domingo, 28 de março de 2010

CANTIGAS LÍRICAS

As primeiras obras literárias portuguesas são elaboradas em versos: são poemas. Como ainda não há imprensa nessa época, os poemas medievais são orais e com acompanhamento musical, recebendo, por isso, o nome de CANTIGAS ou TROVAS. As cantigas são divulgadas nas ruas, nas praças, nas festas, nos palácios; para facilitar sua memorização e divulgação, as cantigas são elaboradas com versos curtos que não seguem necessariamente as normas da Versificação e que se repetem pelo poema; além disso, a linguagem das cantiga é extremamente fácil, pois, a língua falada em Portugal é o GALEGO-PORTUGUÊS, uma língua simples e ingênua.

A primeira obra literária portuguesa de que se tem notícia data de 1189: a cantiga "A RIBEIRINHA", de autoria de Paio Soares de Taveirós, uma cantiga de amor em homenagem a Maria Paes Ribeiro; como os poetas não podiam revelar o nome das suas amadas nas cantigas de amor e como a homenageada era casada, o autor dessa cantiga se inspirou no sobrenome da amada para nomear sua obra. É das palavras TROVA e TROVADOR ( poeta nobre que faz trovas) que deriva o nome mais comum que se dá a toda Literatura Portuguesa elaborada na Idade Média: TROVADORISMO.

As primeiras cantigas ou trovas medievais portuguesas são inspiradas nas cantigas que há muito tempo já eram feitas em Provença, no sul da França; por isso, a Literatura Medieval Portuguesa também é chamada de LITERATURA PROVENÇAL. Apesar de oito séculos terem se passado, as cantigas continuam existindo: basta ligarmos o rádio e ouviremos POEMAS ORAIS (cantados) ACOMPANHADOS DE MÚSICA.

2. Tipos de cantigas

2.1. CANTIGA DE AMOR: o eu-lírico é masculino; o conteúdo dessas cantigas consiste numa declaração de amor a uma mulher. Nessa declaração:
- o homem revela seu amor platônico, pois tal amor não pode ser correspondido pela amada, já que ela é casada, ou mais rica que ele, etc, ou seja, existe pelo menos um obstáculo impossível de ser superado para que o amor entre ambos se concretize;
- diante da impossibilidade de que seu amor seja correspondido pela amada, o eu-lírico diz se contentar pelo menos em ver a amada e, caso nem isso seja possível, ele prefere morrer;
- a amada é sempre idealizada, divinizada e cultuada;
- a amada é tratada pelo pronome SENHORA.

- Para compensar a mulher das desvantagens por ela sofridas na sociedade patriarcal, no relacionamento amoroso o homem finge-se inferior a ela e, numa atitude de VASSALAGEM, passa a tratá-la com a mesma cortesia, respeito e submissão com que trata seu senhor feudal nas relações sociais ( no seu dia a dia): em suma, no relacionamento amoroso, a mulher aparece como SUPERIOR ao homem.

- Há alguns estudiosos que levantam a possibilidade de que o homem trata a mulher por SENHORA, no relacionamento amoroso, visto que ela adquire um caráter divino e é cultuada por ele como se cultua uma deusa, uma santa ( como se ela fosse Nossa SENHORA, mãe de Jesus); de qualquer forma, essas duas possibilidades mostram que o homem transfere para o relacionamento amoroso as práticas mais importantes de seu dia a dia: a de vassalagem e a de religiosidade extrema;

- o nome da amada não é revelado; As cantigas de amor, portanto, apresentam um conteúdo que expressa tristeza, solidão, amor platônico, desejos não realizados, etc, ou seja, possui "tom" triste: pertencem ao GÊNERO LÍRICO e , pelo conteúdo melancólico, são ELEGIAS.

2.2. CANTIGA DE AMIGO : o eu-lírico é feminino.

- Consiste num desabafo da mulher acerca da vida (terrível) que leva numa sociedade patriarcal e/ou na declaração de amor pelo seu amigo (seu namorado) e da saudade e do ciúme que sente dele, já que lhes falta liberdade para seus encontros.
- Tal desabafo normalmente é dirigido a outra mulher ( sua mãe, irmã, amiga, etc, que a entende, pois passa pelos mesmos dissabores), a Deus ou a algum elemento da natureza ( mar, árvores, céu, etc).
– As cantigas de amor, as cantigas de amigo também possuem conteúdo melancólico: são do Gênero Lírico - elegias.
- A informação mais curiosa que se tem a respeito das cantigas de amigo, porém, é a de que elas são elaboradas por homens.
- Ao que parece, eles penetram e entendem a alma feminina tanto quanto ou, às vezes, até mais que certas mulheres.

