terça-feira, 2 de março de 2010

Para o 4º Período Letras da Unimontes...

Questões Propostas

I – Leia o Plano de Ensino e teça comentários acerca dos objetivos gerais e específicos;

II – Leia o texto Periodização Literária e comente as três eras dispostas na subdivisão da História Literária;

III – III – Visite estes dois links abaixo e conheça o melhor da crítica de cinema (em ordem alfabética, basta clicar) em torno de filmes que trazem para o debate a sociedade, a história e as manifestações literárias do medievo. – Escolha dois nomes de filmes , cuja temática seja Idade Média (novelas de cavalarias, inquisição, religiosidade, cruzadas, cavaleiros medievais, távola redonda, misticismo, etc).
http://www.cranik.com/cruzada.html http://www.interfilmes.com/filme_14993_Cruzada-(Kingdom.of.Heaven).html
IV – Faça uma exposição acerca da narrativa do filme Cruzada observando os aspectos comentados em sala de aula.

71 comentários:

  1. I - O Plano de Ensino referente ao nosso curso, para mim, foi muito motivador, pois, saiu de uma vaga teoria, que até então, foi o que nos apresentaram nas aulas de literatura ministradas até agora e nos propõe algo mais palpável e concreto, algo que instiga nossa criticidade e consequentemente engrandece nossos conhecimentos acadêmicos.
    Nós, enquanto alunos, faremos parte das aulas, no sentido de participar ativamente, analisando, criticando, expondo, enfim, não seremos apenas meros receptores.
    Esse estudo diacrônico é muito interessante pelo fato de não nos prender a apenas um momento no tempo, expande nossos conhecimentos e os aprofunda, pois iremos comparar momentos na história e suas influências na literatura contemporânea.

    II - As três eras que subdividem a História Literária sofrem a influência do momento histórico no qual estão inseridas. Elas são divididas por períodos, que por sua vez findam-se numa transição do fim de uma era ao início da outra, possuindo, portanto, características e traços da era seguinte.

    III – O filme Joana D'arc (Joan D'Arc) trata da história de uma mulher que desafiou os preconceitos e as regras impostas pela sociedade na qual ela estava inserida e lutou pela realização dos seus ideais sem se preocupar com as conseqüências de tais atos. Ouvia vozes, foi para a Guerra, defendeu seu País, liderou tropas, venceu batalhas e foi fatalmente queimada na fogueira da inquisição por ser considerada uma herege pela Igreja. Mas, terá seu nome sempre lembrado por tamanha grandiosidade e pela representatividade dos seus atos.

    O filme Excalibur retrata a história de uma espada (Excalibur), dada pelo mago Merlim, que foi fincada à uma pedra pelo então, Rei da Grã-Bretanha, Uther Pendragon, antes de morrer. A partir de então, o homem que conseguisse retirar a espada da pedra seria o novo Rei do país, devendo, portanto, ser respeitado por todos. Depois de muitos anos de tentativas frustradas, um jovem, Arthur, consegue retirá-la facilmente tornando-se o novo Rei. Mas, Merlim revela que ele é um bastardo o que dificulta o seu reinado e é a partir daí que começa uma bela luta pelo poder, englobando até mesmo membros de sua própria família.

    IV – O filme Cruzada se passa na Idade Média, na cidade de Jerusalém (a Terra Santa). A religiosidade é um tema constantemente presente e o motivo de muitas das lutas do filme, o considerado, pela Igreja, herege era queimado na fogueira da Inquisição. Podemos destacar também a presenças dos mitos. As vestimentas dos cavaleiros eram as armaduras e das outras pessoas mantos de cores escuras, aliás, o filme todo é impregnado com uma escuridão, o que ilustra muito bem o momento vivido. As armas da época eram arcos e flechas, espadas, machados, etc. A mulher era tida como reprodutora e não tinha direitos. Enfim, um filme que retrata de forma bastante fiel uma época de guerras, preconceitos, opressões, medos, submissões, entre outras características que faziam parte da Idade Média.

    Obs.:Aguardo qualquer correção ou comentário acerca das respostas dadas.
    Maria Fernanda Santos César.4ºPeríodo-Unimontes
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Questões Propostas
    I-Os objetivos traçados pelo plano de ensino da disciplina Literatura Portuguesa, têm como intento nos proporcionar uma viagem pela linha do tempo, a partir de uma trajetória diacrônica, nos conduzindo ao estudo de obras literárias que abarcam o período da Idade Média ao Barroco. Dessa forma, os estudos literários desenvolverão o senso crítico dos alunos, que partirão de abordagens contextuais para entender a tradição literária portuguesa. Essa disciplina nos proporcionará um estudo amplo das obras literárias, com visões voltadas para determinadas épocas do tempo. Essa tentativa nos permitirá fazer um entrecruzamento das obras, o que aguçará a nossa curiosidade em relação a como nós podemos interelacionar o passado e o presente a partir de textos literários. Diante do que foi mencionado, o estudo da Literatura Portuguesa se faz imprescindível para a formação acadêmica dos alunos do curso de Letras, uma vez que fundamenta-se na própria história do nosso país, que adotou, como sua, a língua do colonizador. Nesse contexto, a língua trouxe consigo suas manifestações estéticas e pragmáticas e também a sua história. Logo, a Literatura Portuguesa foi e continua a ser uma referência notória para a Literatura Brasileira.

    II-Em se tratando da História da Literatura Portuguesa, é de fundamental importância a sua segmentação em Eras, atendo-se aos acontecimentos/ transformações sofridas pela Europa. Dessa forma, a Literatura Portuguesa percorre três Eras: Era Medieval, Era Clássica e Era Romântica ou Moderna. A partir dessa periodização literária, com a catalogação de datas, surgiram as escolas literárias: Trovadorismo, Humanismo, Classissismo, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo, Simbolismo e Modernismo. Nessa perspectiva, procurou-se levar em conta as principais transformações históricas e sociais ocorridas em cada época do tempo, tornando peculiar o seu estudo.

    III-Filme: Tristão e Isolda
    Comentário: Clãs lutam pelo poder na Inglaterra da Idade Média após a queda do Império Romano. Tristão, jovem cujos pais são assassinados, é adotado por seu tio, Lorde Marke, e vira seu maior guerreiro. Dado como morto, Tristão é encontrado e tratado pela bela Isolda, com quem troca juras de amor, mas mantém seu nome em segredo. Ele ganha em um torneio de lutas a mão da princesa irlandesa para Lorde Marke, sem saber que ela é na verdade Isolda. O casamento trará a paz e a unificação dos clãs, mas a paixão faz com que Tristão e Isolda arrisquem tudo para viver seu amor proibido.
    Filme: Os cavaleiros da Távola Redonda
    Comentário: O recém-coroado rei da Inglaterra Arthur Pendragon dedica o seu reinado e a irmandade dos Cavaleiros da Távola Redonda aos ideais de paz e justiça. Apoiando o rei Arthur em seus objetivos está a sua amada rainha Guinevere, o nobre Sir Lancelot e o misterioso Merlin. Lancelot e Guinevere estão divididos entre a secreta paixão que os envolve, e a lealdade e respeito que nutrem por Arthur. Mas esta traição não é nada, se comparada ao ódio que a feiticeira Morgana - meia irmã de Arthur - e seu filho Mordred sentem pelo rei de Camelot.

    IV-Cruzada é uma aventura épica de um homem que se lança em uma guerra que dura décadas. Esse homem serve a um rei maldito e se apaixona por uma rainha exótica, tornando-se um cavaleiro, com a missão de salvar seu povo e cumprir seu destino. Seu papel é proteger o povo de Jerusalém , enquanto tenta manter uma paz cada vez mais frágil. O filme se passa em um local bem sombrio, onde os personagens trazem em suas vestes a marca do cristianismo. Nesse contexto, o filme Cruzada, retrata o movimento militar católico, que partiu de cidades européias em direção a terras santas, refigurando uma página da história da civilização,traduzindo para o nosso tempo um espaço da Idade Média muito curto.

    Camila Rodrigues Marques, 4º período de Letras/ Português - UNIMONTES.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Questões Propostas:

    I- Observando os objetivos Gerais e Específicos da disciplina Literatura Português I – Das origens ao Barroco é interessante notar a importância da interdisciplinaridade. A relação entre as manifestações poéticas da literatura portuguesa e os fatos culturais artísticos e sociais. E a influência que essas mesmas manifestações exerceram no decorrer dos tempos.
    Outro aspecto de extrema relevância está na possibilidade de se estabelecer paralelos entre o passado e o presente por meio dos textos literários.


    II- As três grandes subdivisões da literatura portuguesa acompanharam as transformações vividas pela Europa. A Era Medieval tem seu início com o Trovadorismo e seu fim no Humanismo e é nesse período que o Renascimento literário é implantado em Portugal, e nasce o maior poeta renascentista: Camões. Na Era Clássica, compreendida entre os séculos XVI, XVII e XVIII, os valores clássicos são predominantes, valores esses tais como o pensamento no qual o homem é o centro do universo, antropocentrismo, que ia contra a cultura Medieval, na qual o divino era exaltado. E por fim, a Era Romântica ou Moderna, que perdura até os dias atuais.


    III- O Feitiço de Áquila (Ladyhawke)
    Sinopse:
    Europa, século XII. O Bispo de Áquila (John Wood) toma consciência que sua amada, a bela Isabeau (Michelle Pfeiffer), está apaixonada por Etienne Navarre (Rutger Hauer), um cavaleiro. Áquila fica possuído de raiva e ciúme e lança uma maldição sobre o casal: de dia ela sempre será um falcão e de noite Navarre toma a forma de um lobo, sendo que desta forma fica o casal impedido de se entregar um ao outro. Eles têm como único aliado Phillipe Gaston (Matthew Broderick), mais conhecido como Rato, que é o único prisioneiro que escapou das muralhas de Áquila.

    Excalibur
    Sinopse:
    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    IV- O filme Cruzada mostra as viagens empreendidas pelos europeus em lutas em nome da religião. O protagonista do filme é movido pela fé e poder em busca da salvação em uma terra onde todos os pecados dos homens são perdoados. Supostamente as Cruzadas eram por questões religiosas, mas na verdade trata-se de um movimento militar católico. O filme é repleto de contrastes e retrata o conflito na época da Baixa Idade Média, pois o Sistema Feudal estava em crise.

    Larissa Antunes Alves
    4° Período de Letras-Português - UNIMONTES

    ResponderExcluir
  4. I-A disciplina de Literatura Portuguesa apresenta a partir dos objetivos, tanto específicos quanto gerais, a necessidade de se construir um elo entre passado e presente, interligando as obras e o contexto da época, bem como identificando criticamente a predominância dos valores nos períodos estudados. Assim, faz-se pertinente o conhecimento e entendimento das obras literárias, para que através delas possamos fazer uma relação com outras artes envolvidas em tal estudo.
    Cabe pois, a nós, acadêmicos do curso, empenharmos com participação e criticidade, para que haja a possibilidade da troca e da construção de conhecimentos no processo de ensino-aprendizagem.


    II-Quando se trata dos períodos literários, há uma divisão destes em trêS eras,
    que retratam momentos diferentes das mudanças ocorridas em toda Europa.Tem-se portanto a Era Medieval, que se inicia com a cantiga de Ribeirinha, cantiga essa de amor, encontrada em galego-português.Divide-se pois essa era em Trovadorismo, que acompanha as transformações da Europa e manifesta uma forte influência até os tempos atuais, e Humanismo, que traz uma nova visão do homem numa época de transição, em que as manifestações artísticas se tornam mais humanas.
    Temos a era clássica, que traz os valores clássicos divididos em trêS períodos: o Classicismo, o Barroco e o Arcadismo. Além é claro, da Era Romântica, dividindo-se em Romantismo, Realismo, Simbolismo e Modernismo.


    III- O filme Coração Valente, retrata a luta de um homem que movido pelo sentimento de vingança devido a morte de sua esposa, lidera um povo num grande combate contra a dominação dos ingleses; a liderança pela liberdade.
    Já o filme Joana Darc, trás a história de uma jovem que afirma ouvir vozes pedindo para que ela liberte a França. É um enredo de luta e de exaltação ao nacionalismo, em que a jovem através da fé em Deus luta grandes batalhas e por fim é acusada de heresia pela igreja, denunciada para a inquisição e queimada viva.


    IV- O filme Cruzadas mostra de maneira detalhada a luta pela salvaçao, pela manutenção da paz entre os povos. Ele retrata a Idade Média e trás características que mostram o grande valor dado a religião e a busca pela proteção divina. Assim, nota-se aspectos como a indumentária dos personagens, que trás vestes escuras, com armaduras e a presença da cruz branca, que se relaciona de maneira clara como cristianismo.
    Percebe-se ainda a luta com armas como:espadas, arcos e flechas, além da habilidade mostrada pelos homens nas batalhas.
    Há no filme um clima tenso, a representação do ambiente de forma escura, sem muitas cores presentes. Além de se ver também a maneira como se alimentam, ou seja, com as mãos, trazendo ainda os costumes e a questão do amor no filme.

    Camila Polyane Souza Felício
    4ºperíodo de Letras Português-UNIMONTES

    ResponderExcluir
  5. I- O Plano de Ensino Literatura Portuguesa I- Das origens ao Barroco nos deu uma visão geral do que vai ser a disciplina. Possibilitando dessa forma, conhecimentos da Literatura Portuguesa do Medievo ao Barroco e ainda a habilidade de desenvolver o senso critico com relação ás obras literárias estudadas.



    II- Através das subdivisões da Literatura Portuguesa em Era Medieval, Era Clássica, Era Romântica ou Moderna é possível percebermos particularidades relacionadas ao contexto histórico acompanhando as grandes transformações vividas pela Europa.


