendo este mais presente no segundo excerto. Essas características foram importantes para a nacionalização da literatura brasileira.
    29 . O poeta Castro Alves faz memória ao sofrimento dos escravos brasileiros. Questiona o sentimento de justiça e a desigualdade de um povo abatido e desamparado.
    30. C
    31 . Os poemas não foram transcritos, o que impossibilita a resolução da questão.
    32 . E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simião, o Romantismo está completo.
      Abraço,
      Profa. Generosa Souto

      Excluir
  65. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  66. (CONTINUAÇÃO) ACADÊMICO: Simião Gonçalves Neto - 5°PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS.
    REParte II – Atividades sobre o Realismo
    1. C
    2. B
    3. D
    4. C
    5. [01 + 02 + 32 = 35]
    6. C
    7. C
    8. B
    9. A
    10. B
    11. [01 + 02 + 08 + 16 = 27]
    12. [08 + 16 = 24]
    13. D
    14. D
    15. V V F V F
    16. E
    17. D
    18. D
    19. A

    Respostas da Parte III – Atividades sobre o Naturalismo
    1. A 2. D 3. E
    4. a) Comparam-se aos sonhos.
    b) Que as pombas voam e sempre retomam aos seus lugares de pouso,enquanto os sonhos, após uma certa idade, fica no plano imaginário, não retornam ao coração daquele que sonhava.
    5. a) A madrugada – juventude
    A tarde – vida adulta/ velhice.
    b) Corresponderia a um acontecimento inesperado, uma decepção.
    6. Há a preocupação com a forma, com as rimas e vocabulário precioso.
    7. D 8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. (1, 2, 5)
    (8. B 9. A, B, E 10. A 11. B 12. (1, 2, 5)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simião, recebi, também, as atividades referentes ao Realismo e Naturalismo.

      Olha, saiba que foi um prazer trabalhar em sua turma, trabalhar com você também. Às vezes fui rígida e exigente com as atividades, mas isso é preciso, para o crescimento das responsabilidades em um Curso de Formação de Professores de Língua e Literatura.
      Seja um grande leitor, pois vc será um formador de leitores...pelo mundão a fora... Boa sorte !

      Boas e grandes leituras !!!
      Um grande abraço,
      Profa. Generosa Souto.

      Excluir
  67. Queridos acadêmicos do 5º período de Letras/Noturno,

    Avaliei os trabalhos de 25 acadêmicos. Apenas aqueles que fizeram as postagens neste Blog, conforme a nossa combinação.
    Vejamos, pois, os seus nomes:
    1. Italo
    2. Maricelma
    3. Elizabeth
    4. Samara
    5. Francisca Carolina
    6. Bruna Géssica
    7. Hayamy
    8. Priscilla
    9. Cecília
    10. Odarah
    11. Sinvagna
    12. Carlos
    13. Mariane
    14. Sueli
    15. Edilene
    16. Camila
    17. Nayara
    18. Andreia
    19. Thalissa
    20. Sarah
    21. Ana Conceição
    22. Rafael Ramon
    23. Heliene
    24.Vera
    25. Simião.

    Caso tenha ficado algum nome sem ser mencionado, gentileza entrar em contato conosco.

    Grande abraço,

    Profa. Generosa Souto.

    ResponderExcluir
  68. Professora, publiquei as minhas respostas terça feira às 11:50, logo após a atividade de Ítalo. Não vi o meu, a Sr. deve ter removido sem querer. Estou enviando novamente, talvés a Sr. lembre se não as pessoas que postaram depois deve ter visto.

    ResponderExcluir
  69. PARTE I - ATIVIDADE SOBRE ROMANTISMO
    1 – E
    2 – A) O Comportamento romântico caracteriza-se pelo sonho, pelo devaneio, por uma atitude emotiva, subjetiva, diante das coisas
    B) Indianismo. No Brasil a literatura apresenta traços próprios, como a valorização da figura literária do índio.
    3 -
    4 – I – Mulher singela, figura feminina mais idealizada.
    II – Mulher mais sensual.
    5 - Revolução da Imprensa
    Escravidão do negros no Brasil
    A independência das colônias latino-americanas
    6 - os burgueses, que liam jornais vendidos a preço acessíveis.
    7 -
    8 – a) F
    b) V
    c) F
    d) F
    e) V
    9 - Era a virgem do mar! Na escuma fria
    Era um anjo entre nuvens d’alvorada
    Que em sonhos se banhava e se esquecia!”

