sábado, 9 de abril de 2011

CANTIGAS TROVADORESCAS - I

ACADÊMICA: THANIELLY ZÉLIA ALMEIDA SILVA


O Trovadorismo caracteriza a primeira época medieval, que se estende de 1189 até 1434. Nesse período, A Canção da Ribeirinha, de Paio Soares de Taveirós é o primeiro documento literário português. No trovadorismo, os poetas eram chamados de trovadores e compunham textos poéticos que eram acompanhados de música e normalmente cantados em coro, por isso, chamados de cantigas.
As cantigas dividiam-se em dois grupos: as cantigas líricas e as cantigas satíricas. As cantigas líricas subdividem-se em cantigas de amor e cantigas de amigo; as cantigas satíricas, em cantigas de escárnio e maldizer.

Cantigas de Amor

As cantigas de amor são escritas em primeira pessoa, eu – poético declara seu amor a uma dama, tendo como pano de fundo o ambiente palaciano. De forma respeitosa se dirige a ela (chamada de “senhor”, isto é,senhora),mostrando uma servidão amorosa dentro dos mais puros padrões medievais da vassalagem.A mulher é vista como um ser inatingível,uma figura idealizada,a quem é dedicado um amor sublimado,igualmente idealizado,não correspondido.Essas características mostram um forte lirismo,além de ressaltar o sofrimento pelo amor da mulher amada e tendo o amor como a razão de viver.

Modelo de cantiga de amor medieval

Quero à moda provençal
fazer agora um cantar de amor,
e quererei muito aí louvar minha senhora
a quem honra nem formosura não faltam
nem bondade; e mais vos direi sobre ela:
Deus a fez tão cheia de qualidades
que ela mais que todas do mundo.
Pois Deus quis fazer minha senhora de tal modo
quando a fez, que a fez conhecedora de todo bem e de muito grande valor,
e além de tudo isto é muito sociável
quando deve; também deu-lhe bom senso,
e desde então lhe fez pouco bem
impedindo que nenhuma outra fosse igual a ela
Porque em minha senhora nunca Deus pôs mal,
mas pôs nela honra e beleza e mérito
e capacidade de falar bem, e de rir melhor
que outra mulher também é muito leal
e por isto não sei hoje quem
possa cabalmente falar no seu próprio bem
pois não há outro bem, para além do seu.

As cantigas de amor ainda podem ser encontradas na atualidade

Composição: Lourenço e Lourival

Ao receber o convite do seu casamento
Desmoronou meu castelo de sonhos ao vento
Nao pude crer que de você partiu essa maldade
Será que esqueceu que quem te mas sou eu
Meu amor é verdade
Eu lhe perdoo por dizer que seu pai é o ocupado
Pois ele foi sempre contra o nosso noivado
E deu sua mão para outro no gesto apressado
Para nao permitir fosse ser mais feliz ao meu lado
Sem seu amor sou o homem mais pobre da terra
Sem carinho a vida se encerra
Sem seus beijos nao posso viver
O seu amor nesta vida é tudo que quero
Acredite meu bem sou sincero
Sem você sou capaz de morrer

Podemos perceber o amor evocado,impossibilitado e ainda o sentimento de que a morte é melhor que perder sua amada.

Cantigas de Amigo

As cantigas de amigo originaram-se no sentimento popular, na Peninsula Ibérica.Também escritas em primeira pessoa,apresentam um grande diferencial:o eu-poético é feminino,apesar de escritas por homens.Temos,agora,a expressão do sentimento feminino,a mulher sofre por se ver separada do amigo(amante ou namorado) por este esta na guerra,em serviço ao rei ou em expedições,e vive angustiada por não saber se voltará ou não,se a trocará por outra, etc. O ambiente descrito nas cantigas de amigo não é mais a corte , e sim a zona rural,a mulher é sempre camponesa.
Um aspecto interessante é que além da mulher que sofre,as cantigas de amigo apresentam outros personagens,que servem de confidentes(a mãe,uma amiga ou mesmo um elemento da natureza que aparece personificado).

Cantiga de amigo, Martin Codax (medieval)

Ondas do mar de Vigo,
Acaso vistes meu amigo? Queira Deus que ele venha cedo!

Ondas do mar agitado
Acaso vistes meu amado?
Queira Deus que ele venha cedo!

Acaso vistes meu amigo
Aquele por quem suspiro?
Queira Deus que ele venha cedo!

Acaso vistes meu amado,
Por quem tenho grande cuidado (preocupado)?
Queira Deus que ele venha cedo!

Na atualidade, as cantigas de amigo ainda estão presentes

Fico assim sem você, Caca Moraes/Abdullah

Avião sem asa,
Fogueira sem brasa,
Sou eu assim, sem você
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
Sou eu assim, sem você...