    III- O filme Excalibur foi feito nos Estados Unidos em 1981 e tem duração de 140min. O filme possui o gênero voltado para aventura, baseado na lenda inglesa do rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda, escrita por Sir Thomas Malory, mais especificamente sobre a espada do rei, a Excalibur. Durante a era medieval, o rei Uther Pendragon recebe do mago Merlin a mística espada Excalibur, sendo que Uther se apaixona por Igrayne, esposa de um dos seus aliados (Titangel), e é auxiliado por Merlin para possuí-la. Em troca, Merlin exige que a criança, fruto do relacionamento, seja entregue a ele quando nascer. Após vários embates, Uther é ferido mortalmente, e antes de falecer enterra a espada em uma pedra, deixando a Inglaterra sem um rei. Apenas quem retirar a espada da pedra poderá se tornar o novo rei. Com a Inglaterra dividida pela ausência de um rei, vários nobres disputam a posse da espada, mas apenas o jovem Arthur, filho de Uther, auxiliado por Merlin, consegue retirá-la. Entre vários feitos, Arthur unifica o Reino da Inglaterra, cria a Tavóla Redonda, unindo os mais nobres cavaleiros com um rígido código de conduta e constrói a cidade de Camelot.
    O filme O Nome da Rosa, se passa na Baixa Idade Média (século XI ao XV) é marcada pela desintegração do feudalismo e formação do capitalismo na Europa Ocidental. O filme expõe num determinado momento que estranhas mortes começam a ocorrer num mosteiro beneditino localizado na Itália durante a baixa idade média, onde as vítimas aparecem sempre com os dedos e a língua roxos. O mosteiro guarda uma imensa biblioteca, onde poucos monges tem acesso às publicações sacras e profanas.
    A chegada de um monge franciscano, incumbido de investigar os casos, irá mostrar o verdadeiro motivo dos crimes, resultando na instalação do tribunal da santa inquisição. Com relação a cultura, o filme destaca o movimento renascentista que surgiu em Florença no século XIV e se propagou pela Itália e Europa, entre os séculos XV e XVI.


    IV- O filme A Cruzada nos Mostra as viagens que os europeus fizeram no século XII e suas lutas em nome da religião, possibilitando dessa forma, traçarmos paralelos entre esta história e o momento atual da história. O filme retrata a busca de paz e honra entre os povos. É importante ressaltar que o filme se passa em um ambiente sombrio, característico da Idade Média, com a presença de vestimentas escuras dos personagens. Pode-se também observar de forma clara no filme a submissão das mulheres aos homens e a presença marcante da luta religiosa.

    ResponderExcluir
  6. Olá Professora!!!
    Na hora da postagem do comentário
    acima, saiu o nome de Letras e cia,
    e não o meu nome CHRISTIAN-LES.
    Obrigada pela compreensão.

    ResponderExcluir
  7. Olá Professora Generosa!!!!!!
    Sou estudante da Pós-graduação da UNIMONTES-
    História, sociedade e cultura no Brasil.
    A minha pesquisa é sobre a devoção e manifestação festiva a São Judas Tadeu aqui em Montes Claros.Venho trabalhando com esse tema desde a graduação.Por isso achei muito interessante e pertinente o assunto tratado sobre a Hagiografia.
    Renata Vieira

    ResponderExcluir
  8. I-Os objetivos gerais e específicos são de intenso teor cultural, histórico e literário. Eles são incentivadores e nos possibilitarão crescer intelectual e culturalmente em se tratando da matéria da disciplina, como também através da relação dessa com as obras literárias de cada contexto.

    II - Percebe-se que em cada era da Literatura Portuguesa houve aqueles grandes escritores que publicaram relevantes textos que marcaram o seu tempo, e, portanto, ficaram sendo reconhecidos pelas suas produções literárias. É interessante pensar, em se tratando de eras, periodizações, estudos diacrônicos, principalmente no campo da literatura, que os escritores de cada época são influenciados pelas evoluções e até mesmo revoluções histórico-culturais do seu momento e do contexto em que estão inseridos. Eles constroem seus textos, deixando transparecer através da linguagem que utilizam as características que permeiam cada época de produção literária. Dessa forma, pode-se dizer que os textos literários são produtos de um tempo.
    É bom lembrarmos também que quem produz um texto literário, que se torna um “divisor de águas” entre uma época e outra, não teve repentinamente aquela ideia e nisso resultou a escrita. Todavia, o texto passou por um processo de criação, à medida que a história ia evoluindo e passando por transformações a escrita literária também. Assim, conclui-se que a literatura está em processo de mudanças, uma vez que ela é um produto de criação humana de um ser social inserido em uma sociedade que se transforma a todo instante.

    III-O NOME DA ROSA
    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso Von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.
    JOANA D’ ARC
    Dez anos antes de sua morte, Joan (Leelee Sobieski) ouve vozes. Seis anos mais tarde, da vila Domremy ela inicia sua missão para unir a França sob ordens do Rei Charles. Primeiro, ela lidera a defesa de Vancouleurs contra os Burgundis, depois consegue salvo-conduto até Charles, o Delfin. Ele usa sua imagem mística para montar um exército e a envia em socorro de Orléans. Após a coroação de Charles, Joan lidera uma desastrosa campanha em Paris, onde seu irmão vem a falecer. Depois ela é vítima das manipulaçãoes de Charles e capturada em Burgundy, vendida aos ingleses, interrogada pelo Bispo Cauchon, declarada como herege pela Inquisição e queimada em martírio.
    IV - Por cruzadas entende-se que foram movimentos militares de caráter cristão, cujo objetivo era colocar a Terra Santa ou Palestina e a cidade de Jerusalém sob a soberania dos cristãos. Assim, em Cruzada Orlando Bloom é um jovem ferreiro que se torna um cavaleiro para defender Jerusalém durante as Cruzadas, no século 12, quando os europeus tentavam expandir seus domínios pela Terra Santa.
    Amanda Oliveira de Jesus- 4º Período Letras Português

    ResponderExcluir
  9. I- O plano de curso da disciplina foi elaborado de forma a não apenas transmitir conhecimento para os acadêmicos, mas sim incentivá-los a construí-lo, contando com a colaboração da professora. A análise diacrônica da literatura portuguesa será essencial para uma melhor compreensão das obras a serem estudadas, uma vez que isso se torna mais fácil a partir do momento em que podemos articulá-las com o período histórico em que estão inseridas.
    Além disso, será importante para a nossa construção de conhecimento ter acesso a importantes obras dos períodos literários, bem como fazer relações intratextuais com obras de Portugal e outros países, relacionando-as com diferentes formas de arte.

    II- A Literatura Portuguesa é dividida em três longos períodos: Era Medieval, Era Clássica e Era Moderna (ou Romântica). A Era Medieval tem início no ano de 1189, suposta data de publicação do primeiro texto escrito em língua portuguesa, “A Canção de Ribeirinha”, de Paio Soares de Taveirós. Essa era se estendeu até o ano de 1527, passando do Trovadorismo (1189-1434) ao Humanismo (1934-1527).
    Quanto a segunda era, a Clássica, houve o predomínio dos valores clássicos, compreendendo do século XVI ao XVIII, dividindo-se em três períodos: Quinhentismo, Seiscentismo e Setecentismo.
    A última e atual era, a Romântica (ou Moderna), começou em 1825 e estende-se até os dias atuais, passando por quatro diferentes períodos: Romantismo, Realismo, Simbolismo e, o período que compreende os nossos dias, o Modernismo.
    Todas essas eras são interdependentes, uma vez que traços de eras antigas apareciam nas posteriores e, além disso, refletiam o contexto histórico em que estavam inseridas.

    III- Rei Arthur (King Arthur – 2004)

    Arthur (Clive Owen) é um líder relutante, que deseja deixar a Bretanha e retornar a Roma para viver em paz. Porém, antes que possa realizar esta viagem, ele parte em missão ao lado dos Cavaleiros da Távola Redonda, formado por Lancelot (Ioan Gruffudd), Galahad (Hugh Dancy), Bors (Ray Winstone), Tristan (Mads Mikkelsen) e Gawain (Joel Edgerton). Nesta missão Arthur toma consciência de que, quando Roma cair, a Bretanha precisará de alguém que guie a ilha aos novos tempos e a defenda das ameaças externas. Com a orientação de Merlin (Stephen Dillane) e o apoio da corajosa Guinevere (Keira Knightley) ao seu lado, Arthur decide permanecer no país para liderá-lo.

    El Cid (El Cid – 1961)

    A trajetória de Rodrigo Diaz de Bivar, mais conhecido como El Cid (Charlton Heston), herói espanhol do século XI que uniu os católicos e os mouros do seu país para lutar contra um inimigo comum: o emir Ben Yussuf (Herbert Lom). Esta longa jornada começou quando Rodrigo, um súdito do rei Ferdinand de Castella, Leão e Astúrias (Ralph Truman), liberta cinco emires que eram prisioneiros dele e por causa deste ato é acusado de traição. Don Ordóñez (Raf Vallone) o acusa inicialmente, mas na corte é o Conde Gormaz de Oviedo (Andrew Cruickshank) quem acusa duramente Rodrigo e humilha Don Diego (Michael Hordern), o pai de Rodrigo. Estes acontecimentos acabam provocando um duelo de Rodrigo com o Conde Gormaz, o campeão do rei. Rodrigo o mata, mas acontece que Gormaz também era pai de Jimena (Sophia Loren), a mulher que Rodrigo amava e com quem ele pensava em se casar. Mas, em virtude do acontecido, ela passa então a odiar (ou pensa, que odeia) Rodrigo, seu antigo amor. Aproveitando este momento conturbado Ramiro, rei de Aragão, exige a posse da cidade de Calahorra e sugere que ela seja disputada entre os paladinos de cada reino em uma luta até a morte. Então Rodrigo se apresenta para duelar pelo seu rei, pois ele tinha matado Gormaz, o antigo paladino, e se Rodrigo vencesse o combate contra Don Martin (Christopher Rhodes), que já tinha matado vinte e sete homens em combates corporais, seria perdoado pelo rei.

    Fonte: www.adorocinema.com.br

    ResponderExcluir
  10. IV- O filme "Cruzada" retrata a jornada de Balian, um ferreiro que, logo após perder sua família, com poucas esperanças, recebe a missão de defender a Terra Santa, o local onde todos os pecados são perdoados. Após a morte de seu pai em um combate, Balian segue até Jerusalém para cumprir a promessa feita a seu pai, de proteger o povo e servir ao rei.
    A presença de cores neutras e escuras, principalmente nas vestes dos personagens, cria um clima sombrio que é coerente ao clima de guerra.
    A religiosidade é um tema bastante presente ao longo do filme. Em uma cena, ao afirmar que não foi agraciado por Deus e que acreditava ter perdido sua religião, Balian escuta de um fiel que não se deve apostar em religiões, uma vez que Deus está na mente e no coração do homem.
    Quanto as armas, na época do conflito ainda não existiam armas de fogo, sendo utilizados na guerra machados, flechas, arcos, espadas e escudos.
    Há ainda a representação da mulher como figura submissa ao homem, como quando Sybilla abandona o seu reinado em virtude do seu amor por Balian. Seu sacrifício foi em vão, uma vez que após a cruzada chegar ao fim, Balian retorna à França e volta a ser um ferreiro.


    Luiz Guilherme de Lima e Oliveira Jabbur
    4º período de Letras/Português - UNIMONTES

    ResponderExcluir
  11. 1)
    O plano de ensino de literatura portuguesa fará com que seja possível uma "viagem" pelo tempo, os marcos relacionados à literatura, sua história.
    Poderemos então, analisar a partir do que iremos estudar na matéria, outros textos literários, desenvolvendo assim o gosto pela literatura, ou seja, aumentaremos os nossos conhecimentos.

    3) O REI ARTHUR
    Através do filme "Rei Arthur" podemos perceber que Roma, naquela época, era representada pela Igreja católica que tomava crianças, meninos sármatas, e as criavam para que, quando adultos, servissem seu exército já que eram chamados de "servidores do império" , e deveriam defender Roma e a Igreja. A igreja afirmava, através de seus representantes, que os pagãos deveriam morrer, tentando com isso, expandir o catolicismo na ilha; e aqueles que desafiassem a Igreja eram considerados como hereges, e desertores que não teriam suas almas salvas por terem quebrado seus pactos com Roma. Os cavaleiros de Arthur eram Sármatas, servidores do império romano que lutavam pela igreja a fim de receber, em troca, a liberdade, e poderem, com seus salvo-condutos viajarem livremente por toda Roma. Consideravam-se como "irmãos de guerra" que lutavam pelos seus destinos, livre arbítrio, igualdade, pelo direito de escolha e por suas terras e povos, pois acreditavam que todos eram livres desde que vieram ao mundo.

    http://pt.shvoong.com/books/1759072-rei-arthur/

    2)
    Iremos ter três eras que são:
    Era Medieval, Era Clássica e Era Romântica ou Moderna.
    A Era Medieval teve seu início em 1189 e foi marcada pela estética renascentista.
    Na Era Clássica houve um predomínio dos valores clássicos e compreendendo do século XVI ao XVIII, dividindo-se então em três períodos:Quinhentismo, Seiscentismo e Setecentismo.
    A Era Românica ou Moderna começou em 1825 e se estendeu até hoje nos dias atuais. Dividiu-se em três períodos:Romantismo, Realismo, Simbolismo e, o período que compreende os dias de hoje, Modernismo.