    10 – E
    11 – C
    12 – B
    13 – A
    14 – E
    15 – D
    16 – A
    17 – E
    18 – B
    19 – demonstra aversão aos valores portugueses e ressaltar os valores naturais do Brasil. Fala do amor ao país que é de origem e da diferença do que está exilado.
    20 – Temas recorrentes como nacionalidade, amor a nação.
    23 – amor, vontade de retornar a pátria (saudades)
    25 – Lá – Brasil, cá – Portugal.
    26 – Nacionalista, pois fala do amor à pátria, das qualidades que o Brasil tem em relação a Portugal.
    27 – E
    29 – Os dois poemas narram os elementos que tem na sua pátria. Em canção do Exílio, retrata o espaço físico (árvores, céu, fauna e flora), no segundo fala do elemento indígena muito recorrente na poesia brasileira.
    30 – C
    31 – Nos dois poemas a figura da mulher aparece com extrema relevância. Castro Alves apresenta a mulher como um ser normal, semelhante a qualquer outra, apresenta o desejo de possuí-la. Materialização do amor, ocorrendo um contato mais íntimo e visto sob um plano real, e não sob um plano onírico.
    Álvares de Azevedo apresenta o amor sob um plano imaterial, apresentando ainda a figura feminina como algo intocável. Alguém com poderes divinos, santificados.
    32 – E
    PARTE II - ATIVIDADES SOBRE O REALISMO
    1 – C
    2 –B
    3 – D
    4 – C
    5 – 01 + 02 + 32 = 35
    6 - C
    7 – C
    8 – B
    9 – A
    10 – B
    11 – 01 + 02 + 08 + 16 = 27
    12 – 8 + 16 = 24
    13 – D
    14 – D
    15 – V V F V F
    16 – E
    17 – D
    18 – D
    19 – A

    PARTE III - ATIVIDADE SOBRE O NATURALISMO
    1 – A
    2 –D
    3 – E
    4 –a) Ao sonho
    b) As pombas voltam e os sonhos não voltam mais
    6 – crítica à espécie humana
    a vida, como sinônimo da perda de ilusões.
    Preocupação com a métrica (soneto)
    Uso de rimas ABBA
    7 – D
    8 – B
    9 – A,B,E
    10 – A
    11 – B
    12 – A, B, E
    Raquel Santos – Acadêmica do 5º Período de Letra Português

    ResponderExcluir
  70. 1. E
    2.
    a) Características: medievalismo
    b) Manifestação do indianismo

    3. R: O poema é fragmentado em três partes inicio e fim o real e o meio caracterizado por sonho do eu lírico. As partes iniciais o poeta expressa seus desejos no meio que é o sonho faz questão de alimentar de ilusões, vive tudo o que deseja em pensamentos. Só nesse sonho que o poeta é capaz de ter a mulher desejada no seu leito. parte final evidencia a impossibilidade da mulher amada corresponder os desejos dele.

    4. R- No primeiro texto a mulher idealizada, amada está adormecida retratada de um mundo irreal, distante, inacessível, imaterial, um amor que nunca o eu lírico encontrará.” está reclinada sobre um leito de flores” “dorme entre as nuvens do amor é comparada como a lua. já no segundo texto o poeta cria imagem da mulher amada, visão de sensualidade, cria ambiente intimo dessa mulher evidencia a real aproximação do eu lírico com a mulher amada.

    .
    5. R - Revolução Francesa


    6. R- Aos mais diversificados e numerosos públicos, E burgueses, que liam jornais vendidos a preço acessível.

    7. a) -...” e eu acordava
    arquejando a beijar meu travesseiro?

    b) Sim porque o poeta se esquecia. Já era noite era preciso voltar à realidade.
    c) De esta com mulher amada
    d) Bebendo licor, fumando e lendo romances eróticos.
    e) Mundo de fantasias, de felicidade.

    8.
    F- a) os versos fazem parte de um longo poema de Gregório de Matos.
    V- b) Mostram como Álvares de Azevedo foi marcado pelo tema da morte e da solidão.
    F- c) São típicos da poesia Pau Brasil.
    F- d) Definem o poeta tal qual o concebia o Realismo.
    V- e) São típicos do Mal do Século.


    9. a) “era um anjo entre nuvens d’alvorada
    que em sonhos se banhava e se esquecia!”.
    “Sobre o leito de flores reclinada,
    como a lua por noite embalsamada,”


    10. e) Inacessível

    11. c) Indianista


    12. b) Revolução francesa


    13 a) burguesia
    14. e) objetivismo

    15. d) mal do século
    16. a) nacionalismo
    17) e) em sua segunda fase, apresentou poetas cuja inclinação para o mistério e a morte os colocava sobre o clima do “mal do século”

    18).b) buscam de temas nacionais, sentimentalismo e imaginação

    19. Canção é que pode ser cantada, exílio refere ao afastamento do poeta da sua terra natal e a saudade que sentia da sua pátria.

    20. O nacionalismo:
    “minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá.”
    “nossos bosques têm mais vida,
    nossa vida mais amores.”•.


    21. Cá e lá
    22. O eu lírico aqui em Portugal mostra descontente, insatisfeito, ele expressa que mais prazer ele tem no Brasil aqui não tem os encantos que encontra lá na sua terra natal.
    23. Saudosismo

    24. Não, o poeta leva-se em conta as emoções, os sentimentos envolvidos na poesia. São ressaltados os efeitos psicológicos que os acontecimentos desencadeiam no eu lírico.