3. Os "Cancioneiros"

CANCIONEIROS são "arquivos" onde são encontradas algumas das cantigas medievais portuguesas (as que foram compiladas e guardadas). Conhecem-se 3 Cancioneiros de poemas em galego-português:

3.1."CANCIONEIRO DA AJUDA", encontrado no Convento da Ajuda, é o mais antigo dos Cancioneiros; provavelmente copiado em fins do séc. XIII, possui 310 cantigas, sendo que 304 delas são cantigas de amor. É considerado o mais incompleto dos 3 Cancioneiros, pois não contém os poemas do rei-trovador D. Dinis, mas é um documento valioso, pela grafia e partituras originais.

3.2. "CANCIONEIRO DA BIBLIOTECA NACIONAL DE LISBOA" ou "CANCIONEIRO COLOCCI- BRANCUTI" , é o mais completo dos Cancioneiros galego-portugueses: possui 1647 cantigas de todos os tipos; encontrado primeiramente na biblioteca do Conde italiano Brancuti, no século XVI o Cancioneiro passou a pertencer ao humanista italiano Angelo Colocci ; em 1880, o Cancioneiro foi vendido à Biblioteca Nacional de Lisboa, onde se encontra até hoje.

3.3. "CANCIONEIRO DA VATICANA". Pesquisando a biblioteca papal, Fernando Wolf descobriu esse Cancioneiro de 1205 cantigas, dentre elas as de D. Dinis , que aparecem também no "Cancioneiro da Biblioteca Nacional de Lisboa". Graças à existência desses Cancioneiros que temos hoje exemplos de cantigas medievais portuguesas, mesmo que a maioria delas sejam de autoria de poetas nobres e que as mais populares (e, por isso, bem interessantes) perderam-se no tempo.

4.Pessoas envolvidas na elaboração/apresentação das cantigas portuguesas

Há denominações diferentes para o poeta nobre e para o poeta plebeu: . Poeta nobre: é o TROVADOR / Poeta plebeu: é o JOGRAL Caso o poeta não tenha conhecimentos musicais para o acompanhamento do poema, ele pede a colaboração de alguém que é apenas COMPOSITOR: o MENESTREL. O poeta também deve ter boa voz para apresentação da cantiga, já que ela é um poema ORAL; mas caso o poeta não possui tais dotes fônicos, ele pede a colaboração de um CANTOR: o SEGREL.


5. Características gerais da Literatura Medieval Portuguesa:
5.1. SUBJETIVIDADE: a poesia medieval portuguesa é lírica, predominando a função emotiva da linguagem, ou seja, seu conteúdo expressa as emoções, os sentimentos, a visão de mundo do emissor ( do eu-lírico), marcadas no texto através de palavras na 1a. pessoa (verbos, pronomes), das interjeições, das exclamações;

5.2. TEOCENTRISMO: o eu-lírico expressa sua religiosidade extrema através da palavra Deus - sempre presente nas cantigas- dos nomes de santos, de elementos do Cristianismo, festas e lugares santos, etc.

.3. CONVENCIONALISMO: todo o convencionalismo social está marcado nas cantigas medievais através da presença de pronomes e verbos na 2a. pessoa do plural e dos pronomes de tratamento : senhora, dom, dona, amigo, etc.

5.4. SUPERIORIDADE FEMININA NO AMOR: como já foi visto, nas cantigas de amor (às vezes até em outras), ao declarar-se à amada, o homem finge-se inferior, submisso a ela (VASSALAGEM): ela é cultuada como um ser superior, divino, ao contrário do que acontece na realidade;

5.5. PATRIARCALISMO: marcado nas cantigas medievais através do desabafo que o eu-lírico feminino faz nas cantigas de amigo a outra mulher, à natureza ou a Deus.
Como se pode notar, as cantigas medievais portuguesas contém marcas do tipo de cultura, do momento em que elas foram elaboradas: elas são, portanto, verdadeiros documentos de época (documentos históricos).