    ResponderExcluir
  12. O NOME DA ROSA

    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    http://www.adorocinema.com/filmes/nome-da-rosa

    4)CRUZADA

    O filme CRUZADA é um filme que se passa na época medieval onde homens usavam armaduras,flexas e escudos para lutar,e onde a mulher não podia se expressar, era submissa ao marido.
    Naquela época a igreja exercia um poder muito grande sobre as pessoas e havia ainda a questão da inquisição, a morte.
    Há uma frase que um bispo menciona no decorrer do filme que diz:"Santidade está na nação justa."
    Sempre afirmavam: "Deus quis assim", "essa é a vontade de Deus", entre outras frases.
    As pessoas se alimentavam com as mãos e vemos também que o filme se passa num clima sombrio e escuro.


    professora, qualquer erro que eu tenha cometido me avise para que eu possa corrigi-lo o mais rápido possível.
    bjuuxxx..........
    Rayane Arantes Santos/4º período de Letras-Português
    UNIMONTES

    ResponderExcluir
  13. professora me desculpe...
    as postagens estão fora de ordem...
    mas está tudo aí...pode conferir..
    bjuuxx....
    Rayane Arantes Santos

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. I-O plano de ensino ficou muito bom, já que tanto os objetivos gerais quanto os específicos são bastante coerentes e terão valor inestimável na construção de uma aprendizagem saudável. Conhecer a história da Literatura Portuguesa fará com que possamos compreender melhor nossa própria literatura. Analisar obras de diferentes períodos nos torna aptos a fazermos críticas concretas. O grande diferencial dessa disciplina está no blog como instrumento de aprendizado.

    II- Sobre as “Eras” em que se divide a Literatura Portuguesa cabe ressaltar que cada uma possui suas particularidades. Sendo a “Era Medieval” subdividida em: Trovadorismo (1189-1434) e Humanismo (1934-1527); seguida pela “Era Clássica”, esta possui características genéricas, subdividindo-se em: Quinhentismo (ou Barroco), Setentismo(Arcadismo ou Neoclassicismo). E estendendo-se ate os dias de hoje a “Era Moderna”, que engloba o Romantismo, o Realismo, O simbolismo, o Modernismo.

    III-
    TÍTULO DO FILME: O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE

    RESUMO

    Este clássico do cinema italiano, retrata os costumes da cavalaria medieval através de uma demolidora e bem humorada sátira. A figura central é Brancaleone, um cavaleiro atrapalhado que lidera um pequeno e esfarrapado exército, perambulando pela Europa em busca de um feudo. Trata-se de uma paródia a D. Quixote de Cervantes.
    O filme consegue ser hilário, mesmo na reconstituição dos aspectos mais avassaladores da crise do século XIV, representados pela trilogia "guerra, peste e fome". Utilizando-se sempre da sátira, o filme de Monicelli focaliza a decadência das relações sociais no mundo feudal, o poder da Igreja católica, o cisma do Oriente e a presença dos sarracenos.
    Filme: Robin Hood


    Após voltar de uma Cruzada Robin de Locksley (Kevin Costner), um jovem cavaleiro, descobre que seu pai, Lorde de Locksley (Brian Blessed), foi morto pelos seguidores do xerife de Nottingham (Alan Rickman), que por sua vez é partidário do Príncipe João, que tudo fará pra que Ricardo Coração de Leão (Sean Connery) não volte ao poder. Robin é visado pelos usurpadores e foge, mas sempre acompanhado por Azeem (Morgan Freeman), um mouro que lhe deve a vida. Eles vão parar na Floresta de Sherwood, onde são atacados por camponeses que, para sobreviver, atacam os asseclas do xerife. Logo Robin e Azeem se unem ao bando e planejam trazer Ricardo de volta ao poder. Em meio à sua luta, Robin é ajudado por Marian (Mary Elizabeth Mastrantonio), uma bela donzela por quem se apaixona.

    IV-O filme “Cruzada” se passa no séculoXII( Idade Média) e retrata o grande valor religioso.Sendo o protagonista, um jovem ferreiro que buscava defender a Terra Santa, terra na qual todos os pecados eram perdoados.Percebe-se nesse filme que as roupas usadas possuem cores escuras e os cavaleiros portam sempre armaduras.As armas utilizadas eram o arco, a flecha e a espada, ainda não haviam armas de fogo.Observa-se no decorrer do filme que este é sombrio, sem leveza. A mulher é tratada como submissa desprovida de direitos. Enfim, é um retrato dos costumes vigentes em tal época.

    ResponderExcluir
  16. CRISTIANA CANGUSSÚ
    Numero 4 (resposta)
    Cruzada (Kingdom of Heaven)
    Elenco: Brendan Gleeson , David Thewlis , Jeremy Irons , Liam Neeson , Marton Csokas , Orlando Bloom.
    Direção: Ridley Scott
    Gênero: Drama
    Distribuidora: Fox Film
    Estréia: 6 de Maio de 2005
    Sinopse: É uma aventura épica sobre um homem comum que se ve lançado em meio a uma guerra que dura decadas. Um estranho em terra estranha, ele serva a um rei maldito, se apaixona por uma rainha exótica e proibida e se torna um cavaleiro. Por fim, ele deve proteger o povo de Jerusalém de forças poderosas em quanto tenta manter uma paz cada vez mais frágil.

    Cruzada é ambientado em 1186, durante a Segunda e Terceira Cruzadas, o movimento militar católico que partiu de cidades européias em direção a terras santas, como Constantinopla e Jerusalém, à mercê do expansionismo muçulmano. A primeira das oito Cruzadas que se expandiram por 200 anos foi iniciada pelo papa Urbano II, que, em 1095, durante o Concílio de Clermont, defendeu sua idéia bélica baseado em várias alegações falsas. No filme de Scott, Bloom interpreta o ferreiro francês Balian. Após perder a família e sua crença na Igreja, Balian vem a conhecer o pai, o nobre guerreiro inglês Godfrey de Ibelin (Liam Neeson), que o abandonara quando criança. Godfrey segue em direção a Jerusalém com seu miniexército de cruzados e convida Balian para juntar-se à missão. Quando Godfrey é atacado e morto, Balian decide continuar a jornada, procurando sua salvação de espírito em Jerusalém.

    Na Terra Santa, Balian não é só aceito por seu sangue nobre, mas também por sua habilidade em manusear espadas. Apaixona-se por Sybilla, a princesa irmã de Baduíno IV, o rei cristão que sofre de lepra (Edward Norton, sempre de máscara). Baduíno se opõe a um embate com os muçulmanos liderados por Salah al-Din, o Saladino (o excelente ator sírio Ghassan Massoud), o sultão que viria a reconquistar a maioria das cidades perdidas pelo Islã para os cristãos. Após a morte do rei, o embate torna-se inevitável, e a força e a determinação do Exército de Saladino fazem Balian entregar Jerusalém ao domínio dos muçulmanos. ''O que mais me fascina nessa história é que, 900 anos após as Cruzadas, o mundo ocidental e os muçulmanos ainda não resolveram suas diferenças religiosas''.

    ResponderExcluir
  17. CRISTIANA CANGUSSÚ
    RESPOSTA NUMERO 3

    Coração Valente (Braveheart/ Mel Gibson) 1995
    O filme retrata a figura histórica de William Wallace, guerreiro, patriota escocês e heróimedieval. O realizador tenta conferir ao protagonista uma faceta mais romântica e idealista e menos sanguinária.
    A ação situa-se em finais do século XIII, tempo em que os rebeldes escoceses lutavam contra o domínio do rei inglês Eduardo I.
    Depois de, ainda criança, ter assistido à morte de seu pai às mãos do exército inglês, William é acolhido por um tio que lhe dá uma educação esmerada e erudita. Depois de percorrer o mundo, volta à sua Escócia natal e apaixona-se por uma jovem camponesa. Para escapar à deliberação real de que um senhor feudal inglês tinha direito a dormir com uma noiva no dia do seu casamento (direito de prima nocte), contraem matrimónio secretamente. Contudo, a sua mulher é morta por um nobre inglês e, no decorrer da vingança, Wallace assume o comando de um pequeno exército de camponeses com o intuito de lutar pela soberania da Escócia. Chega mesmo a derrotar o poderoso exército inglês na Batalha de Stirling Bridge, mas fracassa em conseguir o apoio dosnobres líderes dos clãs escoceses mais interessados em manter as suas regalias junto da coroa inglesa.
    Apesar da ajuda da Princesa Isabelle, nora do rei inglês, Wallace é traído pelos nobres escoceses e é aprisionado pelos ingleses. É torturado e executado em praça pública sem nunca renegar a legitimidade da sua luta.
    As Brumas de Avalon é um dos mais fantásticos épicos medievais alguma vez escrito, no qual Marion Zimmer Bradley recria as lendas arturianas, desta vez narrado através do olhar das mulheres que, por detrás do trono, governaram os próprios actos masculinos e foram as verdadeiras detentoras do poder.
    Num universo paralelo à Grã-Bretanha celta, a enigmática ilha de Avalon é a guardiã dos grandes mistérios eternos e sagrados. E os que estão destinados a viver nos dois mundos são, passo a passo, confrontados com as antigas tradições ligadas à Natureza, e às suas forças obscuras, e à nova fé cristã que procura espalhar-se no território.
    No centro de A Senhora da Magia, primeiro dos quatro volumes desta saga, está Morgaine, a meia-irmã de Arthur, que se encontra num processo de iniciação para se tornar Grã-Sacerdotisa de Avalon. O seu grande objectivo é afastar a Bretanha da nova religião que encara a mulher como portadora do pecado original, ao mesmo tempo que desenvolve todos os esforços para colocar o seu meio-irmão no poder, como símbolo e líder da Bretanha unificada, sob a égide de Avalon e da Espada Mágica, Excalibur.
    Num ambiente verdadeiramente mágico de paganismo, cristianismo, rituais mágicos e visões, sensualidade e realidade, A Senhora da Magia introduz-nos no mundo lendário do Rei Arthur, dos Cavaleiros da Távola Redonda e das Cruzadas. É o olhar feminino sobre o tempo da busca da paz e da unificação da Bretanha: cheio de inesperadas cintilações e magias, repleto de penumbras, brumas e rituais femininos. Uma perspectiva alucinante e vertiginosa de uma época onde tudo era possível através dos poderes das mulheres.

    ResponderExcluir
  18. CRISTIANA CANGUSSÚ
    RESPOSTA NUMERO 2

    ERA MEDIEVAL:
    A Idade Média teve início na Europa com as invasões germânicas (bárbaras), no século V, sobre o Império Romano do Ocidente. Essa época estende-se até o século XV, com a retomada comercial e o renascimento urbano. A Idade Média caracteriza-se pela economia ruralizada, enfraquecimento comercial, supremacia da Igreja Católica, sistema de produção feudal e sociedade hierarquizada.
    A sociedade era estática (com pouca mobilidade social) e hierarquizada. A nobreza feudal (senhores feudais, cavaleiros, condes, duques, viscondes) era detentora de terras e arrecadava impostos dos camponeses. O clero (membros da Igreja Católica) tinha um grande poder, pois era responsável pela proteção espiritual da sociedade. Era isento de impostos e arrecadava o dízimo. A terceira camada da sociedade era formada pelos servos (camponeses) e pequenos artesãos. Os servos deviam pagar várias taxas e tributos aos senhores feudais, tais como: corvéia (trabalho de 3 a 4 dias nas terras do senhor feudal), talha (metade da produção), banalidades (taxas pagas pela utilização do moinho e forno do senhor feudal).
    Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média. A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo servos trabalhando. Os monges viviam em mosteiros e eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a Bíblia.

    A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam. Esta era marcada pela influência da Igreja, ensinando o latim, doutrinas religiosas e táticas de guerras. Grande parte da população medieval era analfabeta e não tinha acesso aos livros.

    A arte medieval também era fortemente marcada pela religiosidade da época. As pinturas retratavam passagens da Bíblia e ensinamentos religiosos. As pinturas medievais e os vitrais das igrejas eram formas de ensinar à população um pouco mais sobre a religião.
    Podemos dizer que, no geral, a cultura medieval foi fortemente influenciada pela religião. Na arquitetura destacou-se a construção de castelos, igrejas e catedrais.

    ResponderExcluir
  19. RESPOSTA NÚMERO 2 (CONTINUAÇÃO)
    ERA CLASSICA:
    O classicismo é um movimento cultural que valoriza e resgata elementos artísticos da cultura clássica (greco-romana). Nas artes plásticas, teatro e literatura, o classicismo ocorreu no período do Renascimento Cultural (séculos XIV ao XVI). Já na música, ele apareceu na metade do século XVIII (Neoclassicismo).
    Características do Classicismo:

    - Valorização dos aspectos culturais e filosóficos da cultura das antigas Grécia e Roma;
    - Influência do pensamento humanista;
    - Antropocentrismo: o homem como o centro do Universo;
    - Críticas as explicações e a visão de mundo pautada pela religião;
    - Racionalismo: valorização das explicações baseadas na ciência;
    - Busca do equilíbrio, rigor e pureza formal;
    - Universalismo: abordagem de temas universais como, por exemplo, os sentimentos humanos.

    Principais representantes do Classicismo dos séculos XIV ao XVI:

    - Na literatura destacou-se o escritor português Camões, autor da grandiosa obra Os Lusíadas. Podemos também destacar os escritores: Dante Alighieri, Petrarca e Boccacio.
    - Nas artes plásticas, podemos destacar: Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rafael Sanzio, Andrea Mantegna, entre outros.

    Principais representantes do Neoclassicismo na música do século XVIII:

    - Wolfgang Amadeus Mozart
    - Joseph Haydn
    - Ludwig van Beethoven


    ERA ROMANTICA/ MODERNA:
    A Era Romântica é um período da história da música que se convenciona classificar entre o ano de 1815 até o início do século XX. Designa ainda qualquer música escrita durante esse período e que se enquadra dentro das normas estéticas do Período Romântico (neo-romantismo). Foi precedido pelo classicismo e sucedido pelas tendências modernistas.
    A época do romantismo musical coincide com o romantismo na Literatura, Filosofia e Artes Plásticas. A idéia geral do romantismo é que a verdade não poderia ser deduzida a partir de axiomas. Certas realidades só poderiam ser captadas através da emoção, do sentimento e da intuição. Por essa razão, a música romântica é caracterizada pela maior flexibilidade das formas musicais e procurando focar mais o sentimento transmitido pela música do que propriamente a estética, ao contrário do Classicismo. No entanto, os gêneros musicais clássicos, tais como a sinfonia e o concerto, continuaram sendo escritos.

