segunda-feira, 13 de maio de 2013

AS CINCO VANGUARDAS EUROPEIAS

Professor Cássio José - http://cassioletras.blogspot.com.br/2011/07/as-cinco-vanguardas-europeias.html

As vanguardas europeias foram manifestações artístico-literárias que passaram pelo Panorama da Literatura do Brasil e deixaram de certa forma, sua contribuição, no que podemos dizer ruptura da estética até então reinante no nosso país. De acordo com o que se vê por parte dos postulantes da Literatura, foi na Semana da Arte Moderna que essas “estéticas literárias” foram influenciando os pensamentos de alguns literatos brasileiros pela inovação que se pretendia. Aqui, por fins acadêmicos, trataremos das seguintes correntes de estética europeia que em dado momento foi pressuposto para esse pensamento ideológico de Modernismo na Literatura Brasileira (Será?): Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Surrealismo.

EXPRESSIONISMO: Surgido em 1910, foi manifestação de povos nórdicos, germânicos e eslavos. Essa tendência expressou a angústia do período anterior à Primeira Guerra Mundial, voltando-se para os produtos artísticos dos primitivos e para as manifestações do mundo interior, expressas no uso aleatório de cores intensas e distorção das formas, como atesta o quadro O grito, do norueguês Edvard Munch.

CUBISMO: Em 1907, Pablo Picasso pintou Lês demoiselles d‘Avignon (As senhoritas de Avignon) e inaugurou o Cubismo. Segundo essa tendência, as figuras, reduzidas a formas geométricas, apresentam, ao mesmo tempo, o perfil e a frente, mostrando mais de um ângulo de visão. No quadros cubistas. A literatura cubista, inaugurada por Apollinaire, preocupou-se com a construção física do texto: valorizou o espaço da folha e a camada significante das palavras e negou a estrofe, a rima, o verso tradicional. Esse seria o embrião da nossa poesia concreta, da década de 50.

FUTURISMO: Essa estética celebrava os signos do novo mundo – a velocidade, a máquina, a eletricidade, a industrialização. Apregoando a destruição do passado e dos meios tradicionais de expressão literária, o Futurismo (tendência que mais influenciou a primeira fase do Modernismo) propunha:

• liberdade de expressão;
• destruição da sintaxe;
• abolição da pontuação
• uso de símbolos matemáticos e musicais;
• desprezo ao adjetivo e ao advérbio

DADAÍSMO: Este foi o mais radical e destruidor movimento da vanguarda européia. Fundado por Tristan Tzara, negava o presente, o passado, o futuro e defendia a idéia de que qualquer combinação inusitada promove um efeito estético. O Dadaísmo refletiu um sentimento de saturação cultural, de crise social e política.

SURREALISMO: Inaugurado com a publicação do Manifesto Surrealista, em 1924, este foi o último movimento da vanguarda, sofrendo influências das teorias de Freud, o Surrealismo caracterizou-se pela busca do homem primitivo através da investigação do mundo do inconsciente e dos sonhos. Na literatura, o traço fundamental foi a escrita automática (o autor deixa-se levar pelo impulso e registra, sem controle racional, tudo o que o inconsciente lhe ditar, sem se preocupar com a lógica.


Comentário Crítico:


Percebe-se que os literatos brasileiros em algumas escolas literárias (como no Romantismo e Realismo, por exemplo), desejavam mostrar o “verdadeiro” Brasil. E isso, evidentemente, não poderia ser diferente, na nova estética literária brasileira, o que se percebe certa abertura e espaço, bem como sua influência da literatura estrangeira ou de ideologias que vinham de fora. Parece que os autores olham para o Brasil e fazem de sua literatura “palco de manifestações reais” do que realmente o Brasil é expondo as variadas facetas ou realidade do nosso país. Alguns livros didáticos até afirmam que a realidade verdadeira do Brasil era ignorada pela Literatura até então.
As vanguardas como movimentos artísticos, estética literária ou correntes da Literatura Europeia foram resultados ou consequências do que aconteceram no cenário europeu do século XX: problemas políticos, conflitos entre países vizinhos, intercâmbio entre a Primeira e Segunda Guerra Mundial...
A expressão vanguarda pode ser entendida como parcela dos intelectuais que exerce um papel pioneiro, desenvolvendo técnicas, ideias e conceitos novos, avançados, especialmente nas artes. O que havia de comum era nada mais do que conflitos ou debates de uma herança do século passado. É um grito do novo: os padrões da antiga estética literária e artística devem ceder lugar àquilo que estava por vir: O Modernismo. Havia assim manifestações desse “novo” em suas obras e divulgação de novas estratégias formais do tempo.
Podemos, assim, refletir de uma desestruturação ou falta de uma literatura fixamente ou realmente brasileira. E se assim o é, tem forte influência estrangeira: É então, como se diz da boca de postulantes da Literatura um movimento que expressa pela arte o que é de fato o nosso país em dado momento? Somos simplesmente consequência ou resultado do que acontece lá fora no cenário mundial e reestruturados em um “quebra-cabeça” que na época foi apresentado como “Literatura Brasileira”.