    25. Lá- Brasil e cá Portugal.

    26. A canção do exílio representa tanto nacionalismo como nativismo, pois há uma valorização patriarcal e também uma descrição das belezas naturais do nosso país.
    27.
    F -a) os versos fazem parte de um longo poema de Gregório de matos.
    V -(b) mostram como Álvares de Azevedo foi marcado pelo tema da morte e da solidão.
    V c) definem o poeta tal qual o concebia o realismo.
    V d) são típicos da poesia pau-brasil.
    V e) são típicos do mal do século

    Questão 28.

    r- apresenta características relevantes do indianismo e nacionalismo.
    • questão 29
    R- o poeta castro Alves faz uma denúncia dos horrores da escravidão e clama deus para ter compaixão desse povo.
    • questão 30
    b) Aceitação da vida como um longo pesadelo.
    • Questão 31
    Não tem os poemas


    • Questão 32
    e) Mal do século.


    ResponderExcluir
  71. PARTE II - atividades sobre o realismo



    1.
    c) No realismo não há preocupação com o social.
    2.

    b) apenas A I E III
    3.
    d) O Realismo constitui uma oposição ao idealismo romântico.
    4.
    c) Naturalismo - cientificismo


    5. R-(1+2+32=35)

    6. c) "entretanto, das portas surgiam cabeças congestionadas de sono; ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar das ondas; pigarreava-se grosso por toda a parte; começavam as xícaras a tilintar; o cheiro do café aquecia, suplantando todos os outros...”


    7. c) Realismo
    8.

    b) Visão determinista e mecanicista do homem.

    9.
    a) Parnasianismo - rigidez formal.

    10. b) Apenas II.

    11.
    R- (1+2+8+16=27)
    12.
    R: (8+16= 24)
    13. d) 2, 2, 2, 1 e 1

    14.
    d) Sua tendência a retratar a realidade com objetividade e imparcialidade está pautada nos postulados filosóficos e científicos que alcançaram grande popularidade no final do século xix, como o positivismo e o darwinismo.
    15.
    V
    V
    F
    V
    F
    16.
    E.

    17 D
    18.
    D

    19.
    A


    ResponderExcluir
  72. Parte III - atividade sobre o naturalismo



    1) A
    2) D.
    3).E
    4 a) Fantasias, sonhos.
    B) Os sonhos, um por um, céleres voam,
    como voam as pombas dos pombais;•.
    5) R -Madrugada- os jovens
    À tarde - os velhos
    Rígida nortada- dificuldades

    6) Valorização dos sonetos, metrificação rigorosa, descritivismo (detalhada) •.
    7) d

    8) b)

    9).
    a) O ser é retratado como produto do meio.
    B) o escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade.
    E) Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do método experimental.

    10) a.
    11) b.

    12.

    (1) O ser é retratado como produto do meio.

    (2) O escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético e moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade.

    (5) Tem como características, entre outras, o determinismo biológico, a tematização do patológico e a aplicação do método experimental.

    ResponderExcluir
  73. GRAZIELA DE QUEIROZ LOMBO 5° PERÍODO DE LETRAS PORTUGUÊS
    VISITE MEU BLOG

    ResponderExcluir
  74. Acadêmicas,

    Samara Pereira Baleeiro Rocha
    Samara Márcia Rodrigues
    Graziela de Queiroz Lombo
    Raquel Santos

    Localizamos as suas atividades, ainda que postadas após a data combinada.
    Vamos avaliar.

    Profa. Generosa Souto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Profa. Generosa,

      Agradeço, mas a minha avaliação foi postada no dia correto. Dia 25, antes das 12:00h.

      Att,

      Samara Márcia

      Excluir

  75. Atenção, acadêmicos do 5º período de Letras/Noturno,Unimontes,

    Avaliei os trabalhos de 25 acadêmicos. Apenas aqueles que fizeram as postagens neste Blog, conforme a nossa combinação.

    Vejamos, pois, os seus nomes:

    1. Italo
    2. Maricelma
    3. Elizabeth
    4. Samara
    5. Francisca Carolina
    6. Bruna Géssica
    7. Hayamy
    8. Priscilla
    9. Cecília
    10. Odarah
    11. Sinvagna
    12. Carlos
    13. Mariane
    14. Sueli
    15. Edilene
    16. Camila
    17. Nayara
    18. Andreia
    19. Thalissa
    20. Sarah
    21. Ana Conceição
    22. Rafael Ramon
    23. Heliene
    24.Vera
    25. Simião.
    26. Samara Márcia
    27. Raquel Santos
    28. Graziela de Queiroz

    Caso tenha ficado algum nome sem ser mencionado, gentileza entrar em contato conosco.

    Grande abraço,

    Profa. Generosa Souto.

    ResponderExcluir

Alunos e Seguidores, postem, apenas, comentários relativos aos temas trabalhados: Literatura !
Agradecida,
Profa. Generosa Souto