    ResponderExcluir
  20. CRISTIANA CANGUSSÚ - RESPOSTA NÚMERO 1:
    OBJETIVOS GERAIS:

    Partindo do pressuposto, de que a Literatura Brasileira proveio da Portuguesa, é de suma importância que estudemos as origens de nossa escrita, cultura e costumes, o que é proposto neste plano.

    OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

    Conhecer as obras, traçar paralelos sob a conjuntura sócio-histórica abrindo espaço para novas discussões acerca dos temas estudados, construindo conhecimentos de maneira sólida.Diferenciar gêneros, com suas (dês)valorizações e peculiaridades, além de obter amplos conhecimentos estéticos, culturais e sociais.

    ResponderExcluir
  21. I)O Plano de Ensino proposto, levará os acadêmicos a ter um aprofundamento no que diz respeito ao estudo de literatura portuguesa.
    A professora utilizara uma metodologia que levará o aluno a analisar, conhecer e fazer paralelos sobre os períodos históricos. Desenvolverá, também, a compreensão da importância dos movimentos literários, tendo como base os textos teóricos. Assim, os alunos terão oportunidade de enriquecerem seus conhecimentos sobre a literatura portuguesa.

    II) A periodização da literatura portuguesa divide-se em três espaços de tempo: Era Medieval, Era Clássica e Era Moderna. Essas eras subdividem-se nas chamadas escolas literárias.
    A Era Medieval, subdivide-se em Trovadorismo, período que aconteceram as cruzadas, e Humanismo, nesse período aconteceu a transição da cultura medieval para a cultura clássica.
    A Era Clássica tem como característica os valores clássicos. Este período subdivide-se em Classicismo, Barroco e Arcadismo.
    E por fim, a Era Romântica ou Moderna, subdivide-se em Romantismo, Realismo, Simbolismo e Modernismo. Esse foi o percurso feito pela literatura portuguesa.

    III) Filmes:
    CRUZADA: Retrata o movimento das cruzadas, a cultura da época, a inquisição e o contexto vivido pela população da época.
    FRANCESCO E CHIARA: retrata a história de Francisco e Clara de Assis, no contexto do movimento das cruzadas, mostrando a religiosidade da época, a postura da igreja que considerava tudo como heresia, a sociedade em que a mulher era submissa ao homem, o misticismo, etc.

    IV) O filme “Cruzada” nos proporcionou a conhecer um pouco mais do tempo das cavalarias, isto é, o trovadorismo. O filme mostra um pouco da cultura da época, enfatizando a religião cristã em que tudo era pecado e quem o cometia era julgado pela inquisição. Nesta época, lutavam em nome de Deus e neste contexto de lutas, o cenário tem características obscuras e tenebrosas, entretanto, o amor e a paixão estão presentes no filme.

    Amanda Gusmão Santos_4º período/Unimontes

    ResponderExcluir
  22. I- Os objetivos geral e específico do plano de ensino foram elaborados visando o estudo da literatura portuguesa desde o período da idade média até a fase do barroco.
    O mais interessante desse plano de ensino, é o fato de que ele irá nos proporcionar um conhecimento mais aprofundado acerca da literatura portuguesa e do contexto histórico relacionado com cada período literário a ser estudado, e consequentemente formará em nós um senso crítico sobre as obras literárias estudadas.
    Outro ponto positivo do plano é que quando ele se propõe a desenvolver o senso crítico no aluno, isto implica que haverá uma maior participação desse aluno nas aulas.

    II- De acordo com o texto, Periodização literária, a literatura portuguesa subdivide-se em três eras:era medieval, que é a fase mais antiga da literatura portuguesa e que é dividida em dois períodos basicamente, que são o Trovadorismo e o Humanismo; a era clássica em que há o predomínio dos valores clássicos e que também é dividida em outros períodos, que são o Quinhentismo ou Classicismo, o Seiscentismo ou Barroco e o Setentismo ou Arcadismo e conhecido também como Neoclassicismo.
    De acordo com essas divisões é possível percebermos a relação da literatura com o contexto histórico através das obras de cada um dos períodos descritos anteriormente.

    ResponderExcluir
  23. (Continuação)
    III- O filme Joana D’arc, que conta uma história de força e coragem de uma jovem camponesa que lutou por seus ideais e num ato heróico organizou uma rebelião de camponeses na França, contra a Inglaterra que queria dominar o território francês.
    Porém ela foi capturada e acusada pelos ingleses de bruxaria, por isso foi julgada e condenada a ser queimada numa fogueira. Sua morte abalou os franceses e fez com que lutassem com mais vontade até vencer a guerra. Após a morte de Joana D’arc , na fogueira, os franceses obtiveram sucessivas vitórias até a derrota final dos ingleses.

    O filme As Brumas de Avalon em que recorda que a maioria do que foi dito sobre o Rei Arthur e aqueles que o cercavam é mentira, pois, como sacerdotisa de Avalon, onde nasceu a religião da Deusa-Mãe, viveu estes acontecimentos, que começaram quando acontece o maior levante já visto na Bretanha. Os saxões varriam o país matando igualmente cristãos e seguidores da deusa de Avalon. Se um grande líder não unisse cristãos e pagãos, a Bretanha estaria condenada ao barbarismo e Avalon ao desaparecimento. Gorlois, o pai de Morgana, lutava incansavelmente contra as hordas de saxões. Nesta época Morgana era apenas uma criança, que vivia na Cornuália com Igrane, sua mãe, que era ainda uma seguidora da antiga religião e praticava secretamente a antiga magia. Morgause, a irmã de Igrane, também lá morava e apreciava o poder de Avalon. Um dia Viviane, que também era tia de Morgana e, principalmente, era a grã-sacerdotisa de Avalon, passou a visar apenas um objetivo: salvar Avalon dos saxões. Ela teve uma visão que o rei morreria em 6 meses, sem deixar herdeiros. Viviane comunica a Igrane que ela irá gerar este líder, mas não com Gorlois, seu marido, e sim com um homem que usa o símbolo do dragão e é um seguidor da deusa. A idéia desagrada Igrane, sendo que Morgause diz que não tem marido a quem trair e também tem o sangue de Avalon, assim quer fazer este homem se apaixonar por ela e gerar esta criança. Viviane se opõe, dizendo que ninguém pode viver o destino de outro, e fala para Morgause que ela tem um rei e filhos no seu futuro, mas não dá explicações. Viviane planeja salvar Avalon através da unção e treinamento de sua sobrinha, Morgana, como sua sucessora, manipulando a linhagem real para gerar Arthur, um rei que abraçará tanto as crenças pagãs quanto o cristianismo. Desta forma Avalon seria salva, pois a ilha é o centro pagão do poder e um mundo místico invisível para aqueles que não crêem. Porém, conforme o cristianismo avança pela Inglaterra e mais pessoas se afastam da Deusa, esse reino misterioso se torna difícil de alcançar até mesmo para os que têm fé, com a ambiciosa Morgause se empenhando em frustrar seus planos. Viviane tem um temperamento determinado e boas intenções, mas comete um erro que atingirá Morgana pessoalmente e afetará toda a Bretanha.



    IV- O filme Cruzadas retrata fielmente o período da idade média, ele se passa em Jerusalém e conta a história das cruzadas que eram batalhas em nome da religião, em nome do cristianismo.
    Nesse filme um cavaleiro (o protagonista) luta em busca da honra e da salvação de seu povo. Este cavaleiro é um jovem ferreiro francês que inspirado no seu pai, resolve dedicar a sua vida a manter a paz na Terra Santa, para isso ele decide servir a um rei amaldiçoado e acaba se apaixonando por uma princesa que é irmã desse rei.
    O espaço onde o filme se passa é um local sombrio, frio e os personagens aparecem sempre com vestes que fazem alusão ao cristianismo.

    Karolinne Batista Santos
    4ºPeríodo de Letras Português/Unimontes

    ResponderExcluir
  24. I – O estudo sobre a Literatura Portuguesa poderá contribuir de forma significativa com a nossa construção de conhecimento em relação ao projeto empreendido. Assim, o trabalho apresentado através dos objetivos, proporcionará a todos nós acadêmicos, a estabelecer uma relação mais consistente no que diz respeito às obras literárias, a tradição e contexto dos períodos estudados.
    Dessa forma, refletir sobre a Literatura Portuguesa, bem como a sua relação com outras literaturas, parece ser um desafio, porém, é muito interessante observar criticamente os textos literários, bem como seu elo com outras manifestações artísticas. Sendo assim, devemos comprometidamente assumir uma postura que contribua com as nossas aulas e com todos os estudos ministrados, atuando de forma construtiva para uma aprendizagem eficaz, em que todos possam ser agentes de um processo de conhecimento.

    II – A Literatura Portuguesa apresenta três grandes eras que traduzem significativamente o período de enormes mudanças que ocorreram na Europa, introduzindo novas características e diferentes produções literárias. Assim, temos de início a Era Medieval, que se subdivide em Trovadorismo e Humanismo. Além da era clássica, com o Classicismo, o Barroco e o Arcadismo, seguindo - se da era Romântica, com o Romantismo, o Realismo, Simbolismo e Modernismo. Dessa forma, é importante salientar que o estudo levará sempre em consideração o contexto da época, bem como o que ocasionou as grandes transformações referidas.

    III - Filme: El Cid A história do lendário herói espanhol El Cid. No século XI o herói cristão procura celebrar a paz entre os membros da realeza, um nobre guerreiro com o dom da justiça e misericórdia, que visa promover a unificação da Espanha, sendo depois chamado para comandar a resistência contra os invasores mouros. Incríveis cenas de batalhas e uma meticulosa reconstituição de época conferem a este filme um caráter de grandiosidade poucas vezes visto no cinema.

    Filme: Excalibur
    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava dividido em guerras entre os senhores feudais e Artur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino esta na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    ResponderExcluir
  25. IV –
    Cruzadas é um filme que retrata a história de um jovem ferreiro que ainda em luto pela morte de sua mulher e filho, se torna um cavalheiro em busca da paz na Terra Santa, sendo a grande esperança de proteção para seu povo. Trata-se de um enredo que acontece numa época da história em que há muita divisão e imensas batalhas. Assim, o filme traduz um momento de duvidas, de escuridão e de tensões; apresentando traços significativos como as armaduras que os personagens fazem uso. Além de mostrar também, as vestes escuras e com cruzes que retratam o momento vivido. Apontando a questão dos costumes, da religião que se faz presente a todo instante; enfim, tem-se um clima tenso e sombrio que perpassa todo filme.

    Fabrícia Rodrigues - 4º período de Letras Português - UNIMONTES

    ResponderExcluir
  26. I- Analisando os objetivos gerais e específicos do plano de ensino, pude ver a praticidade de cada objetivo para a minha vida acadêmica. Todos são significativos, entretanto, o que mais me entusiasmou, foi saber que além de conhecer pontos relevantes da literatura portuguesa do período medieval ao barroco, serei capaz de articular de maneira crítica, obras literárias desses períodos ao contexto sócio-cultural da época e também compreender como nós hoje, podemos construir paralelos com o passado, através de textos literários.

    II- A divisão da literatura Portuguesa em três grandes eras: Medieval, Clássica e Romântica com suas respectivas subdivisões, denominadas escolas literárias ou estilos de época proporcionaram uma melhor compreensão e assimilação das características específicas de cada época, pois, além de separar por datas cada período, apresenta uma nomenclatura de fácil assimilação.

    III- Visitando os links indicados, um filme medieval que chamou minha atenção foi Coração Valente (Braveheart), pois é um filme épico carregado de paixão, traição e coragem. O filme narra uma brutal guerra pela independência da Escócia no século XIII, após a esposa de William Walace ser brutalizada pelas tropas inglesas. Outro filme interessante que encontrei foi sobre a Francesa Joana D’arc, mulher corajosa para o seu tempo. O filme narra a bela história de Joana D’arc que se tornou uma heroína na guerra dos Cem anos , no século XV, envolvendo a França e a Inglaterra.

    IV- A cruzada é um filme maravilhoso, pois além do belíssimo enredo, atores e produção, nos leva a uma reflexão sobre o que tem sido feito durante toda a história do cristianismo em nome de Deus. As mais variadas atrocidades são cometidas por aqueles que professam uma fé cristã e que ao invés de seguir o exemplo do mestre, que tanto declaram amor e fidelidade, causam as maiores barbaridades totalmente contrária a vida de Cristo que foi humilde e pacificador, morrendo por toda a humanidade.
    Interessante que mesmo diante de uma fé cega, imposta por homens autoritários e dominadores, sempre há pessoas inconformadas com o sistema e que buscam resposta para perguntas que não querem calar.
    Assim, o filme narra a história do ferreiro Balian, que viveu no século XI, época em que a igreja tinha total controle sobre o comportamento das pessoas, porém, o ferreiro inconformado com a impiedade que a igreja e a sociedade via o suicídio da esposa, não consegue se controlar diante da arrogância de um padre e mata-o inesperadamente.
    Balian parte para Jerusalém em busca de perdão para seu pecado e lá descobre a essência do cristianismo quando o pai morre e o faz jurar que lutaria pela paz entre católicos, muçulmanos e judeus, que sempre diria a verdade mesmo que isso o levasse a morte e que sempre defenderia os mais fracos, pois a santidade estava na ação justa.
    Assim o humilde ferreiro, descobre que Jerusalém não precisa de um rei perfeito, mas de um reino de justiça e que nem tudo que acontece no mundo é a vontade de Deus

    ResponderExcluir
  27. I) Os objetivos apresentados no plano de ensino mostram que a disciplina Literatura Portuguesa, que será estudada durante este semestre, consiste em revelar fatos, contexto histórico, cultural e social que unem a literatura a um determinado período. Contribuindo assim, para o desenvolvimento do senso crítico e intelectual do acadêmico.