REFERÊNCIAS:

ABAURRE, Maria Luiza; FADEL, Tatiana; PONTARA, Marcela Nogueira. Português: Língua, Literatura, Produção de texto. São Paulo: Moderna, 2004.

OLIVEIRA, Ana Teresa Pinto de. Literatura Brasileira: Teoria e prática. São Paulo: Rideel, 2006.

25 comentários:

  1. Acho o máximo estudar as Vanguardas Europeias, pois abre vários leques para se estudar com os alunos em sala de aula.. é um período riquíssimo!

    :D

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Investigar as contribuições que as vanguardas europeias trouxeram para as nossas letras é descobrir inovações preponderantes para o nosso aprendizado literário. É um enriquecimento para a nossa pesquisa sobre o modernismo.
    O futurismo, o expressionismo, cubismo, dadaísmo e o surrealismo foram vanguardas revolucionárias que inovaram a literatura não somente na Europa, mas contribuíram para uma inovação na obra de arte brasileira.

    ResponderExcluir
  3. Vanguarda,(do francês avante-garde, proteção frontal) em sentido literal faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante uma batalha. Daí deduz-se que vanguarda é aquilo que "está à frente". Futurismo, Cubismo, Expressionismo,Dadaísmo e Surrealismo.
    As vanguardas europeias foram manifestações artístico-literárias que passaram pelo Panorama da Literatura do Brasil e deixaram de certa forma, sua contribuição, no que podemos dizer ruptura da estética até então reinante no nosso país. De acordo com o que se vê por parte dos postulantes da Literatura, foi na Semana da Arte Moderna que essas “estéticas literárias” foram influenciando os pensamentos de alguns literatos brasileiros pela inovação que se pretendia.
    :)
    Abraços,
    Lara Santos.

    ResponderExcluir
  4. Estudar as vanguardas foi extremamente importante,uma vez que como o autor do texto analisado Gilberto Mendonça Telles afirmou que as vanguardas tinha espirito experimentalista, então esse '' experimento'' embora difundidos em paises diferentes uma corroborou com os ideais da outra,assim uma continuação.

    ResponderExcluir
  5. As Vanguardas Europeias

    O Futurismo nasceu dos princípios expostos no Manifesto Futurista de Filippo Tommaso Marinetti, sendo um movimento que procurava imprimir na poesia uma velocidade que já era percebida no progresso, eliminando tudo que “ornava” a palavra, rompendo com sintaxe em relação à supressão da pontuação e o encadeamento das palavras sem o uso de conectivos. Enquanto o Expressionismo é arte criada sob o impacto da expressão, mas da expressão da vida interior, das imagens que vem do fundo do ser e manifesta de forma patética. Sendo que não preocupação com a objetividade da expressão, mas sim com a exteriorização da reflexão e da subjetividade dos artistas, pois não se pretende apenas absorver e reproduzir o mundo, como também recriá-lo.
    O Cubismo é a vanguarda que se caracteriza por representar a realidade através de figuras geométricas, sendo que os cubistas representam objetos da realidade cotidiana como se fossem vistos a partir de diferentes ângulos ao mesmo tempo, produzindo assim várias interpretações. Já o Dadaísmo procurava romper com os padrões estéticos, com aquilo que era considerado belo, enfatizando um desejo de independência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estudar as Vanguardas Européias foi muito importante, pois o Cubismo, Surrealismo, Expressionismo, Dadaísmo, e Futurismo contribuíram para uma inovação na arte literária brasileira, principalmente no período pré-modernista.