35 comentários:

  1. Diante dos textos apresentados sobre o trovadorismo, esse texto em especial me chamou atenção para a extensão dos versos das cantigas líricas, que eram curtos para facilitar a memorização, pois as cantigas ou trovas eram orais e com acompanhamento musical e também não seguiam necessariamente as normas de versificação.
    Sobre a primeira obra literária portuguesa “ A RIBEIRINHA", de autoria de Paio Soares de Taveirós, tive conhecimento do conteúdo da poesia que era uma cantiga de amor em homenagem a uma mulher casada.
    Outra questão interessante que apresenta o texto é que as primeiras cantigas medievais portuguesas foram inspiradas nas cantigas que eram cantadas em Proença no sul da França, por isso, recebendo também a denominação de literatura provençal.
    Segundo o texto, nas cantigas de amor, o eu lírico é masculino, sendo o conteúdo da cantiga uma declaração de amor a uma mulher. Porém era um amor platônico, pois a mesma era casada e não podia corresponder ao amor. Assim pelo tom triste pertence ao gênero lírico e pelo conteúdo melancólico são elegias.
    Já as cantigas de amigo o eu - lírico é feminino, e consiste em um desabafo da mulher acerca da vida terrível que leva em uma sociedade patriarcal ou na declaração de amor a um amigo/namorado. Pelo fato de ter um tom melancólico pertence ao gênero lírico – elegias.
    Analisando o texto, entre as características gerais da literatura medieval portuguesa a que mais me chamou atenção foi “a Superioridade feminina no amor”, sendo que a mulher era cultuada como um ser superior e divino. A questão intrigante diz respeito ao próprio contexto sendo que a mulher, na realidade , não era vista dessa forma.

    ResponderExcluir
  2. Por cantigas líricas podemos compreender que são poemas medievais acompanhados por música,poemas estes constituídos por versos curtos que são repetidos no decorrer do poema.É interessante ressaltar que os versos das cantigas não seguiam de forma dogmática as regras de versificação.A primeira obra literária foi !"A RIBEIRINHA" DE Paio Soares de Taveirós,classificada como uma cantiga de amor,pois possui um eu-lírico masculino que declara seu amor a uma mulher casada que não o corresponde.Essa mulher amada é cultuada, idealizada,superior e por ela os homens se tornam submissos numa relação de vassalagem amorosa.Além das cantigas de amor existiam também as cantigas de amigo,onde o eu-lírico possui uma voz feminina que desabafa sobre sua vida para a mãe ou para a natureza,porém são elaboradas por pessoas do sexo masculino.Ambas as cantigas pertencem ao gênero lírico.
    Estudar sobre as cantigas está sendo de grande valor,uma vez que o conteúdo está sendo exposto de forma clara o que nos possibilita uma melhor assimilação deste.

    ResponderExcluir
  3. Cantigas Líricas

    Com o intuito de facilitar a perpetuação da tradição, os poemas são orais e acompanhados musicalmente. São obras compostas por um eu-lírico que declara o seu amor à "amada proibida", bem como o eu-lírico feminino que "funciona" como um desabafo da mulher diante da sua condição de vida patriarcal, a declaração da falta do amado. A presença da poesia lírica expressa também a religiosidade, os tratamentos formais/ convencionais, a idealização da mulher - amor impraticável -, desabafo dessa mesma mulher que se volta a sua mãe, a Deus e a natureza.

    ResponderExcluir
  4. Texto muito interessante e produtivo no que diz respeitos as cantigas e a própria era medieval. Traz as características das cantigas trovadorescas e ressalta o fato de os poemas do medievo serem cantados e acompanhados por instrumento, a partir disso ja fica implícita a musicalidade presente em tais Trovas.Percebe-se também, o quanto o contexto histórico da época influencia na forman no conteúdo e nas princípais características presentes nas cantigas.