    II) A periodização literária se sucedeu em três Eras, subdivididas em períodos. Destacaremos tais Eras e períodos.
    ● Era Medieval: iniciada com o texto “Canção da Ribeirinha”. Subdividi-se em: Trovadorismo e Humanismo. São características da Era medieval na literatura, as poesias cantadas e acompanhadas por instrumentos musicais, as cantigas de amigo e de amor pertenciam ao gênero lírico; já as cantigas de escárnio e de maldizer, pertenciam ao gênero satírico. Os autores das cantigas eram chamados de trovadores e quem as interpretavam eram os menestréis, segréis e jograis.
    ● Era Clássica: trouxe para a literatura o predomínio dos valores clássicos. Buscava o ideal de perfeição e equilíbrio estético formal das obras, obediência a regras, racionalismo, impessoalidade, universalismo. Esta Era compreende três períodos:
    - Quinhentismo ou Classicismo (1527 a 1580): incluem-se neste período a literatura informativa, documentos, cartas relatórios de navegantes, de administradores e de missionários e autoridades eclesiásticas. As obras se ocupavam da descrição da nova terra e de seus habitantes. A literatura catequética se ocupava com a temática religiosa e moral; concepção teocêntrica do mundo, etc.
    - Seiscentismo ou Barroco (1580 a 1756): algumas de suas características são: o pessimismo, desequilíbrio entre a razão e a emoção, dualidade; contradição, tendência à ilusão (fuga à realidade objetiva, subjetiva). Tendência à alusão (descrição indireta). Predomínio de figuras como a metáfora, a antítese, o paradoxo, a hipérbole, o hipérbato.
    - Setecentismo ou Arcadismo ou Neoclassicismo (1756 a 1825): este movimento literário retorna ao equilíbrio clássico, pela imitação dos autores greco-latinos e renascentistas, como reação aos exageros do Barroco. O ideal de simplicidade e de naturalidade que se buscou nos modelos antigos encontrou apoio na suavidade elegante da poesia anacreôntica (lírica amorosa, caracterizada pela grandiosidade e pela delicadeza), nos temas bucólicos e pastoris de poetas latinos e renascentistas.
    ● Era Romântica ou Moderna: escola literária da primeira metade do século XIX. Dividi-se em quatro períodos, sendo eles:
    - Romantismo (1825 a 1890): as principais características são, liberdade de criação e de expressão, nacionalismo, historicismo, medievalismo, tradições populares, individualismo, egocentrismo, pessimismo, escapismo, crítica social. Este período estende-se até 1865, com a Questão Coimbrã, polêmica estética e ideológica envolvendo, de um lado, os mais reconhecidos autores românticos, e de outro, uma geração de estudantes das várias faculdades de Coimbra liderada por Antero de Quental e Teófilo Braga que seria responsável pela introdução do Realismo em Portugal.
    - Realismo (1865 a 1890): surgiu em oposição ao Romantismo, tal oposição baseia-se nas ideias de racionalidade, objetividade e impassibilidade, propondo retratar fielmente a vida contemporânea (a sociedade burguesa e seus valores) para desnudá-la, criticá-la, transformá-la.

    ResponderExcluir
  28. - Simbolismo (1890 a 1915): inicia-se um novo campo na imaginação poética: as dimensões da psique humana exploradas pelos românticos_ a sensibilidade, a imaginação criadora, a intuição, o sentimento; numa palavra, a subjetividade_ ampliam-se com a exploração das imagens subconscientes e inconscientes, que não podem ser descritas objetivamente, não podem ser ditas em linguagem conceitual, lógica, discursiva. Portanto, a poesia simbolista, sugere em vez de descrever; simboliza em vez de nomear. Explora o subconsciente e o inconsciente. Usa predominantemente imagens sensoriais e metafísicas. Prioriza a musicalidade, com aliterações, assonâncias, paralelismos, repetições. Prefere as sinestesias, metáforas, prosopopéias e analogias como figuras de linguagem. Utiliza letras maiúsculas em substantivos comuns, para torná-los absolutos. Expressa uma religiosidade não convencional; pelo desregramento dos sentidos, da sexualidade, das emoções, de delírios e alucinações. Busca o misterioso, o oculto, o vago, o caótico, o alógico, o anárquico, o indefinível e o inexprimível. Considera o poeta como vidente de realidades transcendentais.
    - Modernismo (de 1915 aos dias atuais): Momento de transição entre a tradição literária do século XIX e a sua ruptura radical. Restringindo-me a primeira geração modernista, para falar de algumas características que surgiram nesse movimento. Podemos citar como objetivo principal a destruição de todo academicismo e aquele proveniente da tradição literária importada da Europa e fundamentalmente representada, sobretudo pelos modelos românticos, realistas e parnasianos.
    Assim, a métrica, a rima, a linguagem de dicionário, a linearidade do discurso, o sentimentalismo romântico e, também, a precisão no detalhe dos naturalistas tornam-se objeto de uma postura negadora, destrutiva, de recusa coletiva.
    Nesse movimento, percebe-se com nitidez a influência das vanguardas artísticas européias, as “palavras em liberdade”, associadas por analogia, em vez dos recursos sintáticos tradicionais; a preferência pelos substantivos e verbos, em detrimento dos adjetivos e advérbios; o bom humor, a blague (piada) e a ironia corrosiva, que brotam de uma concepção artística radicalmente revolucionária.

    III) Excalibur
    Sinopse
    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    ResponderExcluir
  29. O Nome da Rosa
    Sinopse
    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    IV) O filme CRUZADAS retrata a peregrinação a lugares santos, no entanto, o filme mostra também as guerras em nome da religião, o combate entre o cristianismo e outras religiões. Podemos observar pelo filme, que nesta época os homens lutavam usando armaduras, não se usava talheres nas refeições, as roupas cobriam todo o corpo e não havia cores vibrantes. Nos cenários, a uma certa falta de luminosidade, configurando o período obscuro do medievo. Um costume importante a ser salientado, é o fato do suicídio, quando uma pessoa comete o suicídio, antes de enterrá-la, sua cabeça era cortada.

    ResponderExcluir
  30. I. Os objetivos espostos no plano de aula se mostram bastante eficazes no estudo da Literatura Portuguesa. Por meio do que está proposto, seremos motivados a um estudo mais crítico acerca da diacronia de tal literatura e consiguiremos notar as relações existentes entre certas obras e o período no qual foam escritas.
    Fica evidente a necessidade de se conhecer o percurso da literatura a fim de se compreender as influências recebidas na formação da nossa própria arte literária.
    Percebe-se ainda que os acadêmicos atuarão de forma ativa no processo de aquisição do saber literário.
    Desse modo, cabe aos acadêmicos o empenho e o esforço necessários para que os objetivos traçados se tornem realidade de forma eficiente.

    ResponderExcluir
  31. continuação
    II. A segmentação da Literatura Portuguesa em três eras - Medieval, Clássica e Romântica ou Moderna, se mostra interligada às transformações ocorridas na sociedade europeia.
    Nota-se que cada era encontra-se sobdividida em estilos de época. A Era Medieval segmenta-se em Trovadorismo e Humanismo; o Classicismo, o Barroco e o Arcadismo encontram-se na Era Clássica; já à Era Romântica cabe o Romantismo, Realismo, Simbolismo e Modernismo.
    Fica claro, então, que a Literatura acompanha as transformações vividas pela sociedade na qual está inserida.

    ResponderExcluir
  32. continuação
    III. Sinopse do filme: Joana D’arc
    Joana d'Arc, nascida em 1412, uma camponesa, quase analfabeta e profundamente religiosa, foi de todas as francesas do seu tempo, a que cumpriu o mais grandioso e duro destino, o de reconquistar a França e o de coroar o seu Delfim como Rei. Numa época em que os ingleses tinham reivincado o trono francês, por direito de sucessão e em que o reino francês estava reduzido a um domínio insignificante no sul. Ela não só cumpriu esta tarefa, trazendo grandeza e glória para a França, como conquistou a fama e a adoração do povo francês.
    Mas o rei que ela criara era jovem demais para a sua coroa e a morte de Joana acaba por se tornar, para os seus inimigos, uma necessidade militar e política. A sua morte, longe de ter sido uma derrota, tornou-se o seu derradeiro e mais grandioso triunfo.


    Sinopse do filme: Coração Valente
    Depois de ter a esposa morta por soldados ingleses, o escocês William Wallace (Mel Gibson) é motivado por sua vingança pessoal a liderar seu povo numa luta contra o domínio inglês. O filme remonta ao século XIII, mostrando a intensa e violenta luta por liberdade de um povo oprimido e corajoso.

    ResponderExcluir
  33. continuação
    IV. O filme ‘’Cruzada’’ narra uma aventura épica medieval, na qual é exposta de maneira detalhada a luta em busca da salvação. Jerusalém é vista como a ‘’terra santa’’, onde todos os pecados poderiam ser perdoados.
    O ambiente do filme é sombrio. Tal obscuridade pode ser notada, também, nas roupas escuras que as personagens usam e que traduzem exatamente o clima de batalha da época. Além disso, a figura da cruz está presente na indumentária dos guerrilheiros, colocando em evidência a religiosidade (cristianismo), motivo real das cenas de guerra do filme.
    Podem ser observadas armas como espadas, arcos e flechas, machados e etc. A inquisição se faz presente, especificamente, em forma de forca.
    Desse modo, ‘’Cruzada’’retrata fielmente uma época marcada por preconceitos, guerras e mitos religiosos através da história de um cavaleiro que procura proteger o seu povo.

    ResponderExcluir
  34. I) Acerca dos objetivos gerais e específicos do plano de ensino, achei super interessante o estudo sincrônico da Literatura Portuguesa. Espero conseguir analisar e criticar obras, como também, estabelecer relações entre elas.

    II) A Periodização da literatura portuguesa dividi-se em três espaços de tempo. O primeiro é a Era Medieval, o mais antigo da literatura portuguesa, prolongou-se até o ano de 1527 e dividi-se em dois períodos. O Trovadorismo compreendido entre os anos de 1189 a 1434. E o Humanismo que se estende de 1434 a 1527. O segundo período é a Era Clássica que compreende os séculos XVI, XVII e XVIII; dividi-se em três períodos, que são: o Quinhentismo ou Classicismo de 1527 a 1580. O Seiscentismo ou Barroco vai de 1580 a 1756. O Setecentismo ou Arcadismo ou Neoclassicismo que abrange o período de 1756 a 1825, ano inicial do Romantismo. Por último a Era Romântica ou Moderna que se estende de 1825 aos nossos dias e dividi-se em quatro períodos: o Romantismo de 1825 a 1865. O Realismo de 1865 a 1890. O Simbolismo de 1890 a 1915. O Modernismo de 1915 a nossos dias. Ainda há quem reconheça a partir de 1945 um novo período chamado Neo-realismo.

    III) Joana D’arc
    Sinopse
    Dez anos antes de sua morte, Joan (Leelee Sobieski) ouve vozes. Seis anos mais tarde, da vila Domremy ela inicia sua missão para unir a França sob ordens do Rei Charles. Primeiro, ela lidera a defesa de Vancouleurs contra os Burgundis, depois consegue salvo-conduto até Charles, o Delfin. Ele usa sua imagem mística para montar um exército e a envia em socorro de Orléans. Após a coroação de Charles, Joan lidera uma desastrosa campanha em Paris, onde seu irmão vem a falecer. Depois ela é vítima das manipulaçãoes de Charles e capturada em Burgundy, vendida aos ingleses, interrogada pelo Bispo Cauchon, declarada como herege pela Inquisição e queimada me martírio. Essa é sua história...

    O Nome da Rosa
    Sinopse
    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    IV) ● Acerca do filme Cruzada foi possível observar que, as pessoas usavam roupas escuras, o colorido não era presente.
    ● Os guerreiros usavam armaduras, flechas e espadas.
    ● A imagem presente no filme era escura.
    ● Quanto à alimentação não havia talheres.
    ● As pessoas que cometiam suicídio, sua cabeça era cortada, pois acreditam que estas não teriam salvação.
    ● A religião que predominava era o cristianismo.

    ResponderExcluir
  35. I-plano de ensino Literatura Portuguesa foi elaborado fim estabelecer um panorama do Medievo ao Barroco, articulando as obras desses períodos com o contexto sócio-cultural do qual fazem parte. Assim por meio da articulação dos objetivos gerais aos específicos a Profa. Dra. Maria Generosa Ferreira Souto instiga em nós a criticidade necessária a análise das obras e o seu momento de criação, estacando os aspectos estéticos, históricos e culturais, além disso, será destacada em nossos estudos a importância dos movimentos estéticos da Idade Média ao século XVIII para a consolidação e amadurecimento da literatura portuguesa. Dessa forma conseguiremos entender com o nós, homens e mulheres contemporâneos, podemos construir paralelos entre o presente e o passado através dos textos literários. Logo, é visto que a metodologia
    da professora é estimular a autonomia critica dos alunos,diferenciando de métodos tradicionais que visa ter acadêmicos recebedores de informações e não como propõem o ensino atual ,que é formar acadêmicos capaz de construir seu próprio conhecimento.