      Excluir
  6. A forma como as Vanguardas Européias foram trabalhadas em sala de aula (através do uso de uma atividade lúdica e dinâmica utilizando imagens de obras de arte da época) foi de fundamental importância para compreendermos o quanto elas foram importantes para a Literatura Brasileira, principalmente no que concerne a Escola Modernista. A contribuição das vanguardas foi de extrema importância e algumas como o Cubismo, Surrealismo e Dadaísmo foram destaque.

    ResponderExcluir
  7. As vanguardas europeias foram muito importantes para os intelectuais brasileiros, pois muitos desses intelectuais foram influênciados por elas. Para nós acadêmicos foi de suma importãncia estudá-las, uma vez que contribuiu bastante para nosso conhecimento. Vale lembrar que cada uma delas possui suas marcas e características relevantes que também nos marcam positivamente.

    ResponderExcluir
  8. É de extrema relevância estudar as vanguardas europeias, pois além de conhecemos seus pressupostos gerais, podemos reconhecer suas influências em outras obras, inclusive brasileiras. Ademais, auxilia-nos a entender o pensamento de artistas e escritores daquele tempo que, entre outras coisas, buscavam dar ao mundo um novo tipo de representação da realidade.

    ResponderExcluir
  9. As vanguardas européias foram manifestações artístico-literárias que deixaram sua contribuição na literatura brasileira. A Semana da Arte Moderna influenciou os pensamentos de novos escritores brasileiros pela inovação que se pretendia. O Expressionismo, essa tendência expressou a angústia do período anterior à Primeira Guerra Mundial, as manifestações do mundo interior, expressas no uso aleatório de cores intensas e distorção das formas, como atesta o quadro O grito, do norueguês Edvard Munch. O Cubismo: Em 1907, Pablo Picasso pintou Lês demoiselles d‘Avignon (As senhoritas de Avignon) e inaugurou o Cubismo. Segundo essa tendência, as figuras reduzidas, as formas geométricas, apresentam, ao mesmo tempo, o perfil e a frente, mostrando mais de um ângulo de visão. Futurismo: essa estética celebrava os signos do novo mundo – a velocidade, a máquina, a eletricidade, a industrialização. Foi a tendência que mais influenciou o modernismo. O Dadaísmo: refletiu um sentimento de saturação cultural, de crise social e política. Já o Surrealismo: inaugurado com a publicação do Manifesto Surrealista, em 1924, este foi o último movimento da vanguarda, sofrendo influências das teorias de Freud, o Surrealismo caracterizou-se pela busca do homem primitivo através da investigação do mundo do inconsciente e dos sonhos.

    Referências:
    http://cassioletras.blogspot.com.br/2011/07/as-cinco-vanguardas-europeias.html

    ResponderExcluir
  10. As vanguardas européias são os movimentos culturais que começaram na Europa no início do século XX, os quais iniciaram um tempo de ruptura com as estéticas precedentes, como o Simbolismo. Estes movimentos vanguardistas ocorreram de forma simultânea e buscavam inovar as artes em geral, tanto a arte literária quanto a arte plásticas, musicais e outras. Os movimentos vanguardistas se dividem em: Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Expressionismo. Com foco no cubismo, podemos destacar que procurava desmistificar a imagem do “belo”, pois apresenta uma imagem de um objeto, quadro, musa que se desdobra em outros planos. Destaca-se que todas as vanguardas surgiram da necessidade do Homem de se expressar por outras formas e se valer da arte para essa expressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde se lê Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Expressionismo, leia-se Cubismo, Futurismo, Dadaísmo, Surrealismo e Expressionismo.

      Excluir
  11. A Literatura e ideologias estrangeiras influenciaram muito a nova estética literária brasileira. E, com as vanguardas não foram diferentes. Elas foram revolucionarias para inovação da arte brasileira. A procura por inovações e a busca pelo rompimento com que se vinha fazendo até então nas artes são as principais características das vanguardas européias.
    Com a chegada das vanguardas européias no Brasil (que teve seu inicio na Semana da Arte Moderna) vários artistas e intelectuais brasileiros incentivados por esse movimento e o novo modo de pensar a arte, procuraram novas ideias com a finalidade de buscar uma nova identidade brasileira influenciando diretamente o olhar das pessoas sobre um povo.