Porque é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim...

Tô louco prá te ver chegar
Tô louco prá te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...

Por quê? Por quê?

Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
Sou eu assim, sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada,
Sou eu assim, sem você...

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo...

Por quê? Por quê?


Cantigas de Escárnio

Esse tipo de cantiga procura satirizar (ridicularizar) pessoas e costumes da época. Alguns poetas, em seus ataques agressivos, chegavam a utilizar uma linguagem de baixo nível (chula). As sátiras são feitas de forma indireta, utilizando-se de duplos sentidos.

Época Medieval

Sobre vós, senhora, eu quero dizer verdade
Sobre vós, senhora, eu quero dizer verdade
e não já sobre o amor que tenho por vós:
senhora, bem maior é vossa estupidez
do que a de quantas outras conheço no mundo
tanto na feiúra quanto na maldade
não vos vence hoje senão a filha de um rei
Eu não vos amo nem me perderei
de saudade por vós, quando não vos vir.
De e não já sobre o amor que tenho por vós:
senhora, bem maior é vossa estupidez
do que a de quantas outras conheço no mundo
tanto na feiúra quanto na maldade
não vos vence hoje senão a filha de um rei
Eu não vos amo nem me perderei
de saudade por vós, quando não vos vir.


Na atualidade:
Atraso Ou Solução,composição: Juca

Já meia hora atrasada
o que em ti é natural.
Até pareces, querida,
com os nossos trens da central
isto ainda acaba mal.

Não brinques assim comigo,
com este teu vem ou não vem,
não faças de estação meu coração,
nem faças o teu de trem, tá bem?

Ai, ai, amor, ai que dor
eu sinto o ar esperar
até a chuva já veio,
mas não vens, ai, por quê?
quem me dera, minha amada
se tu fostes viatura
cá da nossa prefeitura
pois te dava uma pedrada
muito bem dada.

Cantigas de Maldizer
Através delas, os trovadores faziam sátiras diretas, chegando muitas vezes a agressões verbais. Em algumas situações eram utilizados palavrões. O nome da pessoa satirizada podia aparecer explicitamente na cantiga ou não.

Canção de maldizer medieval

João Garcia Guilharde

Ai, dona feia, foste-vos queixar
que nunca vos louvo em meu cantar;
mas agora quero fazer um cantar
em que vos louvares de qualquer modo;
e vede como quero vos louvar
dona feia, velha e maluca!
Dona feia, que Deus me perdoe,
pois tendes tão grande desejo
de que eu vos louve, por este motivo
quero vos louvar já de qualquer modo;
e vede qual será a louvação:
dona feia, velha e maluca!
Dona feia, eu nunca vos louvei
em meu trovar, embora tenha trovado muito;
mas agora já farei um bom cantar;
em que vos louvarei de qualquer modo;
e vos direi como vos louvarei:
dona feia, velha e maluca!

Na atualidade


Cantiga de Maldizer atual - Composição: Kika Simone/ Diego Maraschin

Eu só respeito (+2x)... à mim.
Não quero ver ninguém chorar mais por aí.
Não quero ver mais ninguém triste sem dormir.
Só vou escrever o que quero escrever.
Não quero que você cante para mim.
(Refrão)
Escutasse o que eu disse ou não?
Suas mentiras não querem sair.
E você pode achar a razão,
Ou que tem ela pra mim.
Eu não dirijo minhas palavras pra ninguém,
A não ser que não seja pra você.
Não tenho idade mais pra me enganar,
E sei que o trouxa aqui não sou mais eu.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SILVA,Antônio de Siqueira.BERTOLIN,Rafael.Curso completo de Português.Coleção Horizontes.ed IBEP.p.69-72.
TERRA,Ernani,DE NICOLA,José .Português,de olho no mundo do trabalho.1 ed.São Paulo:Scipione,2006.359-361 p.
Disponível em: >> http://tecendoapalavra.blogspot.com/2011/03/cantigas-trovadorescas-releituras-e.html.<< Acesso em 6/4/2011 às 19:02
Disponível em: >> http://www.revistaautor.com.br/ Acesso em 6/4/2011 às 19:15
Disponível em : >>http:// www.suapesquisa.com/.../trovadorismo.htm /Acesso em 6/4/2011 às 19:31
Disponível em :>>http: //www.grupoescolar.com/.../cantigas_de_amor.html/ Acesso em 6/4/2011 às 19:52

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Quem é esse animal desprovido de cérebro? Vá procurar o que fazer imbecil!!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Seu blog é muito valioso e ajuda em muito os estudantes de Literatura! Obrigado e continue sempre firme!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir

Alunos e Seguidores, postem, apenas, comentários relativos aos temas trabalhados: Literatura !
Agradecida,
Profa. Generosa Souto