    ResponderExcluir
  36. II- O nosso objeto de estudo a Literatura Portuguesa divide-se em três grandes blocos de tempo que marcam as transformações ocorridas na Europa, sendo eles:
    • Era Medieval,
    A literatura desta época era composta de escritos religiosos bem como de obras seculares, podemos destacar a Cancão da Ribeirinha, que segundo Carolina Michaelis é o texto mais antigo da literatura Portuguesa. Essa era divide-se em: Trovadorismo, produzindo cantigas de amor, de amigo e de escárnio e de maldizer, e Humanismo, com as produções: Historiografia de Fernão Lopes e Teatro de Gil Vicente.
    • Era Clássica,
    Em Portugal, a Era Clássica compreende os séculos XVI, XVII e XVIII, apresentando como características genéricas o predomínio dos valores clássicos. Divide-se em três períodos como disse o texto em questão: Quinhentismo ou Classicismo é marcado por obras como a de Sá de Miranda e Camões, autores que estavam inseridos em um panorama português de império no oriente e comércio de especiarias, além de compor o cenário mundial do Renascimento, Capitalismo e Reforma protestante;
    Seiscentismo ou Barroco, produzindo obras como, a Literatura dos padres e Pe.Padre Antônio Vieira,vivenciando o Domínio espanhol e o Jesuitismo em Portugal,e mundialmente sofria influencia do Mercantilismo e a Contra reforma., e por fim o Arcadismo ou Neoclassicismo, que é caracteriza por obras como literatura neooclássica, Arcadismo e Bocagem,que vestia a roupagem do panorama português: Depotismo esclarecido, Governo de Pombal e Expulsão dos Jesuítas,mundial o contexto era o Iluminismo, Revolução Industrial e a Revolução Francesa.

    • Era Romântica ou Moderna;
    Foi um movimento artístico, político e filosófico surgido nas últimas décadas do século XVIII na Europa que perdurou por grande parte do século XIX. Caracterizou-se como uma visão de mundo contrária ao racionalismo que marcou o período neoclássico e buscou um nacionalismo que viria a consolidar os estados nacionais na Europa. Divide-se em quatro períodos:
    Romantismo - inicia-se em 1825, com o poema "Camões", de Almeida Garett, e estende-se até 1865, com a Questão Coimbrã. Vivencia em Portugal a Revolução do porto, Independência do Brasil e Guerra civil, mundialmente temos acontecendo simultaneamente o Liberalismo Burguês e Guerras napoleônicas;
    Realismo - compreende o período que vai de 1865 a 1890, ano de publicação do livro Oaristos, de Eugênio de Castro. O contexto vigente desse período em Portugal é a Sentimento anticlerical, Decadência da monarquia e as primeiras greves organizadas, e no mesmo momento o mundo presencia o Socialismo, Positivismo, Evolu cionismo e a segunda revolução industrial;
    Simbolismo vai da publicação de Oaristos, em 1890, a 1915, ano em que se lança a revista Orpheu, marco inicial do Modernismo, e estar inserido em Portugal em um período de Revolução do pensamento republicano, A Republica e a crise econômica, movimento influenciado pela pré-guerra, Freud e a psicanálise e a Vanguarda artística;
    Modernismo - de 1915 aos nossos dias. Há quem reconheça, a partir de 1945, um novo período, chamado Neo-realismo marcado por produções literárias como, Revista Orpheu, Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, caracterizado Pelo Estado Novo, Ditadura salazarista e a Revolução de 25 de Abril, ainda mundialmente ocorria primeira Guerra mundial, Revolução Russa, Nazi-facismo, segunda guerra mundial e finalizando, a guerra fria.

    ResponderExcluir
  37. III- NOVELA DE CAVALARIA:
    • Excalibur (sinopse):
    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono
    http://www.interfilmes.com/filme_13305_Excalibur-(Excalibur).html


    • Joana D.Arc(sinopse):
    Dez anos antes de sua morte, Joan (Leelee Sobieski) ouve vozes. Seis anos mais tarde, da vila Domremy ela inicia sua missão para unir a França sob ordens do Rei Charles. Primeiro, ela lidera a defesa de Vancouleurs contra os Burgundis, depois consegue salvo-conduto até Charles, o Delfin. Ele usa sua imagem mística para montar um exército e a envia em socorro de Orléans. Após a coroação de Charles, Joan lidera uma desastrosa campanha em Paris, onde seu irmão vem a falecer. Depois ela é vítima das manipulaçãoes de Charles e capturada em Burgundy, vendida aos ingleses, interrogada pelo Bispo Cauchon, declarada como herege pela Inquisição e queimada me martírio. Essa é sua história
    http://www.interfilmes.com/filme_17911_Joana.D.arc-(Joan.D.Arc).html




    IV- Analisando o filme A Cruzada foi possível observar as características da idade média desde a indumentária aos ideais defendidos. É claro no filme a preponderância do cristianismo, uma vez que já é evidenciado pelo espaço geográfico na qual acontece todo feito heróico (épico) na cidade santa Jerusalém no ano de 1186. Observamos ainda a maneira como a igreja tratava os fieis de forma a persuadi-los a seguir todos pedidos do rei, e os que negavam a servir eram julgados a penas terríveis (inquisição) como morte de fogueiras e outras barbarias. “Todavia, o ator principal, um ferreiro, Balian (Orlando Bloom), desde a morte da sua mulher, que suicidou, e era vista pela igreja como pecadora encadeia alguns questionamentos contra igreja como,”...não entendo como ela pode estar no inferno, se ela vive no meu coração”, a mulher torna-se uns dos motivos dos conflitos relatados no filme.
    Recomendo esse filme a todos que desejam entender de maneira visual a hierarquia estabelecida pela idade média.

    ResponderExcluir
  38. I – Através dos objetivos gerais e específicos do Plano de Ensino da disciplina Literatura Portuguesa, pode-se perceber que a meta estabelecida preocupa-se tanto com a teoria e sua completa exposição aos alunos, quanto com a construção de um conhecimento baseado na contemporaneidade, o que torna ainda mais agradável o estudo da literatura. Durante este período estaremos desenvolvendo o nosso senso crítico em relação às obras literárias e às relações de tais obras com o tempo, com o contexto em que surgiram. Poderemos conhecer mais sobre as peculiaridades da literatura portuguesa, mas fazendo um paralelo entre demais literaturas e demais formas de arte e isso tornará nosso estudo durante esse período mais construtivo e contribuirá significativamente para a construção de nossos conhecimentos.


    II – Pode-se notar que as eras em que se divide a literatura portuguesa são também eras que dizem respeito ao momento, ao contexto histórico que influencia a literatura da época. Percebe-se que a partir dessa divisão da literatura surgem as escolas literárias, que tornam o estudo da literatura mais esquematizado e eficiente. Sendo assim, a Era Medieval engloba o Trovadorismo e o Humanismo, que é quando ocorre a introdução do Renascimento literário em Portugal. Na Era Clássica observamos a divisão em: Classicismo, Barroco e Arcadismo. Já a Era Romântica divide-se em Romantismo, Realismo, Simbolismo e Modernismo.

    III – O NOME DA ROSA
    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    EM NOME DE DEUS
    No século XII, Abelard (Derek De Lint), um respeitado filósofo e professor em Paris, é contratado para ser o tutor da bela e inteligente Heloise (Kim Thomson). Rapidamente eles se apaixonam, mas precisam manter seu relacionamento escondido de todos porque Abelard está comprometido com o celibato.

    IV – O filme Cruzada, que se passa na Idade Média, retrata a realidade de uma época sombria e de uma população subjugada pela Igreja Católica. Nesse filme vemos o evento das Cruzadas, que eram expedições da Europa para o Oriente em virtude de interesses religiosos, mas bem políticos e militares. Na época mostrada no filme a religião coordenava a vida das pessoas, dizendo o que era ou não permitido, e isso era muito valorizado. O sistema feudal estava em decadência e por isso o poder da Igreja também se via ameaçado. Detalhes como a cor das roupas e a iluminação do filme demonstram a realidade vivida, a escuridão que estava tanto no ambiente quanto na vida das pessoas. Nota-se também a questão do papel da mulher, vista apenas como um “instrumento” para reprodução tendo que ser ela extremamente submissa.

    Shayara Ferrari - 4º período Português Unimontes

    ResponderExcluir
  39. II - PERIODIZAÇÃO LITERÁRIA
    Como se sabe, a queda do Império Romano facilitou as invasões bárbaras, houve a difusão do Cristianismo, guerras pela reconquista de reinos, bem como a formação de um extenso reino, "cabendo" dessa forma a "criação" de um sistema sócio-político-econômico, o Feudalismo, segundo os interesses daqueles que almejavam perpetuar no poder.
    Com a atividade econômica movida pelo servos (trabalhavam na agricultura),havia o senhor feudal para quem os servos trabalhavam e aquele "sustentava". Uma pirâmide social em que havia ainda, uma classe mais poderosa, o Clero, com seus "princípios divinos" vivendo e pregando uma sociedade teocêntrica.
    Nesse contexto, notas-se a mulher como submissa, um ser segregado, sem instrução, com a obrigação de ser uma boa mãe, boa esposa, com habilidades domésticas e totalmente dependente do seu esposo, isto é, características de uma sociedade patriarcal.

    ResponderExcluir
  40. No momento em que Portugal surge como nação, surge também a Literatura Portuguesa. Nesse surgimento como nação, estão imbricadas casamentos, anexações de terras, guerras e outras conquistas.
    Na Literatura Medieval Portuguesa encontramos cantigas que eram orais e acompanhadas musicalmente. É mister lembrar que a linguagem era de fácil compreensão, já que um dos objetivos era a memorização.

    ResponderExcluir
  41. Pode-se citar as cantigas cantadas no dialeto galaico-português, por exemplo, como a lírica-amorosa(cantiga de amor e de amigo) e a satírica(cantiga de escárnio e de maldizer; a prosa medieval(textos religiosos e históricos e novelas de cavalaria, as crônicas, as hagiografias os livros de linhagem.

    ResponderExcluir
  42. Ao longo do tempo, história e espaço, nota-se transformações ocorridas na sociedade europeia, daí a importância das Eras Literárias:Era Medieval, Era Clássica, Era romântica ou Moderna. Ressalta-se que, dentro dessas 3 eras, encontram-se as escolas literárias ou estilos de época, e além disso, não se pode dizer que uma Era, ou Estilo Literário é melhor que outro, mas sim dizer que uma faz uso das ideias da outra, completa ou reduz alguma ideia.
    A Era Medieval tem início o texto mais antigo da literatura portuguesa, a Canção da Ribeirinha, de Paio Soares de Taveirós.Prolongou-se até o ano de 1527, quando Sá de Miranda retorna da Itália e introduz em Portugal características da estética renascentista. Divide-se em dois períodos:
    Trovadorismo - compreendido entre os anos de 1189, data provável da Canção da Ribeirinha, e 1434, com a nomeação de Fernão Lopes para o cargo de cronista-mor da Torre do Tombo.
    Humanismo - estende-se de 1434 a 1527, com a volta de Sá de Miranda da Itália e a introdução do Renascimento literário em Portugal. Período tipicamente de transição da cultura medieval para uma cultura clássica.

    Era clássica: Em Portugal,compreende os séculos XVI, XVII e XVIII, apresentando como características genéricas o predomínio dos valores clássicos. Divide-se em três períodos:
    Quinhentismo ou Classicismo
    Seiscentismo ou Barroco
    Setecentismo ou Arcadismo ou Neoclassicismo -

    Era Romântica ou Moderna
    Estende-se de 1825 até nossos dias. Divide-se em quatro períodos:Romantismo,Realismo,Simbolismo,
    Modernismo.

    Poliana Sandra - Letras Português - Unimontes - 4°período.

    ResponderExcluir
  43. sobre os objetivos gerais e específicos: acredito ser interessante e enriquecedor estudar os estilos literários desde o início e também estudar a literatura portuguesa, uma vez que nossa literatura acabou sendo influenciada pelos portugueses já que fomos colônia de Portugal. Assim poderemos analisar essas literaturas e traçaando paralelos, perceberemos o grau de infuência portuguesa.

    ResponderExcluir
  44. sobre a periodização da literatura: na literatura podemos conhecer um período da sociedade e saber como viviam e o como pensavam os povos de outrora. Vemos, também que as mudanças não ocorriam de forma tão rápida quanto antes. Um aspecto importante é que pde-se perceber um resgate de valores antigos como por exemplo a valorização da cultura greco-latina no Humanismo depois do período medieval considerado pelo período renascentista de "Idade das Trevas".

    ResponderExcluir
  45. III-escolha de dois filmes: O Nome da Rosa e O rei Arthur filmes que tratam da questão da religião católica, sua autoridade no primeiro e sua ascensão em meio ao paganismo no segundo.

    ResponderExcluir
  46. No filme "Cruzadas": retrata uma momento de conquistas e expansão. Lá percebemos as frequentes batalhas corporais com uso de espadas, lanças e a intrpidez de homens fortes. As pessoas naquela época não usavam roupas coloridas eram escuras e os ambientes eram escuros iluminados por fogo. As mulheres de maneira geral, não tinham destaque na sociedade.

    ResponderExcluir
  47. Respostas

    I - Os objetivos do plano de ensino proposto, são de grande relevância, uma vez que, nos proporcionará uma vasta bagagem de conhecimento. Estes objetivos incentivam e estimulam o aluno a perceber a importância da literatura para a nossa formação acadêmica, além de fazer com que o aluno desenvolva um olhar crítico voltado para a literatura.