    ResponderExcluir
  12. As vanguardas européias são os movimentos culturais que começaram na Europa no início do século XX, os quais iniciaram um tempo de ruptura com as estéticas precedentes, como o Simbolismo.Nesse período, a Europa estava em clima de contentamento diante dos progressos industriais, dos avanços tecnológicos, das descobertas científicas, como: eletricidade, telefone, rádio, telégrafo, cinema, dentre outros. Ao mesmo tempo, a disputa pelos mercados financeiros, ocasionou a I Guerra Mundial.O clima estava propício para o surgimento das novas concepções artísticas sobre a realidade. Surgiram inúmeras tendências na arte, principalmente manifestos advindos do contraste social: de um lado a burguesia eufórica pela emergente economia industrial e, de outro lado, a marginalização e descontentamento da classe proletária e a intensificação do desemprego.

    ResponderExcluir
  13. As vanguardas européias contribuíram significativamente na ruptura da estética até então reinante em nosso país. Podemos então citar: Cubismo, Surrealismo, dadaísmo, Expressionismo, Futurismo.
    No Cubismo, a linguagem é fragmentada. As formas da natureza eram tratadas por meio de figuras geométricas. O objeto era tratado de vários ângulos ao mesmo tempo, ou seja, eles eram expressos em um mesmo plano.
    No Surrealismo, havia a preocupação com o mundo interior e a valorização do sonho. É exposto o conflito entre a vida vivida e a vida sonhada. O inconsciente e o improviso são valorizados e abrange também metáforas surreais. Os artistas surrealistas não preocupavam com o controle da razão.
    No dadaísmo, há a quebra da lógica. Em qualquer combinação inusitada promove um efeito estético. Nessa vanguarda, podemos inferir que existe o ilogismo, ou seja, o nonsense. Existe o rompimento com o bom senso.
    O Expressionismo deforma a realidade, que é representada subjetivamente. Ele volta-se para o mundo interior, lançando mão de cores fortes. Um exemplo do Expressionismo é a obra O Grito, de Edvard Munch.
    O Futurismo corta os elos com o passado. Nessa vanguarda, as palavras são escritas em liberdade. O movimento é enfatizado e são celebrados os signos do novo mundo.

    ResponderExcluir
  14. O trablhos apresentados em sala de aula sobre as vanguardas foi de extrema importância, para compreendermos os movimento culturais no inicio do século XX, os quais iniciaram um ruptura com as estéticas precedentes,as vanguardas são:o Cubismo,o Surrealismo, o Dadaismo,o Expressionismo e o Futurismo.

    ResponderExcluir
  15. Pode-se afirmar que estudar as vanguardas europeias é de suma importância para os estudantes de Letras Português. Tais vanguardas, no tocante à literatura, foram uma ruptura ao estético neinante na épóca. Vale ressaltar, consoante Gilberto Mendonsa Teles, que esses movimentos eram de cunho experimentalista; e esse "experimento" influenciou outas obras, sobretudo, brasileira.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Futurismo:caracteriza-se pelo interesse ideológico na arte. Sua produção preconiza a subversão radical da cultura e dos costumes.
    Cubismo: resultado das experiências de Pablo Picasso (1881 – 1973) e de Georges Braque (1882 – 1963), esteve, inicialmente, ligado à pintura e teve por princípio a valorização das formas geométricas. Na literatura, caracteriza-se pela fragmentação da linguagem e geometrização das palavras, dispostas no papel de maneira aleatória a fim de conceber imagens.

    Dadaísmo: surgido em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), constitui um grito de revolta contra o capitalismo burguês e o mundo em guerra. Por isso, os dadaístas são contra as teorias e ordenações lógicas.

    Expressionismo: tem como herança a arte do final do século 19 e valoriza aquilo que chama de expressão: a materialização criativa (na tela ou no papel) de imagens geradas no mundo interior do artista.

    Surrealismo: como o Expressionismo, preocupa-se com a sondagem do mundo interior, a liberação do inconsciente e a valorização do sonho. Esse fascínio pelo que transcende a realidade aproxima os surrealistas das ideias do psicanalista austríaco Sigmund Freud (1856 – 1939).