    ResponderExcluir
  5. Nós textos apresentados podemos observar como é interessante as formas de divulgação das cantigas.Além de ser uma linguagem simples e fácil, observa-se que a maioria das pessoas têm acesso a essas canções,exatamente por serem divulgadas nas ruas,nas praças,nas festas e nos palácios.
    É necessário ressaltarmos também a importância das características gerais da Literatura Medieval Portuguesa,por se tratar da subjetividade,teocentrismo,convencionalismo,
    superioridade feminina no amor e patriarcalismo.
    Um outro ponto a ser observado é que os poemas medievais eram orais e com acompanhamento musical.
    As cantigas eram de amor e de amigo.Nas cantigas de amor o eu-lírico é masculino,têm se a vassalagem amorosa,a mulher inacessível,amor não correspondido dentre outros.Já as cantigas de amigo tem-se a
    presença do eu-lírico feminino,culto a natureza,diálogo com a mãe,mulher das camadas populares e etc.
    É muito importante este estudo sobre as cantigas, uma vez que há uma ampliação dos nossos conhecimentos,sendo que é notável a forma clara com que este conteúdo foi transmitido,ou melhor construído.
    Fabrícia Rodrigues de Souza

    ResponderExcluir
  6. Com tudo já mencionado, podemos entender como cantiga de amor,aquela na qual o eu-lírico masculino declara seu amor pela mulher que, neste contexto, é inacessível, da nobreza, poderosa, e divina e, cria-se então uma relação de vassalagem amorosa por parte do eu-lírico masculino para a mulher.Vemos também a presença de cantigas de amigo, que se caracteriza pelo desabafo do eu-lírico feminino se voltando para a sua mãe, a natureza e para Deus.É importante ressaltar que os poemas medievais não seguiam a nenhuma regra de versificação, sendo a primeira obra literária " A Ribeirinha" de Paio Soares de Taveirós, classificada como uma cantiga de amor, pois o eu-lírico masculino lá presente, declara seu amor a uma mulher casada, portanto inacessível.

    ResponderExcluir
  7. Observando os aspectos principais componentes da Literatura Medieval, como a subjetividade, o teocentrismo (marca da visão de mundo da época), o convencionalismo (sociedade que vivia sob rígidos costumes), patriarcalismo (época em que a mulher não podia expressar-se); podemos notar a importância das cantigas líricas. Estas eram de fácil acesso para população, já que se baseava em uma língua simples e eram cantadas por um Trovador que tinha como forma de acompanhamento os instrumentos musicais da época. As poesias lírico-amorosas eram compostas pelas cantigas de amigo e cantigas de amor. A primeira basicamente é de origem popular e a mulher é sempre uma camponesa, o eu - lírico é feminino, mas são escritas por homens. Na segunda o eu - lírico é masculino, pois o trovador se dirige a sua amada. Há o amor cortês. O trovador é servil a sua amada.
    Com base no texto apresentado podemos perceber o quanto a literatura dessa época expressava o que era vivido pela sociedade. Em algumas vezes de forma explícita, em outras de forma mais subtendida.

    ResponderExcluir
  8. Os textos apresentados ilustram bem o período que engloba a produção literária de Portugal durante seus primeiros séculos de existência - TROVADORISMO. Momento em que se vigora uma forte religiosidade, sendo a vida do homem medieval totalmente norteada pelos valores religiosos.
    O marco inicial do Trovadorismo foi a primeira cantiga intitulada "Cantiga da Ribeirinha" feita por Paio Soares Taveirós.
    A poesia desta época compõe-se basicamente de cantigas, que eram acompanhadas, geralmente, por instrumentos como: alaúde, flauta, viola, gaita, etc. Tempos depois, as cantigas foram compiladas em Cancioneiros. Os mais importantes Cancioneiros desta época são o da Ajuda, o da Biblioteca nacional e o da Vaticana.
    Nesse contexto, as cantigas líricas apresentam um maior potencial, pois formam a base da poesia lírica portuguesa e até mesmo da brasileira.
    As cantigas de amor tratam, geralmente, de um relacionamento amoroso, em que o trovador canta o seu amor a uma dama, normalmente de posição social superior, inatingível. Dessa forma o trovador suplica a dama que aceite a sua submissão e a sua dedicação.
    Em contrapartida, as cantigas de amigo, quem fala é a mulher e não o homem. O trovador compõe a cantiga, mas do ponto de vista feminino, mostrando o outro lado das relações amorosas; o sofrimento da mulher à espera do namorado (chamado "amigo"). Os elementos de natureza são bastante visíveis, evidenciando o caráter popular das cantigas de amigo.