    II- As três eras dispostas na subdivisão da história da literatura, acompanham as transformações vividas pela Europa. A era medieval se divide em dois períodos, o trovadorismo e o humanismo; vale ressaltar que foi nessa época que tivemos o renascimento literário implantado em Portugal, e uma transição da cultura medieval para cultura clássica. A era Clássica se divide em três períodos, Quinhentismo ou Classicismo, Seiscentrismo ou Neoclassicismo, nesta época tivemos a presença do predomínio dos valores clássicos. E ana última era A Romântica ou Moderna, temos quatro períodos, o Romantismo, o Realismo, o Simbolismo e o Modernismo, vale destacar que essa era se estende até os dias atuais.

    III- ● Sinopse: Filme Joana D’arc:
    Em 1412, nasce em Domrémy, França, uma menina chamada Joana (Milla Jovovich). Ainda jovem, ela desenvolve uma religiosidade tão intensa que a fazia se confessar algumas vezes por dia. Eram tempos árduos, pois a Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra se prolongava desde 1337. Em 1420, Henrique V e Carlos VI assinam o Tratado de Troyes, declarando que após a morte de seu rei a França pertencerá a Inglaterra. Porém, ambos os reis morrem e Henrique VI é o novo rei dos dois países, mas tem poucos meses de idade e Carlos (John Malkovich), o delfim da França, não deseja entregar seu reino para uma criança. Assim, os ingleses invadem o país e ocupam Compiègne, Reims e Paris, com o rio Loire detendo o avanço dos invasores. Carlos foge para Chinon, mas ele deseja realmente ir para Reims, onde por tradição os soberanos franceses são coroados, mas como os ingleses dominam a região, isto se torna um problema. Até que surge Joana que, além de se intitular a "Donzela de Lorraine" tinha uma determinação inabalável e dizia que estava em uma missão divina, para libertar a França dos ingleses. Desesperado por uma solução, o delfim resolve lhe dar um exército, com o qual ela recupera Reims, onde o delfim é coroado Carlos VII. Mas se para ele os problemas tinham acabado, para Joana seria o início do seu fim.
    ● Sinopse: Filme Excalibur
    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    IV- O filme Cruzadas se passa na idade média, mostra de forma clara a luta, ou melhor dizendo, o conflito na época da baixa idade média, retrata de forma concisa a luta pela salvação e pela paz entre os povos, Em relação aos aspectos mais marcantes no filme, podemos destacar as indumentárias, que eram escuras, a utilização de armas, como por exemplo: lanças, arco-flecha, espadas, armaduras e outras, a religiosidade bem marcante com a presença da punição da igreja e etc.

    ResponderExcluir
  48. Questão IV

    Retratando o período Mercantilista, o desejo por conquistas de ouro, pedras preciosas, anexação de territórios, o filme Cruzada permite ao telespectador notar alguns aspectos presentes na Idade Média. São eles:

    •Escuridão e a mulher: A escuridão mostra um meio de estratégia ao inimigo, uma chave para a porta da sedução, da traição, enfim, do adultério. A mulher “participa” com a sua sensualidade, com suas joias, ouro, beleza, exerce um papel paradoxal, já que pode ser o melhor ou o pior dos seres.
    •Costumes, alimentação, religiosidade, morte, indumentária e armas: Em uma sociedade medieval, em que existem reis, servos, escravos, camponeses e outros, percebem-se os banquetes realizados, a farta alimentação dos reis e seus privilegiados, a abundância de bebidas, por exemplo, o vinho, mas em contrapartida, verifica-se também a escassez de água. Homens que se enfrentam em diversos ataques, vistos como verdadeiros herois, que lutam nas batalhas. Lutas essas que envolvem anseios mercantilistas, bem como disputas entre as religiões, judeus, cristãos, mulçumanos, cada um com sua ideologia, rituais, com suas provocações religiosas, fanatismos e outros. Muitos vidas são ceifadas com a inquisição, decapitadas, ou mesmo morrem nas lutas com lanças, espadas, arcos, flechas, punhais e etc. São verdadeiros exércitos prontos para atacar, vivendo em um ambiente sombrio, com cores escuras, roupas escuras e tristes, equipados com suas armaduras, capacetes, máscaras.

    Poliana Sandra - Letras Português - 4° período - Unimontes

    ResponderExcluir
  49. I. O plano estipulado para este semestre, veio com a proposta de enriquecer nossos conhecimentos, de forma mais dinâmica, que nos faz interagir cada vez mais com a disciplina, fazendo com que assim, aumente o interesse em participar das aulas e automaticamente engrandecer nossos conhecimentos. Levando em conta que através do estudo diacrônico que iremos fazer, assim estaremos nós de certa forma relacionando a todo o tempo o passado e o presente através dos estudos literários.

    II. Pode-se observar que a subdivisão da literatura portuguesa é feita por três longos períodos que são eles: Era clássica, era moderna e era medieval, cabe ressaltar que de acordo o texto a era medieval pode ser vista como a fase mais antiga. Sabendo que, cada uma destas fases se subdivide em períodos, que são eles: Era medieval trovadorismo e humanismo, era clássica, quinhetismo classicismo, o seiscentismo ou barroco e o setentismo ou arcadismo. Sabendo que, cada uma destas eras possui traços próprios que de certa forma são interligados uns aos outros.

    ResponderExcluir
  50. III. O NOME DA ROSA

    Em 1327, um monge franciscano, chamado William Baskerville (Sean Connery), e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro localizado no norte da Itália. William de Baskerville com o propósito de participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega ao local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    http://www.cinemenu.com.br/filmes/o-nome-da-rosa-1986/sobre-o-filme



    EXCALIBUR

    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    http://www.adorocinema.com/filmes/excalibur/

    ResponderExcluir
  51. IV. O filme a cruzada relata a história de ferreiro chamado Balian, que ao perder sua família recebe a missão de lutar pela terra santa. O qual Balian tinha um pacto com o seu pai que iria lutar para proteger o povo e servir o rei. A presença de cores neutras e fortes era notória nas vestes do povo, além do cenário escolhido para gravação do filme ser repleto de montanhas e bastante sombrio, que muitas vezes dificultava a visibilidade, semelhante ao clima de guerra. O armamento utilizado por eles eram: flechas, arcos, espadas e escudos; além de existir a presença da mulher, sendo sempre submissa ao homem.

    ResponderExcluir
  52. O Nome da Rosa: Acontece no período da Idade Média,no ano de 1327,na Itália. Alguns frades franciscanos vão a um Mosteiro beneditano para uma conferência com a delegação papal,onde discutiam sobre os bens da igreja.Neste contexto,o frei Welliam faz uma investigação a respeito de algumas mortes que estavam acontecendo no mosteiro.Assim,de concluir que sete monges foram mortos,em sete dias,através de um veneno colocado em um livro de Aristóteles que falava sobre o riso.O filme mostra como eram os mosteiros no período medieval e a postura da Igreja Cátolica,enfatizando a Santa Inquisição.


    Rei Arthur: A história trata de um herói que fica dividido entre suas ambições pessoai e o dever para com o povo.O rei Arthur é um líder que deseja deixar a Grã-Bretanha e voltar para Roma.Antes de tomar essa atitude,uma missão final o leva,juntamente aos cavaleiros da Távola Redonda,a conclusão de que a Grã-Bretanha precisará de um líder.Através da orientação de Merlin,um antigo inimigo,e com a corajosa Guinevere a seu lado,Arthur irá modificar o curso da história.


    O Feitiço de Àquila: Acontece no século XII,na Europa.O bispo de Àquila descobre que sua amada está apaixonada por um cavaleiro.Àquila fica possuído de raiva e ciúmes e lança uma maldição sobre o casal:durante o dia ela se transforma em um falção e á noite, o cavaleiro toma forma de um lobo,assim,eles não podem viver o amor existente entre os dois.No final o feitiço é quebrado,o bispo de Àquila morre eo casal fica livre para viverem o seu amor.

    Excalibur: O Mago Merlin entrega ao rei Uther a Mística Excalibur,a espada do poder.Durante uma emboscada Uther é ferido e,pouco antes de morrer,enterra a espada em uma pedra.Assim,o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei,porém,ninguém consegue.Anos depois,o país estava dividido por guerras entre senhores feudais.Um jovem escudeiro chamado Arthur retira facilmente a espada da pedra.Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther,assim alguns nobres não aceitam sua autoridade.No entanto,o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei.Dessa forma,o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot sente por Guinevere,a meia-irmã de Arthur,decide que o filho que ela teve com Arthur,deve ocupar o trono.

    Amanda Gusmão

    ResponderExcluir
  53. I - Muito importante o plano de ensino em questão, porque ele nos torna alunos ativos no processo de produção do saber. Poderemos através desse plano de ensino, colaborar, participar ativamente e não apenas receber as informações que nos são passadas.
    Além disso, os objetivos nos farão buscar uma ligação entre a Literatura e seu contexto, o que implica que teremos que buscar cada vez mais o conhecimento das obras literárias para podermos relacioná-las com seu contexto histórico.
    No mais, nós alunos, vamos buscar fazer nossa parte e valorizar tão rico e valioso material. Tenho certeza que o aproveitamento dos colegas será bem alto e conseqüentemente nossas notas também serão muito boas...
    II – O contexto histórico age diretamente nas três eras dispostas na subdivisão da História Literária. As três eras de subdivisão são: Medieval, Clássica e Romântica. A partir da formação dessas eras, surgem as escolas literárias: Trovadorismo, Barroco, Arcadismo, Clasissimo, entre outras.
    III –
    O Nome da Rosa
    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.
    Fonte: http://www.cinemenu.com.br/filmes/o-nome-da-rosa-1986/sobre-o-filme
    O Feitiço de Aquila
    A história de um amor fadado a nunca se consumar. Graças a uma terrível maldição, ele transforma-se em lobo à noite, e ela em falcão durante o dia. E assim estão impedidos de se encontrarem, a menos que possam se libertar desse doloroso feitiço. Uma aventura excitante e mágica na era medieval.
    Fonte: http://www.blockbusteronline.com.br/item/50785/dvd+o+feitico+de+aquila/
    IV – Cruzado é um filme que relata a aventura do jovem ferreiro Balian, que perdeu sua família e decide dedicar sua vida para manter a paz na Terra Santa que estava sendo devastada pelas cruzadas.
    Com o tema da religiosidade fortemente presente, com as guerras santas e pela constante fé de sua figura principal, Cruzada traz também a busca pela salvação como uma outra importante característica. Marcado pela obscuridade dos seus cenários, nota-se durante o filme hábitos um tanto quanto primitivos, roupas escuras, com armaduras, o que evidencia cada vez mais o ambiente preparado para a guerra.

    ResponderExcluir
  54. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  55. I- Os objetivos gerais e especificos prescritos no plano de ensino de Literatura Portuguesa
    são base para os alunos, uma vez que, ajudam na aquisição do conhecimento no que diz respeito à
    matéria.È uma disciplina bastante interessante, porque instiga nos alunos uma
    vontade de aprender e conhecer cada vez mais sobre as manifestaçoes poeticas ocoridas no periodo da idade
    média ao barroco e também sobre essa alternância entre passado e presente levando-se em considereção a
    discronia em que sao analisados os estudos literários.
    II- Podemos dividir em três espaços de tempo a Periodização da literatura portuguesa . O primeiro é a Era Medieval, que prolongou-se até o ano de 1527 e subdivide-se em dois períodos: o Trovadorismo (compreendido entre os anos de 1189 a 1434) e o Humanismo (que se estende de 1434 a 1527). O segundo período é a Era Clássica, que subdivide-se em três períodos: o Quinhentismo ou Classicismo (de 1527 a 1580
    ), Seiscentismo ou Barroco (que vai de 1580 a 1756) e o Setecentismo, Arcadismo ou Neoclassicismo (que abrange o período de 1756 a 1825) ano inicial do Romantismo. Por último a Era Romântica ou Moderna que dividi-se em quatro períodos: o Romantismo (de 1825 a 1865), o Realismo (de 1865 a 1890), o Simbolismo (de 1890 a 1915) e o Modernismo (de 1915 até os dias de hoje).

    ResponderExcluir
  56. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  57. (continuação)

    III-Sinopse do filme "O NOME DA ROSA"

    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.


    Sinopse do filme "EXCALIBUR"

    O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    IV- O filme "Cruzada" retrata a jornada de Balian, um ferreiro que recebe a missão de defender a Terra Santa, o local onde todos os pecados são perdoados. Após a morte de seu pai em um combate, Balian segue até Jerusalém para cumprir a promessa que fez a ele, de proteger o povo e servir ao rei.
    Observa-se no decorrer do filme a presença de cores neutras e escuras, principalmente nas vestes dos personagens, que é coerente ao clima de guerra.
    A religiosidade é um tema bastante presente ao longo do filme.Há ainda a representação da mulher como figura submissa ao homem, como em uma parte do filme quando Sybilla abandona o seu reinado por causa do seu amor por Balian. Seu sacrifício foi em vão, uma vez que após a cruzada chegar ao fim, Balian retorna à França e volta a ser um ferreiro.