    Retirado de:http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/literatura/vanguardas-europeias-resumo-dicas-questao-comentada-598933.shtml em 17 de junho de 2013.
    O estudo das vanguardas europeias nos possibilitam um conhecimeto amplo que nos ajudam a compreender as tendências modernistas principalmente nos diz respeito à literatura brasileira.

    ResponderExcluir
  18. Vanguarda,(do francês avante-garde, proteção frontal) em sentido literal faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante uma batalha. Daí deduz-se que vanguarda é aquilo que "está à frente". Futurismo, Cubismo, Expressionismo,Dadaísmo e Surrealismo.
    As vanguardas europeias foram manifestações artístico-literárias que passaram pelo Panorama da Literatura do Brasil e deixaram de certa forma, sua contribuição, no que podemos dizer ruptura da estética até então reinante no nosso país. De acordo com o que se vê por parte dos postulantes da Literatura, foi na Semana da Arte Moderna que essas “estéticas literárias” foram influenciando os pensamentos de alguns literatos brasileiros pela inovação que se pretendia.
    :)
    Abraços,
    Lara Santos.

    ResponderExcluir
  19. o estudo das vanguardas nos possibilitou conhecer as características gerais de cada uma e identifica-las dentro de textos literários, essas vanguardas foram fundamentais para que futuramente acontecesse a semana de arte moderna, que rompeu com todos os princípios postulados até então.

    ResponderExcluir
  20. As vanguardas europeias são os movimentos culturais que começaram na Europa no início do século XX, e que pretendiam romper com as estéticas precedentes como, por exemplo, o Simbolismo. No que diz respeito a esses movimentos, podemos citar: o Futurismo, o Cubismo, o Dadaísmo, o Expressionismo e o Surrealismo.
    O Futurismo apresenta uma exaltação às máquinas, tecnologia e fatores que estão relacionados à indústria. Nos poemas há uma quebra com a sintaxe como, por exemplo, a falta de pontuação. No Cubismo, há a distorção das formas e os formatos bidimensionais. Nas obras cubistas, há um destaque nas formas geométricas para representar a figura desenhada pelo artista. Já o dadaísmo é considerado o movimento que radicalizou as outras vanguardas europeias. Nesse movimento, percebemos a falta de sentido nos versos dos poemas, isto é, as palavras são colocadas conforme surgem no pensamento. O Expressionismo construiu as imagens a partir da deformação da realidade, pois não preocupava em elaborar imagens belas. Com isso, cenários de terror e drama foram enfatizados. E o Surrealismo abordou questões freudianas como a psicanálise e o subconsciente. Os artistas surrealistas não preocupavam com o controle da razão.

    ResponderExcluir
  21. Não podemos negar a contribuição das vanguardas europeias como manifestação literária na transformação da estética até então aplicada em nosso país. É notória a influência do pensamento vanguardista nas criações brasileiras, o cubismo o expressionismo, o futurismo, o dadaísmo e o surrealismo foram resultados dos acontecimentos no cenário europeu do seculo XX. temos como exemplo a afirmação do nosso modo de produção capitalista e com as novas formas de pensar e de sentir o mundo. Nesse sentido estudar as vanguardas e extremamente importante pois ainda hoje são constantes as rupturas de paradigmas.

    ResponderExcluir
  22. As vanguardas europeias tiveram muito respaldo na forma de se construir o pensamento, foram elas que inspiraram muitos autores do Modernismo, o Expressionismo que foi influenciado pelo período antecedente à Primeira Grande Guerra, essa vanguarda tentava ver o objeto por dentro, o Cubismo fazia apologia às formas geométricas tentando ver o objeto por vários ângulos ao mesmo tempo, o Futurismo enaltecia a máquina e demais inovações do novo mundo, além disso, os futuristas defendiam o desaparecimento da sintaxe, pontuação, elementos musicais, etc. Os futuristas viam o objeto de cima e em movimento, para eles a palavra alimenta a poesia, O Dadaísmo que foi a vanguarda mais impactante, pois não defendiam nem o passado nem o futuro, para eles qualquer mistura de palavras era o bastante, o Surrealismo voltado para a perspectiva do inconsciente e dos sonhos, em que houve influência significativa de Freud, os surrealistas não se preocupavam com a lógica.

    ResponderExcluir

Alunos e Seguidores, postem, apenas, comentários relativos aos temas trabalhados: Literatura !
Agradecida,
Profa. Generosa Souto