    ResponderExcluir
  9. O texto destaca o valor e a importância das cantigas no trovadorismo, apresentando-as como simples, com uma linguagem acessível, fácil e sem normas.
    Trás a primeira obra literária portuguesa, ou seja, a cantiga: A RIBEIRINHA, como marco inicial do Trovadorismo.
    Apresenta ainda os tipos de cantigas vigentes na época, sendo que as cantigas de amor são aquelas que feitas por um eu- lírico masculino trata de todas as qualidades da mulher amada, colocando-a numa posição superior a sua, passando ele a ser vassalo desse amor que não é correspondido, uma vez que a mulher em questão é casada e nada sabe sobre esse amor.
    As cantigas de amigo, aqui retratadas, mostram um eu- lírico feminino que sofre pela ausência do amado, e muitas vezes desabafa com a mãe ou com os elementos da natureza essa saudade, ou até mesmos os ciúmes que sente.
    O texto trás ainda os cancioneiros, tratando dos três mais conhecidos, onde ficam as cantigas medievais. Falando ainda da subjetividade, do convencionalismo, do patriarcalismo, do teocentrismo e da superioridade da mulher no amor, mostrando as características da Literatura Medieval Portuguesa.

    Camila Polyane 4ºperíodo- Letras Português

    ResponderExcluir
  10. Cantigas líricas concernem em poemas medievais escritos em versos curtos, para falicitar a memorização, que eramacompanhadospor música, especialmente pela lira.o texto apresenta as cantigas trovadorescas como simples, fáceis e sem normas.
    Aqui, as cantigas de amor aparecem como aquelas em que o eu-lírico masculino sofre pela mulher amada, visto quee se trata de um amor inatingível.Já nas cantigas de amigo, pode-se perceber um eu- lírico feminino, que desabafa acerca de uma vida terrível em uma sociedade patriarcal, ou que declara um amor aum "amigo". Enquanto esta pertence às camadas populares, aquela é palaciana, está sempre a, pelo menos, um degrau acima , na escala social, do homem que a ama.
    É importante ressaltar que ambas as cantigas analisadas acima enquadram-se nas cantigas líricas - elegias, pois apresentam um tom triste e um conteúdo melancólico.
    O texto original, além do que retratei, traz outras características da Literatura Medieval Portuguesa, todavia, abordei apenas às que me despertaram maior interesse.

    ResponderExcluir
  11. Os textos acima, dizem respeito às cantigas que são elaboradas com versos curtos que não seguem necessariamente as normas da Versificação e que se repetem pelo poema; além disso, a linguagem das cantigas é extremamente fácil. Na cantiga de amor o eu-lírico é masculino que sofre pela mulher amada, visto quee se trata de um amor inatingível; já na cantiga de amigo, o eu-lírico é feminino, que desabafa acerca de uma vida terrível em uma sociedade patriarcal, ou que declara um amor a um "amigo".

    ResponderExcluir
  12. A literatura portuguesa, inicialmente, era oral e recitada com acompanhamento musical, usando-se ainda o galego- português.
    Escreviam-se cantigas (trovas), ou seja, poemas e estes são definidos por características peculiares.
    Houve, assim as cantigas lírico-amorosas: nas cantigas de amor, o eu-líricoé masculino e seu amor não é correspondido, sendo a amada colocada de forma superior a esse eu-lírico, já nas cantigas de amigo o eu-lírico é feminino e esta lamenta a ausência de seu amigo
    ( namorado),usando como vocativos a mãe, elementos da natureza

    ResponderExcluir
  13. AMANDA OLIVEIRA DE JESUS 4º PERIODO

    As cantigas liricas trazem uma caracteristica peculiar daquela epoca, que é a oralidade ao recita-las e o acompanhamento do instrumento lira. É importante pensarmos que alguns aspectos do contexto historico vivido or aquelas pessoas refletiam nessas cantigas ou poemas. As cantigas se dividem em amor e amigo. A primeira O cavalheiro se dirige à mulher amada como uma figura idealizada, distante. O poeta, na posição de fiel vassalo, se põe a serviço de sua senhora, dama da corte, tornando esse amor um objeto de sonho, distante, impossível.Já a segunda São cantigas de origem popular, com marcas evidentes da literatura oral (reiterações, paralelismo, refrão, estribilho), recursos esses próprios dos textos para serem cantados e que propiciam facilidade na memorização. Esses recursos são utilizados, ainda hoje, nas canções populares.