    Marília Maria Lopes Durães

    ResponderExcluir
  58. Sinopse do filme Excalibur

    Título original: Excalibur
    Gêneros: Aventura, Drama, Fantasia
    Tempo: 141min
    Ano: 1981
    Direção: John Boorman
    Roteiro:
    John Boorman
    Rospo Pallenberg
    Thomas Malory
    Elenco:
    Nigel Terry (King Arthur)
    Helen Mirren (Morgana)
    Nicholas Clay (Lancelot)
    Cherie Lunghi (Guenevere)
    Paul Geoffrey (Perceval)
    Nicol Williamson (Merlin)
    Patrick Stewart (Leondegrance)
    Clive Swift (Sir Hector)
    Katrine Boorman (Igrayne)
    Telsche Boorman (Lady of the Lake)
    Brid Brennan (Lady in Waiting)
    Barbara Byrne (Young Morgana)
    Kay McLaren (Aged Morgana)
    Prudence Wright Holmes (Sunshine)
    Robert Addie (Mordred)
    Emmet Bergin (Ulfus)
    Charley Boorman (Boy Mordred)
    Keith Buckley (Uryens)
    Gabriel Byrne (Uther Pendragon)
    Gerard Mannix Flynn (Mannix Flynn)
    Ciarán Hinds (Ciarin Hinds)
    Eamon A. Kelly (Eamonn Kelly)
    Garrett Keogh (Mador)
    Michael Muldoon (Astamor)
    Liam Neeson (Gawain)
    Niall O'Brien (Kay)
    Liam O'Callaghan (Sadok)
    Corin Redgrave (Cornwall

    ResponderExcluir
  59. O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, O pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    Informações obtidas em www.cinemeu.com.br

    ResponderExcluir
  60. Sinopse do filme "O nome da Rosa"

    O nome da rosa

    Estranhas mortes começam a ocorrer num mosteiro beneditino localizado na Itália durante a baixa idade média, onde as vítimas aparecem sempre com os dedos e a língua roxos. O mosteiro guarda uma imensa biblioteca, onde poucos monges tem acesso às publicações sacras e profanas. A chegada de um monge franciscano (Sean Conery), incumbido de investigar os casos, irá mostrar o verdadeiro motivo dos crimes, resultando na instalação do tribunal da santa inquisição.

    Introdução

    A Idade Média (século XI ao XV) é marcada pela desintegração do feudalismo e formação do capitalismo na Europa Ocidental. Ocorrem assim, nesse período, transformações na esfera econômica (crescimento do comércio monetário), social (projeção da burguesia e sua aliança com o rei), política (formação das monarquias nacionais representadas pelos reis absolutistas) e até religiosas, que culminarão com o cisma do ocidente, através do protestantismo iniciado por Martinho Lutero na Alemanha em 1517.
    Culturalmente, destaca-se o movimento renascentista que surgiu em Florença no século XIV e se propagou pela Itália e Europa, entre os séculos XV e XVI. O renascimento, enquanto movimento cultural, resgatou da antigüidade greco-romana os valores antropocêntricos e racionais, que adaptados ao período, entraram em choque com o teocentrismo e dogmatismo medievais sustentados pela Igreja.
    No filme, o monge franciscano representa o intelectual renascentista, que com uma postura humanista e racional, consegue desvendar a verdade por trás dos crimes cometidos no mosteiro.

    1.Contextualização

    Discussão dos elementos formadores da cultura moderna, o surgimento do pensamento moderno, no período da transição da Idade Média para a Modernidade.

    O Filme

    O Nome da Rosa pode ser interpretado como tendo um caráter filosófico, quase metafísico, já que nele também se busca a verdade, a explicação, a solução do mistério, a partir de um novo método de investigação. E Guilherme de Bascerville, o frade fransciscano detetive, é também o filósofo, que investiga, examina, interroga, duvida, questiona e, por fim, com seu método empírico e analítico, desvenda o mistério, ainda que para isso seja pago um alto preço.

    ResponderExcluir
  61. O tempo

    Trata-se do ano 1327, ou seja, a Alta Idade Média. Lá se retoma o pensamento de Santo Agostinho (354-430), um dos últimos filósofos antigos e o primeiro dos medievais, que fará a mediação da filosofia grega e do pensamento do início do cristianismo com a cultura ocidental que dará origem à filosofia medieval, a partir da interpretação de Platão e o neoplatonismo do cristianismo. As teses de Agostinho nos ajudarão a entender o que se passa na biblioteca secreta do mosteiro em que se situa o filme.

    Doutrina Cristã

    Neste tratado, Santo Agostinho estabelece precisamente que os cristãos podem e devem tomar da filosofia grega pagã tudo aquilo que for importante e útil para o desenvolvimento da doutrina cristã, desde que seja compatível com a fé (Livro II, B, Cap. 41). Isto vai constituir o critério para a relação entre o cristianismo (teologia e doutrina cristã) e a filosofia e a ciência dos antigos. Por isso é que a biblioteca tem que ser secreta, porque ela inclui obras que não estão devidamente interpretadas no contexto do cristianismo medieval. O acesso à biblioteca é restrito, porque há ali um saber que é ainda estritamente pagão (especialmente os textos de Aristóteles), e que pode ameaçar a doutrina cristã. Como diz ao final Jorge de Burgos, o velho bibliotecário, acerca do texto de Aristóteles – a comédia pode fazer com que as pessoas percam o temor a Deus e, portanto, faz desmoronar todo esse mundo.

    2. Disputa de Filosofia
    Entre os séculos XII e XIII temos o surgimento da escolástica, que constitui o contexto filosófico-teológico das disputas que se dão na abadia em que se situa O Nome da Rosa. A escolástica significa literalmente "o saber da escola", ou seja, um saber que se estrutura em torno de teses básicas e de um método básico que é compartilhado pelos principais pensadores da época.

    2.1 Influência aos Pensamentos
    A influência desse saber corresponde ao pensamento de Aristóteles, trazido pelos árabes (mulçumanos), que traduziram muitas de suas obras para o latim. Essas obras continham saberes filosóficos e científicos da Antigüidade que despertariam imediatamente interesses pelas inovações científicas decorrentes.

    ResponderExcluir
  62. 2.2 Consolidação Política

    A consolidação política e econômica do mundo europeu fazia com que houvesse uma maior necessidade de desenvolvimento científico e tecnológico: na arquitetura e construção civil, com o crescimento das cidades e fortificações; nas técnicas empregadas nas manufaturas e atividades artesanais, que começam a se desenvolver; e na medicina e ciências correlatas.

    2.3 Pensamento Aristotélico
    O saber técnico-científico do mundo europeu era nesta época extremamente restrito e a contribuição dos árabes será fundamental para este desenvolvimento pelos conhecimentos de que dispunham de matemática, de ciências (física, química, astronomia, medicina) e de filosofia. O pensamento agora (Aristotélico) será marcado pelo empirismo e materialismo.

    3. A Época

    O enredo desenvolve-se na ultima semana de 1327, num monastério da Itália medieval. A morte de sete monges em sete dias e noites, cada um de maneira mais insólita - um deles, num barril de sangue de porco, é o motor responsável pelo desenvolvimento da ação. A obra é atribuída a um suposto monge, que na juventude teria presenciado os acontecimentos.
    Este filme é uma crônica da vida religiosa no século XIV, e relato surpreendente de movimentos heréticos. Para muitos críticos, o nome da rosa é uma parábola sobre a Itália contemporânea. Para outros, é um exercício monumental sobre a mistificação.

    ResponderExcluir
  63. 4. O Título

    A expressão "O nome da Rosa" foi usada na Idade Média significando o infinito poder das palavras. A rosa subsiste seu nome, apenas; mesmo que não esteja presente e nem sequer exista. A " rosa de então" , centro real desse romance, é a antiga biblioteca de um convento beneditino, na qual estavam guardados, em grande número, códigos preciosos: parte importante da sabedoria grega e latina que os monges conservaram através dos séculos.

    5. Blibioteca do Mosteiro

    Durante a Idade Média umas das práticas mais comuns nas bibliotecas dos mosteiros eram apagar obras antigas escritas em pergaminhos e sobre elas escreve ou copiar novos textos. Eram os chamados palimpsestos, livretes em que textos científicos e filosóficos ma Antigüidade clássica eram raspados das páginas e substituídos por orações rituais litúrgicos.
    O nome da rosa é um livro escrito numa linguagem da época, cheio de citações teológicas, muitas delas referidas em latim. É também uma crítica do poder e do esvaziamento dos valores pela demagogia, violências sexuais, os conflitos no seio dos movimentos heréticos, a luta contra a mistificação e o poder. Uma parábola sangrenta patética da história da humanidade
    Baseado: No romance de mesmo nome de Umberto Eco.

    5.1 - Pensamento
    O pensamento dominante, que queria continuar dominante, impedia que o conhecimento fosse acessível a quem quer que seja, salvo os escolhidos. No O nome da Rosa, a biblioteca era um labirinto e quem conseguia chegar no final era morto. Só alguns tinham acesso. É uma alegoria do Umberto Eco, que tem a ver com o pensamento dominante da Idade Média, dominado pela igreja. A informação restrita a alguns poucos representava dominação e poder. Era a idade das trevas, em que se deixava na ignorância todos os outros.

    ResponderExcluir
  64. 6. História

    Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.
    O ano é 1327. Representantes da Ordem Franciscana e a Delegação Papal se reúnem num monastério Beneditino para uma conferência. Mas a missão deles é subitamente ofuscada por uma série de assassinatos. Utilizando sua brilhante capacidade de dedução, o monge franciscano William de Baskerville (Sean Connery), auxiliado pelo seu noviço Adso de Melk (Christian Slater), se empenha para desvendar o mistério. Mas antes que William possa completar sua investigação, o monastério é visitado pelo seu antigo desafeto, o Inquisidor Bernardo Gui (F. Murray Abraham). O poderoso Inquisidor está determinado a erradicar a heresia através da tortura e se William, o caçador, persistir na sua busca, também se tornará caça. Mas à medida que Bernardo Gui se prepara para acender a fogueira da Inquisição, William e Adso voltam à biblioteca labirintesca e descobrem uma verdade extraordinária ...

    ResponderExcluir
  65. Resumo

    Do ponto de vista do filme que hoje está sendo abordado, notamos que a história passa em um mosteiro na Itália Medieval. A idade média assistiu, em sua agonia um grande debate Filosófico Religioso. Perdido o equilíbrio do tomismo, o homem medieval caiu em dois extremos opostos.
    De um lado os humanistas racionalistas Frei Guilherme de Ockham, um édito moderno. Tais humanistas cultivaram o antropocentismo julgaram que graças Pa ciências e a técnica, o homem seria capaz de vencer todas as misérias do mundo, até criar uma era de grande prosperidade material e de completa felicidade natural.
    De outro lado místicos com visão extremamente pessimista da realidade. Para eles o mundo era intrinsecamente mau e irredimível por ser obra de um DEUS perverso, distinto da divindade. Acreditavam que a razão humana era má e só seria desejável perder-se no nada divino.
    No mosteiro, sete monges morrem estranhamente, isto aborda muito a violência.
    Há também uma violência sexual, no qual mulheres se vendem aos monges em troca de comida e muitas vezes depois são mortas.
    Movimentos ecléticos do século XIV, a luta contra a mistificação, o poder, o esvaziamento de valores pela demagogia, são mostrados em um cenário sangrento sobre a política da historia da humanidade.

    BIBLIOGRAFIA

    Filme O Nome da Rosa , Globo Filmes e Produçoes
    Livro O Nome da Rosa, Autor.: Umberto Eco

    Poliana Sandra - Letras Português - 4° período
    Autoria: Kledson Bruno Camargo

    ResponderExcluir
  66. I- É interessante ressaltar quanto aos objetivos do plano de ensino, que ele nos permite fazer um estudo da literatura portuguesa desde o período da idade média até a fase do barroco.
    Este plano de ensino instiga o senso crítico do aluno, contribuindo significativamente com o crescimento intelectual dos mesmos.

    II-A Literatura Portuguesa percorre três Eras: Era Medieval, Era Clássica e Era Romântica ou Moderna. Essas eras na qual subdividem a história literária, são influenciadas pelo momento na qual estão inseridas. Por serem divididas em períodos, uma era sempre apresentará traços das demais.

    III-Excalibur: O mago Merlin (Nicol Williamson) dá ao rei Uther Pendragon (Gabriel Byrne) a mística Excalibur, a espada do poder. Durante uma emboscada Uther é ferido mortalmente e, pouco antes de morrer, enterra a espada em uma pedra. Fica então decidido que o cavaleiro que puder retirá-la da pedra será o novo rei, mas ninguém consegue. Anos depois o país estava divido em guerra entre os senhores feudais e Arthur (Nigel Terry), um jovem escudeiro, retira facilmente a espada da pedra. Alguns nobres juram fidelidade ao novo rei e Merlin relata que Arthur é um filho bastardo de Uther, mas alguns nobres não aceitam sua autoridade. No entanto o tempo faz todos se curvarem ao sábio rei, mas o tempo vai mostrar que o fator de desagregação do reino está na atração que Lancelot (Nicholas Clay), o campeão do rei, sente por Guinevere (Cherie Lunghi), a rainha. E, somando-se a isto, Morgana (Helen Mirren), a meia-irmã de Arthur, decide que Mordred (Robert Addie), o filho que ela teve com Arthur, deve ocupar o trono.

    O Nome da Rosa: Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

    IV- O filme CRUZADAS retrata a peregrinação a lugares santos, no entanto, o filme mostra também as guerras em nome da religião, o combate entre o cristianismo e outras religiões. Com relação às vestimentas, os cavaleiros lutavam usando armaduras, não havia cores vibrantes e durante às refeições os mesmos não usavam talheres. Nos cenários, há uma certa ‘escuridão’, configurando o período obscuro do medievo. Um costume importante a ser salientado, é o fato do suicídio, quando uma pessoa comete o suicídio, antes de enterrá-la, sua cabeça era cortada.

    ResponderExcluir
  67. Ola
    Eu preciso saber qual é a ligação do filme Exalibur com o contexto historico?

    ResponderExcluir
  68. At this time I am ready to do my breakfast, once having my breakfast
    coming yet again to read more news.
    my webpage - click the following page

    ResponderExcluir
  69. I have read so many articles regarding the blogger lovers but this article is actually a pleasant article, keep it up.


    My website domains for sale

    ResponderExcluir
  70. What a material of un-ambiguity and preserveness of precious know-how on the topic
    of unpredicted feelings.

    Also visit my webpage: http://www.onhiddencam.info

    ResponderExcluir

Alunos e Seguidores, postem, apenas, comentários relativos aos temas trabalhados: Literatura !
Agradecida,
Profa. Generosa Souto