    ResponderExcluir
  14. Nota-se que cada cantiga lírica medieval tem sua própria característica, e também é destinada a uma determinada pessoa. Por exemplo, a cantiga de amor, a voz lírica é masculina, louva as qualidades da amada, busca a concretização de um amor impossível. A cantiga de amigo, a voz lírica é feminina, sente saudades do amigo (amor) ausente ou distante, a uma certa vassalagem amorosa. As cantigas de escárnio e as de maldizer são poesias satíricas. Esta faz uma crítica mais direta, mais violenta, utiliza palavras obscenas, carregadas de erotismo. Aquela, por sua vez, faz uma crítica indireta, ironiza determinada pessoa sem citar seu nome.
    Importante ressaltar ainda que, tais cantigas trovadorescas existem. Elas foram copiadas e colecionadas em manuscritos chamados cancioneiros. Distinguir e saber a função das pessoas envolvidas na elaboração das cantigas se torna relevante, cada participante desempenha uma função diferente.
    A literatura medieval portuguesa teve seu momento de auge, ela ainda se encontra presente em documentos históricos que chegaram até nossos dias; e ter o conhecimento dessa literatura se faz necessário, pois ao estudá-la e compreende-la, vemos que até hoje ela é reproduzida de uma forma moderna nas poesias e cantigas atuais.

    ResponderExcluir
  15. Através dos textos apresentados, podemos obter certa noção do que são poemas líricos ou cantigas líricas, que geralmente são composições curtas, e na era medieval eram de grande importância. Além de serem composições elaboradas para expressar o sentimento de um determinado ser e geralmente era acompanhada de instrumentos e musicalidade.A existência da religiosidade e admiração à uma mulher também são traços notórios..

    ResponderExcluir
  16. Cantigas Líricas

    O texto é muito interessante, pois através dele foi possível saber que há dois tipos de poemas pertencentes ao gênero lírico, no trovadorismo, e que dentro do gênero lírico o texto que dá inicio a Literatura Portuguesa chama-se Canção da Ribeirinha, escrita em 1189 por Paio Soares de Taveirós. Como os poemas eram feitos para serem cantados recebiam o nome de cantigas. No acompanhamento utilizavam-se instrumentos musicais como a viola, a flauta, a harpa, a lira e o alaúde. Dessa forma, conclui que esses poemas foram feitos para serem ouvidos e não somente para serem lidos. Além dessa produção em verso, é importante ressaltar que a prosa da época era representada, sobretudo, pelas Novelas de Cavalarias.

    ResponderExcluir
  17. Podemos dizer que o trovadorismo foi a primeira manifestação literária da língua portuguesa. Surgiu no século XII, em plena Idade Média, período em que Portugal estava no processo de formação nacional. Assim com o objetivo de promover
    a perpetuação da tradição, os poemas eram orais e seguido musicalmente. Sendo que as obras (cantigas) eram compostas por um eu-lírico que revelava o seu amor à "amada proibida", como também um eu-lírico feminino que "funciona" como um desabafo da mulher diante da sua condição de vida patriarcal, a afirmação da falta do amado.

    ResponderExcluir
  18. A Literatura Portuguesa surge no século XII, onde as primeiras obras literárias são elaboradas em versos orais, com acompanhamento musical que são as cantigas ou trovas. As cantigas líricas surgem nessa época e a primeira obra que se tem notícia é a cantiga Ribeirinha de Paio Soares. Quanto à divisão das cantigas em amor e amigo, na primeira o eu-lírico é masculino e revela seu amor platônico a uma dama casada ou rica daí a impossibilidade do amor se concretizar. A mulher é chamada de senhora e cultuada como superior. Nas de Amigo o eu-lírico é feminino, uma mulher (embora os escritores fossem homens). A palavra amigo nestas cantigas tem o significado de namorado. O maior tema é a lamentação da mulher pela ausência do amado.Quanto aos cancioneiros estes são “arquivos “, onde podemos encontrar cantigas medievais portuguesas. Temos conhecimento de apenas três Cancioneiros. São eles: “Cancioneiro da Biblioteca”, “Cancioneiro da Ajuda” e “Cancioneiro da Vaticana”.O Cancioneiro da Ajuda é o mais antigo e possui 310cantigas. A literatura medieval é subjetiva, religiosa, convencional e no amor destaca a superioridade feminina.

    ResponderExcluir
  19. Os poemas medievais são orais e acompanhados com musica, são elaborados em versos curtos facilitando assim a memorização e divulgação. Por serem orais são chamados de cantigas ou trovas. Os poetas trovadores usavam a língua falada o Galego Português em suas cantigas e não revelavam o nome da Amanda por ser comprometida. Em 1189, o poeta trovador Paio Soares de Taveirós faz uma homenagem a sua amada com a cantiga “A Ribeirinha”, primeira obras literária portuguesa.

    ResponderExcluir
  20. As primeiras obras literárias foram os poemas, que eram cantados,por isso,receberam o nome de Cantiga ou Trovas.As primeiras cantigas ou trovas foram inspiradas na cantigas feitas em Provença,no sul da França,por isso a literatura medieval portuguesa também é chamada de literatura Provençal.

    Cantiga de amor: O eu lírico é masculino.È uma declaração de amor feita a uma mulher nobre e casada,assim,este amor não é correspondido.

    Cantiga de amigo:È escrita por um homem,porém,o eu-lírico é feminino.È um desabafo da mulher que vive em uma sociedade patriarcal.

    Cancioneiros:São arquivos onde encontram-se cantigas medievais portuguesas,dividem-se em cancioneiros da Ajuda,cancioneiro da Biblioteca de Lisboa e Cancioneiro da Vaticana.

    ResponderExcluir
  21. O texto é muito interessante para a compreensão das cantigas líricas que são as primeiras obras literárias portuguesas, e que se dividem em cantigas de amor e cantigas de amigo. Essas cantigas eram elaboradas em versos que eram declamados de forma oral, e com o acompanhamento musical. A primeira obra desse tipo de que se tem nótícia é a cantiga "A RIBEIRINHA" de autoria de Paio Soares de Taveirós.
    Essas cantigas medievais eram inspiradas nas cantigas que antes eram feitas em Provença e por isso a literatura portuguesa também era conhecida como literatura provençal.

    ResponderExcluir
  22. O texto em questão traz as características das cantigas trovadorescas e ressalta o fato de os poemas do medievo serem cantados e acompanhados por instrumento, a partir disso ja fica implícita a musicalidade presente em tais trovas. É interessante relacionar as cantigas, o contexto em que elas se situam, suas características e todos os pontos em comum entre as cantigas.

    ResponderExcluir
  23. Nos textos acima, encontramos as características gerais da literatura medieval lusitana. A diferenciação entre cantigas de amor, cantigas de amigo, cancioneiros, poeta nobre e poeta plebeu e etc.Uma curiosidade a se revelar:partindo do pressuposto que aquela era uma época patriarcal(até hoje, porém mascaradamente), como explicar as vozes abafadas das mulheres nas cantigas de amigo, quando essas mesmas mulheres são exaltadas nas cantigas de amor? Uma das características desse período é a superioridade feminina no amor, mas o que se deve dizer é que há na verdade uma superioridade da NOBREZA FEMININA no amor, pois as mulheres campesinas/plebéias eram ignoradas, nelas não havia nada de divino, místico ou arrebatador.

    ResponderExcluir
  24. Diante dos textos expostos sobre o trovadorismo, observei que são poemas líricos curtos, com bastante musicalidade, que expressam sentimentos e que muitas vezes utilizam a noção de espiritualidade, ou seja de religião, para exaltar a mulher.

    ResponderExcluir
  25. legal nada isso e uma merda

    ResponderExcluir
  26. não entendi nadaaaaaaaaaaaaa.......
    ok?

    ResponderExcluir
  27. se vc não entendeu querida, vc é tapadaaaaaa....
    ok?

    ResponderExcluir
  28. amei isso me ajudou muito.obrigada por colocar um texto ta legal assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. legal *--* d mais da conta.cruzeiro.galo viado.

      Excluir
    2. aqui não é lugar para falar de futebol, ok?

      Excluir

Alunos e Seguidores, postem, apenas, comentários relativos aos temas trabalhados: Literatura !
Agradecida,
Profa. Generosa Souto